terça-feira, março 09, 2010
Quando a cruz é o estandarte do diabo
"É preciso unir, é preciso compreender, é preciso desculpar.

Não levantes nunca uma cruz apenas para recordar que uns mataram outros. Seria o estandarte do diabo.

A Cruz de Cristo é calar, perdoar e rezar por uns e por outros, para que todos alcancem a paz."

São Josemaria Escrivá, "Via Sacra, Oitava estação, Jesus consola as filhas de Jerusalém, Ponto 8"

Desculpem ser em bold mas são as palavras do Santo.


timshel
posted by @ 5:54 da tarde  
21 Comments:
  • At 9 de março de 2010 às 18:25, Blogger Nuno Fonseca said…

    À parte que está a bold, subscrevo. Ao encadeamento e intenção do post, questiono-te, TimShel:

    Watcha talkin about?

     
  • At 9 de março de 2010 às 18:30, Blogger timshel said…

    A liberdade (um valor igualmente muito prezado pelo Santo) inclui igualmente para mim a liberdade de cada um interpretar o sentido do que escrevo sem que eu tenha que lhe fornecer um manual de instruções sobre "como interpretar o meu post".

     
  • At 9 de março de 2010 às 18:30, Blogger Nuno Fonseca said…

    A motivação e intento desta iniciativa não é lembrar mortes, como as dos mártires - e, sobretudo, Cristo - como se foco a apontar para os verdugos do Evangelho. É afirmar que cá estaremos para imitar, lembrar e celebrar Jesus que nos ensinou a união, a compreensão e o perdão; a intercessão, o cessar de conflitos e a procura da paz. E que este compromisso não é desvinculável pelas nossas mortes.

     
  • At 9 de março de 2010 às 18:34, Blogger Nuno Fonseca said…

    Mmm, ok. Estás no teu direito.
    Mas tens que admitir que o encadeamento e a quase paráfrase do post anterior poderia levar alguns a interpretar como um responso acusador. Pessoalmente, e para bem da liberdade das consciências dos outros, prefiro não correr o risco de ser uma 'pedra de tropeço' ao meu irmão à liberdade pessoal de ser ambíguo.

     
  • At 9 de março de 2010 às 19:18, Blogger zazie said…

    A Igreja sempre foi feita com todos. Os que desculpam e os que flagelam.

    Bastaria recordar um S. Bernardo ou até o Thomas More.

    O que é preciso é que ambos trabalhem bem no seu campo

    ehheheh

    Quero com isto dizer que, no que toca à obra "social" da Igreja, tanto precisamos da caridade como de uns bons cruzados à Nuno.

    ":O)))
    Mas apenas aí e sempre com a base da caridade e de se incluir o próprio nos combates.

     
  • At 9 de março de 2010 às 20:15, Blogger Joao Leal said…

    A cruz de Cristo não é calar, muito menos perdoar e rezar por uns e por outros.
    A cruz de Cristo é outra coisa e, sim, tem a ver com a derradeira acusação feita à Humanidade por Deus: Vocês até de matar o Meu Filho foram capazes!

    Esta história de papagaiar santos sem se pensar dois segundos sobre instrumentos de tortura é bastante curiosa no cristianismo. É o mesmo que dizer Shotgun em vez de se dizer "Kurt Cobain" ou "Nirvana"

    Se o rapaz anti-comunista tivesse falado sobre o Sepúlcro Vazio, ainda vá que não vá...

     
  • At 9 de março de 2010 às 21:25, Blogger Nuno Fonseca said…

    @ZAZIE
    Mas Zazie, eu amo a Doutrina Social (tertúlias da minha paróquia, leituras de Chesterton e Belloc) and I tithe the crap out of those sem-abrigo e ceguinhos do Metro.

    Mas sim, subscrevo ao teu apelo da catolicidade da Igreja.

    @JOÃO LEAL
    Relax. A citação está perfeitamente descontextualizada. Ele - o santo - não falava sobre a *violência* de pôr estadartes do Menino Jesus no Natal e de Cruzes purpúreas na Quaresma e brancas na Páscoa por cima das janelas leigas, para recuperar os símbolos da Fé e devolver a santidade aos Dias Santos. O Timshel também não vai explicar.

     
  • At 9 de março de 2010 às 21:54, Blogger BLUESMILE said…

    A propóstito de Cruzadas e Guerras Santas, convém não esquecer o profético pedido de perdão
    de João Paulo II pelos crimes cometidos pela Igreja ( à sombra de estandartes)....

     
  • At 9 de março de 2010 às 22:20, Blogger Nuno Fonseca said…

    Falando de descontextualizações...

     
  • At 9 de março de 2010 às 22:24, Blogger zazie said…

    Por acaso há "cruzadas" bem urgentes a fazer.

    Uma delas é a da poltranice pendurada às cavalitas de Vaticano II e do jacobinismo.

    Não se pode adorar Deus e o Diabo. E o pedido de perdão do que havia a pedir já foi feito.

    É pena é que mais nenhum chefe de Igreja ou político o tenha feito.

    E é sempre em nome dos que não pedem perdão mas estão cá para cobrar dívidas aos outros que recordam "cruzadas".

    As do convencimento é que estão instauradas e não é a Igreja quem as lidera.

    É o famosa "ordenação jurídica do território"- aqui entra tudo- até o projecto kantiano que o Papa soube mostrar como sem a Igreja não vai ser o Paraíso na Terra.

     
  • At 9 de março de 2010 às 22:40, Blogger Nuno Fonseca said…

    Mai' nada.

    Já agora, aqui parte da lista de desculpas que o Papa pediu: http://209.85.229.132/search?q=cache:VB6QnK84vC8J:en.wikipedia.org/wiki/Apologies_by_Pope_John_Paul_II+As+Pope,+he+officially+made+public+apologies+for+over+100+of+these+wrongdoings,+including&cd=1&hl=pt-PT&ct=clnk

    Curiosamente, o pedido de desculpas sobre as Cruzadas parece estendido só a Constantinopla. Mmm...

    Deve ser pela mesma razão que João Paulo II não pediu desculpa aos Canaanitas pelo ataque de Josué. De facto, guerra de defesa não conta como violação do direito internacional.

    Já agora Zazie, fazes bem em referir esse tal 'espírito do Vaticano II', que é promovido à revelia do Vaticano II, e que tenho visto aqui no Trento.

     
  • At 9 de março de 2010 às 22:45, Blogger zazie said…

    Pois é. Há muita gente a encavalitar-se onde não devia.

    E a esquecer os autores das verdadeiras cruzadas. Como é o caso dos tafurs e dos pauperes.

    Podiam começar pelo profeta Rodoldo e com o que ele pregava, que tinha séculos de milenarismo a justificarem a maior parte dos horrores pelos quais a Igreja (que sempre os travou) também pediu perdão.

    Mas esta gente é ignorante e encasquetou que é lendo Dan Brown que se entende o milenarismo e as origens de quem agora se encavalita no que não deve.

     
  • At 9 de março de 2010 às 23:45, Blogger Nuno Fonseca said…

    Se não te tornares colaboradora aqui do Trento, não sei se fico.

    Sei que é chantagem emocional, mas que se lixe.

     
  • At 10 de março de 2010 às 05:28, Blogger BLUESMILE said…

    Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

     
  • At 10 de março de 2010 às 09:20, Blogger Nuno Fonseca said…

    @BLUESMILE

    'Há um certo infantilismo neófito nestas "picardias" que é quase comovente. A utilização recorrente de slogans ideológicos-pastiche ou cruzadismos ingénuos com tiques clubísticos nada tem a ver com Cristianismo.'

    R: Escandaliza-me que você possa dizer estas palavras e não se lembrar da forma como entrou aqui no Trento e o que tem dito até agora. Isto sim, comove.

     
  • At 10 de março de 2010 às 10:08, Blogger Nuno Fonseca said…

    E lembro-lhe o que lhe disse sobre adhominems e insultos pessoais. A sua especialidade é a Vida de Cadela, onde pode expraiar o seu vómito para o seu público, que, por alguma, não tem comentários.

    Você é mal-educada e incapaz de ter uma conversa objectiva e racional.

    Isto é um blog de Protestantes e Católicos; e não de 'desviantes comportamentais', como você admite na legenda.

     
  • At 10 de março de 2010 às 13:52, Blogger zazie said…

    Tu és maluquito, rapaz.

    Isto pode estar um tanto decadente mas não exageremos.

    ahahahah

    Eu sou uma simpatizante do catolicismo e estou como o Groucho, e nunca aceitaria pertencer a um clube de que fizesse parte.

    ":OP

    Beijocas.

    Podiam era regressar todos, incluindo o CC e o Samuel Uria (gostava muito dos posts desse bacano)

    Quero dizer, todos não é bem assim- o Marujo é intratável- pode ficar à porta.

     
  • At 10 de março de 2010 às 14:15, Blogger Nuno Fonseca said…

    Ai, é? Então, xau.

     
  • At 10 de março de 2010 às 14:36, Blogger zazie said…

    eehhe

    A despropósito mas porque me lembrei.

    Este post é do bacano do Tim. Se ele quiser apagar comentários é com ele.

    Eu sei que ele prefere trancar a apagar.

    A sujeita pode insultar-me à vontade que estas coisas a mim só me tocam se vierem de pessoas amigas.

    Já basta os que ela apaga ou a inventona do que ela própria escreveu e apagou por conta própria no blogue dela, dando a entender que eu é que tinha ido para lá chagá-la.

     
  • At 10 de março de 2010 às 14:39, Blogger zazie said…

    E nem me tocam insultos.

    Só me podem tocar outras coisas mais complicadas onde exista alguma relação humana já construída, mesmo que virtualmente.

    Como é óbvio não é este o caso. Esta nunca tinha aqui aparecido e apenas me recordo de esbarrar com ela noutros lados, onde a tratavam como se fosse um homem.

    Eu até pensava que era mesmo um homem. Ela nunca corrige o sexo quando a confundem.

     
  • At 11 de março de 2010 às 20:27, Blogger Pro said…

    "[...]é preciso desculpar. [...] A Cruz de Cristo é calar, perdoar e rezar por uns e por outros, para que todos alcancem a paz."
    Como diz o Timshel, a repetição tem as suas virtudes...

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here