segunda-feira, março 29, 2010
Páscoa 2010


(imagem retirada de um documento do site http://www.abcdacatequese.com/)

timshel
posted by @ 3:21 da tarde   1 comments
sexta-feira, março 26, 2010
As teias do Trento
Enquanto o chefe da Igreja Católica Romana se prepara para visitar, com enorme pompa e circunstância, o pobre rectângulo luso, multiplicam-se as teias de aranha nos antros frios e enferrujados do Concílio Trental.

O tempo ensina, mas não cura nada.

As chaves, é só Cristo que as tem.
posted by @ 4:23 da tarde   26 comments
quinta-feira, março 18, 2010
Loneliness
and so I became a capuchin monk
cbs
posted by @ 12:07 da tarde   4 comments
segunda-feira, março 15, 2010
That's all, folks!
Venho oficialmente retirar-me do Trento na Língua por excesso de língua de quem nada percebe sobre Trento.

Cristo disse para cortar a mão que nos faz pecar: cá fica o meu coto.

Obrigado Luís Sá e, em certa medida, CBS, por nos agraciarem com algum Catolicismo abençoado neste depositório de várias nuances de Protestantismo (algumas, feitas até por dentro). A minha conversão agradece-vos.

O meu testemunho para com os meus queridos 'irmãos separados', porém, nunca se esgotou aqui, e persistirei a lutar para atraí-los a Casa, onde pertenço - e eles também, ainda que o desconheçam.

Pro Christo Et Humanitate
Nuno Fonseca
posted by @ 3:30 da tarde   2 comments
quinta-feira, março 11, 2010
Títulos sugestivos da imprensa actual:
"O Diabo está no Vaticano"

Jornal i



(dentro e fora, digo eu)
Jorge Oliveira
posted by @ 4:03 da tarde   15 comments
João, é muito simples: Liberalismo teológico = Liberalismo prático. O Papa depõe e excomunga ambos.



Nuno Fonseca
Kyrie eleison

posted by @ 11:34 da manhã   0 comments
quarta-feira, março 10, 2010
Mais casos (revelados) de pedofilia dentro da Igreja Católica.

Duplamente grave. Lobos disfarçados de Ovelhas. Pulhas disfarçados de Cristãos.

O que é que se passa dentro da Igreja para haver tantos casos destes?

E nem sequer posso acreditar que a IC os tente silenciar. Se fosse verdade, seria obsceno demais.

JL
posted by @ 8:36 da tarde   59 comments
terça-feira, março 09, 2010
Quando a cruz é o estandarte do diabo
"É preciso unir, é preciso compreender, é preciso desculpar.

Não levantes nunca uma cruz apenas para recordar que uns mataram outros. Seria o estandarte do diabo.

A Cruz de Cristo é calar, perdoar e rezar por uns e por outros, para que todos alcancem a paz."

São Josemaria Escrivá, "Via Sacra, Oitava estação, Jesus consola as filhas de Jerusalém, Ponto 8"

Desculpem ser em bold mas são as palavras do Santo.


timshel
posted by @ 5:54 da tarde   21 comments
'O Senhor é o meu Estandarte.' (Êx 17,15)
O futuro do Trento e da minha participação nele não parece de todo luzidio. Mas ele há coisas que não consigo evitar de partilhar tal o encanto. Aqui vai.

O Catolicismo português - o verdadeiro, diga-se - sempre zelou por uma atitude muito in-your-face em relação à fé (o do tipo do jimbras que se descamisa para mostrar o Terço, o da chavalada com o pullover do Colégio, a iconografia na carteira, a liturgia-de-ourives que adorna a beata, etc). Hoje em dia, pelo contexto em que nos achamos, tais actos de ousadia cristã e orgulho crístico (aqueles que S. Paulo elogiava, espero eu) são contraculturais - e têm o seu quê de subversivo. E eu amo coisas como essas, como sabem. Coisas assim:
Quem não descobriu a alegria de não ser deste mundo estando nele não sabe ainda por que os mártires morrem a cantar hinos cristológicos. Quem não tem gozo em ser contracultural, ainda não provou a cereja no topo do bolo do Cristianismo. Mas, claro, vai sempre a tempo.

Nuno Fonseca
Ut Unum Sint
posted by @ 2:06 da tarde   4 comments
segunda-feira, março 08, 2010
Cabisbaixo e céptico
Entro pela porta larga do Trento, cabisbaixo e céptico. Cabisbaixo, porque o Vítor Mácula decidiu (quiçá ajuizadamente) cortar a língua precisamente na semana em que me põe aqui a linguarejar. Céptico, porque embora ache alguma graça ao Trento, nunca fui homem de grandes “ecumenices” (jamais beijarei a mão do papa! ouviste Nuno?). Veremos até quando suportarei(s) este pobre protestante neste "Tridentum" Anglo-Romano.

Jorge Oliveira
posted by @ 10:27 da manhã   8 comments
sábado, março 06, 2010
Do Fim...

O fim está perto, o fim está perto, o fim está perto, perto do fim.
O presente aberto, o passado curto, o futuro certo e o Eterno perto de mim.
Samuel Úria por cbs

Etiquetas:

posted by @ 11:37 da tarde   0 comments
Ontem casei-me.
Quer dizer, casaram-me no Cartório Notarial, ou lá o que era aquilo, de Sintra e não numa Igreja ou pela Igreja.
A grande dúvida teológica que não tenho é: será que Deus abençoará o meu casamento nestas condições?

JL
posted by @ 11:03 da tarde   6 comments
sexta-feira, março 05, 2010
À vossa

A minha tarefa postadora no Trento termina aqui; nenhum motivo religioso ou inter-confessional esteve em jogo; e também nada que tenha que ver com o que tem decorrido, interessante e interpelantemente, nos posts e comentários.

Agradeço ao ex-trentista Tiago Cavaco o convite para no Trento se aturarem os dislates e expressões da minha conturbada e contínua conversão; agradeço aos irmãos Leal, ao Cbs e ao Timshel, a civilidade e humanismo com que, em divergências e concordâncias, sempre enriqueceram o diálogo, e me fizeram crescer espiritual e teologicamente; a vós, à Beguina, ao Nuno Fonseca, ao Paulo Ribeiro, ao Rui Alme, e aos restantes postadores com quem não tive diálogo directo ou nem estive em simultâneo no Trento, assim como à Hadassah, à Zazie, à MC e restantes comentadores e silentes leitores – agradeço o tudo e tanto que aqui blog-vivi e aprendi.

Salud, e que Deus vos guarde.
.
vítor mácula
posted by @ 1:10 da tarde   19 comments
quinta-feira, março 04, 2010
Um pequeno 'disclaimer' que já urgia aqui.
A Zazie diz algo a que sou muito sensível e que sempre me fez espécie enquanto deambulava pelas periferias do centro do Cristianismo que se acha na Santa Sé:

"Eu quero saber se a Igreja com quem simpatizo aceita isto [inserir política progressivista de extrema-esquerda] de um fiel.

E digo-te que se o aceitar, para mim acabou-se e a Igreja Católica estará definitivamente cortada."

Ela elabora:

"Duvido que o Papa defenda e aceita um fiel a defender literalmente isto [inserir política progressivista de extrema-esquerda] - donde me restará sempre o Papa como base duma Igreja que tenho desejo de me aproximar mais."

No fim, remata:

"Nem um pé mais avanço para uma instituição que possa ter-se tornado numa vergonha tamanha que qualquer ateu bem formado renega'.

Respondendo: por estes mesmos receios e pressupostos me pude manter ateu e não-Católico durante tanto tempo. Católicos de cafetaria, não-praticantes e mal-praticantes sempre foram a minha melhor desculpa para blasfemar a Igreja: eles serviam a melhor prova de que tal instituição não era para ser tomada a sério, visto que nem os seus acreditavam no que criam. Via a hipocrisia de quem põe Terço e látex; de quem confessava antes da Eucaristia os seus pecados e confessava os pecados do outros depois desta; de quem fazia vénias ao Papa e ao político do 33º grau do Grande Oriente Lusitano em contra-agenda à Santa Sé; a quem tudo isto lhe fazia sentido: Avés e candomblés, Catecismo e onanismo, Sagrada Escritura e tarada fissura, etc etc.

Os Católicos que fazem excepções conscientes ao seu Catolicismo (fenómeno também conhecido por 'heresia' ou 'apostasia') estão, por conveniência mediática e para exemplo de propaganda negra (aquela que se faz passar por aquilo a que se opõe), na fachada da parte mais visível da Igreja visível, pois fazem-se visíveis. O catecúmeno quer Cristo, mas lá estão já eles de braços benvindores para o receber na tertúlia das periferias iscarióticas; o crente quer comunhão com quem se senta na Cátedra de S. Pedro, mas estes se oferecem para comunhão com as opiniões deles e as suas várias nuances interpretacionais do Magisterium Dixit que soam com maior objectividade e literalismo à última moda da agenda do Bloco; o recém-Cristão quer a Bíblia, mas é recebido por estes altos críticos com inúmeras alegorizações e reinterpretações do Texto Sagrado que são todas menos a mais óbvia. Toleram toda a diversidade menos uma que seja unívoca; desejam toda a tolerância piedosa aos desviados desde que esta não inclua os 'farisaicos' tradicionalistas; ecumenizam tudo, menos o que tenha pretensão de Verdade (que nunca é moralmente mais pretensa que a deles que tudo inclui, em especial as contradições).

À Zazie, e em nome dos Católicos que acreditam no que crêem, tomando forte o testemunho dos poucos fiéis Papistas deste blogue (cujo testemunho, caso do Luís Sá, me trouxeram à plenitude da Fé) digo: o Dogma não muda. O Papa, sob Cristo, rege. A Igreja nunca mudará. A Esposa do Senhor é fiel e não O trai. Como Cristo prometeu, as portas do Hades não resistirão à Sua expansão. Os bispos Kungs aborcionistas, pró-gay, pró-contracepção, pró-ordenação de mulheres e o que mais lhes levante o rabo a jeito da pica do espírito da época sempre terão nos Bentos XVIs da nossa Sé uma anulação dos seus ofícios e ameaças de excomunhão.

Quem quer essa 'outra' igreja, vá, por exemplo, para igreja anglicana - ou o que resta dela. Verá muitos lugares vazios e um enchorrilho de gente com coluna vertebral a sair em êxodo para Roma (os 'fariseus'). Lá, terão a fé cor-de-arco-íris que anseiam e o desrespeito e descrédito do Mundo, que não vê nela nada de diferente ao que já tem, nada da salinidade do Sal da Terra e só trevas e incerteza em lugar do que devia ser a Luz do Mundo e a relevância que é Cristo - não uma à custa dEle.

Nuno Fonseca
Aquila Non Caput Muscas
posted by @ 9:03 da tarde   12 comments
quarta-feira, março 03, 2010
Habitação
O que é o ódio, onde e como habita e toma forma nos actos, usos e relações; tratamos aqui de algo fundo e denso, que tem raízes no indizível da alma, no centro mesmo do sentido do ser e da vida.

Como uma névoa ele se propaga, sem lugar logístico nem linguístico; assim pode um pai dar-lhe forma na relação com um filho, quando o castigo e a opressão são o fim oculto de um meio pedagógico e ético legítimos; ou um amante com um amado, quando a divisão e a anulação são o fim oculto das inevitáveis desavenças magoadas e confusas; é assim que se pode odiar na verdade, imprópria e retoricamente falando: agindo e relacionando-nos sem a caridade de fundo que, orientando o nosso ser e vida, impede o uso de verdades éticas e epistemológicas para demoníacos e desumanos fins.

É algo que não é cernável por estrita argumentação nem se patenteia por motivos fixos ou determináveis, pois não se constitui nos elementos de ser e verdade que possam haver na vida e na palavra, mas no sentido e dinâmica com que age nestes; é que tudo é bom e belo e permitido no seu fundo autêntico, mas a edificação maligna trata de pegar no que é bom e belo, a própria e exuberante vida e sua sacralidade – e funda a sua habitação no vazio de si mesmo, com o ódio próprio do orgulho que não aceita a sua necessidade ontológica da natureza e do divino; e que sem a abertura e aceitação destes como sua sustentação vital e espiritual, reprime a primeira e nega o segundo com uma relação idolátrica qualquer.

É por ser de fundo e queda que é originante da maldade, destruição e desumanização que se patenteiam na história da humanidade, em que sem a ironia ou o silêncio místico, seja o que fôr de bom, belo e humano – acaba sempre por espatifar-se num terror sem nome e numa opressão sem fim; e é por ser de fundo e queda que espreita em todas as nossas células e palavras, sobretudo nas amorosas e verdadeiras, como uma serpente nas folhas da clareira, uma ressaca sem fim nas manhãs de festa e alegria.

Aqui, apenas o olhar límpido entrevê a sua presença; e por isso os animais e toda a natureza, as crianças e os poetas – o reconhecem de imediato e instinto: a má onda, o ácido da terra; o esgar da falsidade e da divisão traiçoeira, que se oculta nas potestades sociais e pessoais da mundanidade separada.
.
vítor mácula
posted by @ 11:55 da manhã   102 comments
terça-feira, março 02, 2010
GK Chesterton sobre os meio-cristãos, os 'católicos' de supermercado, os semi-santos encalhados no Purgatório, e todo o tipo de vómito de Cristo.
"Não conseguem ser cristãos, nem conseguem deixar de ser anticristãos duma vez por todas. A atmosfera que respiram é, toda ela, de reacção: é uma atmosfera de amuos, perversidades, críticas mesquinhas. Continuam a viver à sombra da fé, mas perderam a luz da fé.
Ora, a melhor relação que podemos ter com o nossos lar espiritual é vivermos suficientemente perto dele para o amarmos; a segunda melhor, porém, é vivermos suficientemente longe para não o odiarmos . . . O pior juiz de todos é aquele que, hoje em dia, mais se presta a fazer juízos: é o cristão mal formado, que se vai transformando gradualmente num agnóstico maldisposto, enredado até ao fim numa batalha cujo começo nunca compreendeu.'

in O Homem Eterno, trad. Mª José Figueiredo, Alêtheia Ed.

'Conheço as tuas obras, que não és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca!' (Apocalipse 3, 15-16)

Nuno Fonseca
Asinus asinum fricat
posted by @ 7:55 da tarde   10 comments
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here