segunda-feira, fevereiro 22, 2010
Uma primeira meditação quaresmal.
Numa daquelas citações anedotárias e meramente atribuíveis, lembro-me que certa vez ouvi que Madre Teresa de Calcutá (penso eu), em dado lugar, a dada altura, quando deparada com a pergunta 'Que mais a atormenta neste mundo neste momento?' ter respondido qualquer coisa como isto:

'A Comunhão recebida na mão.'

Repare-se: não a fome, não a pestilência, não o aborto - mas a Eucaristia tomada de forma (segunda a mesma) indevida e irreverente. Li há tempos (ou será que ouvi citado?) Chesterton, que dizia - e continuo com paráfrases inacuradas - que a coisa que mais espanta o mundo é a frivolidade que é só própria dos santos. Não sei como não associar. Mas ainda há mais a retirar disto.

Ocorreu-me algo mais. Estes são tempos em que, por ênfases passados na salvação da alma eterna, é possível que tenhamos esquecido o pópulo terreno e a redenção dos aquis e agoras. A ressaca por vezes joga o jugo - com o mesmo pendor desajustado - no prato oposto e lá tentamos desequilibrar a justa medida do Deus que os hebreus chamaram (e nós chamamos também) 'Nossa Justiça'. Há, pois, que sempre lembrar: Sta Marta, a discípula do prioritário pragmatismo pietista foi desdenhada pelo Senhor em favor de Sta Madalena, essa que escutava a Palavra, tácita e contemplativamente; e que Judas Iscariotes - que decerto seria o padroeiro da Justiça Social - foi silenciado perante o banho perfumado que esta devota preferiu dar aos pés do Mestre, e não aos dos pobres, esses grandes beneficiários da economia religiosa.

No nosso zelo por alimentarmos os famintos que nos caiam aos pés, saibamos também jazer bem chãmente, de joelho dobrado e boca aberta, ao sermos alimentados de Eternidade. Porque nenhuma adoração é horizontal (homem-homem) sem que se tenha ajoelhado perante a verticalidade suma (homem-Deus).

É esta rendição humilde, de genuflexão solene e língua trémula de quem recebe o Sacramento, que nos fará prezar as humildades que repliquem esta dependência humana - demasiado humana. Assim, o nosso Deus parecerá divino - infindamente divino.

Nuno Fonseca
Pro Christo et Humanitate
posted by @ 1:08 da manhã  
132 Comments:
  • At 23 de fevereiro de 2010 às 22:33, Blogger MC said…

    caro irmão Nuno,

    não estás aqui a jogar um dualismo que não existe?

    A vocação temporal e espiritual do homem é uma só.

    Com tanta invocação de santos, não esqueças o Evangelho: "O que fizeres a um destes pequeninos, foi a mim que o fizeste..."

     
  • At 24 de fevereiro de 2010 às 00:11, Blogger Nuno Fonseca said…

    Não há dualismo. Sou todo a favor da Obra Social, mas sob a prioridade do Evangelho, como o exemplo de Madalena e Marta demarca.

    O que faço aqui ver é que uma boa relação de verticalidade (reverência do homem perante Deus) promove uma melhor horizontalidade (humildade do homem perante o outro homem). As últimas linhas especificam bem.

    Também não sou necessariamente contra a comunhão na mão (há formas reverentes de o fazer), mas serviu de mero exemplo - o da Madre Teresa.

    §

    Pax et bonum.

     
  • At 24 de fevereiro de 2010 às 18:15, Blogger BLUESMILE said…

    Tem razão, faz parte do anedotário católico.

    Este fim-de-semana, em conversa como um ministro da comunhão, um querido amigo, lamentava ele o embaraço em que se encontra quando tem de distribuir comunhão na boca em certas comunidades mais envelhecidas,pois invariavelmente fica com as mãos cheias de saliva alheia, saliva essa que depois transporta para as bocas seguintes, ou para as hóstias consagradas numa inevitável cadeia conspurcativa.

    Sendo esse amigo médico de profissão, a repugnância da alimentação forçada de pessoas adultas ( sendo que as normas obrigam a que se coloque a hóstia quase garganta abaixo, não vá caír ao chão), traz-lhe alguns dilemas de consciência quanto à propagação de doenças.

    Vem isto a propósito do pietismo salivar, que tem sempre qualquer coisa de degradante e desumano.

    A questão de fundo nada tem a ver com verticalidade ( homem face a deus) mas de uma relação de dependência e infantilização entre um homem e outro homem.

    Não se trata pois de qualquer contingência teológica (a genuflexão, a infantilização) mas de uma relação de poder entre um homem e outro homem

    Que eu saiba jesus não enfiou o pão na boca dos apóstolos na última ceia, antes o repartiu e deu aos seus discípulos...

     
  • At 24 de fevereiro de 2010 às 18:58, Blogger Luís said…

    Lol, os catolicos "alternativos" vao dar-te que fazer Nuno (como se ve pelo comentario anterior)!Nao desesperes!

    Um abraco

     
  • At 24 de fevereiro de 2010 às 19:36, Blogger MC said…

    Lamento a atitude paternalista do Luís em relação ao Nuno, mas adiante. (Por vezes, os homens não passam mesmo de uns meninos, mas enfim...)

    Mas voltando ao tema do post: o essencial aqui não é o gesto. Na boca, na mão, isso é secundário.

    Nuno é retórico dizeres que és a favor da Obra Social, mas sob a prioridade do Evangelho. O Evangelho não ordena a outra coisa.

    "Madalena e Maria" deves estar a referir-te a Marta e Maria, as irmãs de Lázaro. São elas a expressão da tensão que temos sempre presente: Fieis à Palavra praticamos as acções da Caridade. Não são dois opostos. Complementam-se.

    E a segunda parte do comentário da Bluesmile é pertinente. Claro que é. Não vem para perturbar mas para reflectir.

     
  • At 24 de fevereiro de 2010 às 20:36, Blogger Luís said…

    Paternalista? O comentário é de quem esteve (e está) em situação idêntica e que para não viver em frustração permanente teve que abandonar o barco (so to speak).

    O comentário não é nada pertinente, é absolutamente rídiculo. Comunhão na mão como gesto de poder sobre o outro? Sinceramente... Sem qualquer contemplação pela beleza de receber a comunhão directamente de mãos consagradas. A reverência é pela Eucarista primeiro, e pelo sacerdote apenas enquanto aquele que torna Cristo presente na mesma.

    Nem vou dizer mais nada sobre isto. Isto deviam ser coisas básicas da prática da fé e não alvo de discussões pós-modernas sobre exercícios de poder. Mas enfim...

     
  • At 24 de fevereiro de 2010 às 22:16, Blogger zazie said…

    Ahahaha

    Que anormalidade essa da baba dos velhos.
    Mais um pouco e ainda saía coisa porno.

    Pois o Nuno Fonseca é bem-vindo por todas as razões e uma que é muito importante- teve a sorte de ter um bom treino conservador com os protestantes.

    Os católicos progressistas são jacobinos disfarçados. O que mais precisamos é de católicos a sério.

    Os outros sempre podem militar no BE e aproveitar a baba para colarem cartazes.

     
  • At 24 de fevereiro de 2010 às 22:35, Blogger Nuno Fonseca said…

    Querida MC, perdoe-me não aceitar essa exegese. O episódio é de Lucas 10, e reza assim:


    38 ¶ E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa;
    39 E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra.
    40 Marta, porém andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude.
    41 E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária;
    42 E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.

    Cristo preferiu a devoção de Maria de Betânia (que, segundo a Tradição, é também identificada como Maria Madalena).

     
  • At 24 de fevereiro de 2010 às 22:40, Blogger Nuno Fonseca said…

    À cara bloguista da Vida de Cadela [sic]:

    Não creio em aprofundamentos minuciosos e conspiracionistas da tese marxista, que faz de todas a expressões de genuflexão devota uma estratégia de colonização do Homem Branco Ocidental (cruzes credo!) pelo clero que permanece de pé; que tomam todo o 'ámen' como programação beata do proletariado infantilizado para obedecer ao patronato e à aristocracia do Velho Regime.

    Se quiser podemos ter mais sessões de semiótica free-style por brincadeira noutra altura, mas, por ora, limitemo-nos a compreender que a devoção dos cristãos, que replica o espírito de amor sacrificial do Messias crucificado, exige tudo dos devotos (mostrar reverência vertical para escândalo dos revolucionários da ditadura horizontal) e um tanto dos sacerdotes também - a babas e placas, e, porque não?, as lágrimas e queixumes do povo sedento e esfomeado de Graça.

    Quanto ao comentário da Ceia, e como disse no comentário anterior que não leu, não está em caso o como tomar a Comunhão (ambas as formas são válidas, legítimas e encorajáveis), mas a preocupação da Madre e o quanto revela sobre a dita 'frivolidade dos santos' que Chesterton falava. Foi mero exemplo.

    Vi um pouco do seu blogue. Acho interessante como as velhas políticas da paleomodernidade acham tantos adeptos que parecem esforçar-se para as caricaturizar por descuido ao ponto de as descredibilizar completamente e lembrar-nos por que estavam erradas em primeiro lugar.

    Keep up the good work!

     
  • At 24 de fevereiro de 2010 às 22:44, Blogger Nuno Fonseca said…

    Querida Zazie:

    Ah sim, os 'católicos alternativos'! Id est, a malta que me manteve fora da Igreja toda a minha juventude; id est, a malta que trabalha para o Purgatório; id est, hereges materiais.

    Se todos saissem da Igreja, teriamos um novo Pentecostes.

    (PS: Já temos igrejas laretas: não façamos de Roma outra. A anglicana é-o e anda a perder leigos e bispos aos milhares [sic] e, curisamente, para Roma!)

     
  • At 24 de fevereiro de 2010 às 23:23, Blogger MC said…

    (é giro quando isto entra em lógica de redondel, mas adiante)
    O que quer dizer que passo todo o resto que não isto:

    Nuno,

    antes de chegarmos aos versículos que citas, temos uma das parábolas de Jesus. (LC 10, 29-37) Deve ser lida. Não está lá por acaso. Naquele lugar exacto.
    Os textos bíblicos não são para ler isolados. É da leitura do seu conjunto que podemos chegar àquilo que nos interessa: "Quem é Jesus?"

    Assim sendo, não sei como se pode afirmar que ele preferiu a devoção/atitude de Maria. Até porque isso já é uma leitura. O texto não diz isso.

    Quanto a esta Maria ser a Maria Madalena (LC 7,37), não é expectável que o seja. Há uma corrente no Ocidente que chegou a pensar isso, mas não é aceite como provável.

     
  • At 25 de fevereiro de 2010 às 00:11, Blogger Nuno Fonseca said…

    MC,

    Não farei grande cavalo-de-batalha da identidade daquela Maria. As refutações que conheço a esta tese são sobretudo Protestantes e orientalistas. Vou optar por crer nos Padres Apostólicos.

    Quanto à passagem: repito que o que digo não foi que a Obra Social não deve existir, mas que esta está submisssa ao Evangelho, tal como Mateus 28 atesta (a Grande Comissão é evangelizar). Esta passagem, que se encontra no seu contexto inteiro aí, sempre foi lida como uma alegoria histórica da postura da Igreja (é ela uma marta ou uma maria?). Cristo diz claramente que Maria escolheu a melhor parte ao ouvir a Palavra. Leio disto que Cristo preferiu Maria por ter escolhido a melhor parte ao ouvir a Palavra. Com vês, não há imposição.

    Temos outro texto que também joga luz sobre esta questão, e que achamos em João 12:

    1 ¶ Foi, pois, Jesus seis dias antes da páscoa a Betânia, onde estava Lázaro, o que falecera, e a quem ressuscitara dentre os mortos.
    2 Fizeram-lhe, pois, ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele.
    3 Então Maria, tomando um arrátel de unguento de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés de Jesus, e enxugou-lhe os pés com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do unguento.
    4 Então, um dos seus discípulos, Judas Iscariotes, filho de Simão, o que havia de traí-lo, disse:
    5 Por que não se vendeu este ungüento por trezentos dinheiros e não se deu aos pobres?
    6 Ora, ele disse isto, não pelo cuidado que tivesse dos pobres, mas porque era ladrão e tinha a bolsa, e tirava o que ali se lançava.
    7 Disse, pois, Jesus: Deixai-a; para o dia da minha sepultura guardou isto;
    8 Porque os pobres sempre os tendes convosco, mas a mim nem sempre me tendes.

    Cá está. S. Judas Iscariotes: o santo padroeiro da teologia de libertação.

     
  • At 25 de fevereiro de 2010 às 19:16, Blogger MC said…

    Nuno,

    vamos recentrar isto. É uma falsa questão estarmos a criar uma dicotomia, ainda por cima pretensamente validada por esta ou aquela passagem bíblica, entre a Evangelização e a Obra Social.

    A interpretação da Igreja é de que a necessidade mais profunda do homem é Deus.

    Isto não impõe nenhuma hierarquização na nossa acção.

     
  • At 25 de fevereiro de 2010 às 20:23, Blogger Nuno Fonseca said…

    MC,

    Se estivesse a dicotomizar diria que não se podia fazer Obra Social e evangelizar ao mesmo tempo. De novo, não disse isto.

    Mas, para ser franco, se a Escritura não chega para demonstrar onde está a prioridade, pergunto-te, apelando ao senso-comum cristão: é mais importante salvar a alma do homem ou o seu estômago? Valeu mais aos judeus o maná do deserto ou valeu mais aos apóstolos a Eucaristia (João 6)?

    Aqui vai um auxílio audiovisual: http://www.youtube.com/watch?v=4o6LOXEZ4u4

     
  • At 26 de fevereiro de 2010 às 20:21, Blogger MC said…

    Nuno,


    lá voltamos (isto é recorrente) às leituras monocromáticas e cromáticas dos textos bíblicos.

    E à luz deles é falsa a questão entre alma e estômago. Ou corpo e alma.
    Santo Ireneu dizia esta coisa sublime: A glória de Deus é o homem vivo. E, por sua vez, Santo Inácio de Loyola diz que o homem vive para glorificar a Deus. O homem glorifica a Deus quando alimenta o corpo e quando alimenta a alma. Não há conflito nenhum nisto. Existem outros conflitos...mas deixemo-los por ora.

    O maná que os hebreus comeram no deserto, é símbolo da Aliança que Deus estabeleceu com eles no Sinai. Cristo (Jo 6, 48-51)é a Nova e sempre eterna Aliança. É para isso que o texto nos remete. Quem adere, aceita, se compromete com Cristo, participa na sua vida resssuscitada.

    Vamos brevemente celebrar a Páscoa da Ressurreição, faz por participar numa Vigília Pascal e vais ver o crescendo jubiloso que é crer no Cristo Vivo. Com a sobriedade e dignidade com que a Igreja católica vive esta celebração.

    Ps- os judeus também participam da salvação. Cristo abarca o todo humano.

     
  • At 26 de fevereiro de 2010 às 21:12, Blogger MC said…

    Nuno,

    postei também ;) um vídeo para enriquecer a nossa conversa. Se fores ao meu blogue...

     
  • At 27 de fevereiro de 2010 às 14:13, Blogger BLUESMILE said…

    Senhor Nuno:


    "Não creio em aprofundamentos minuciosos e conspiracionistas da tese marxista"

    Tem piada, eu também não crio.
    As observações que fiz nada têm a ver com "conspirações marxistas" e só mesmo uma mente bastante sinuosa e, já agora, enredada em elucobrações inúteis de neófitos deslumbrados, consegue vislumbrar retoques ideológicos num texto tão óbvio.
    Em segundo lugar, quanto às referências rácicas sobre a
    "estratégia de lambedecolonização do Homem Branco Ocidental" revelam da sua parte um problema qualquer de fundo que deve tentar resolver em sede própria ou com ajuda especializada e não em caixas de comentários...


    Posto isto, O cerne da minha reflexão, era sobre comentário anedótico de Teresa de Calcutá (que, já agora, é tão santa como eu, ou qualquer um que escrevinha neste blogue, ou seja, ainda não foi considerada santa nem sequer beatificada), que incluo claramente no anedotário católico.
    Ou seja, a frivolidade e vacuidade é um atributo que serve inteiramente a esta afirmação de Teresa, mas não a dos santos de que falava Chesterton.

    Mais que o anedotário, raia o escândalo que alguém que lida diariamente com a pobreza e a morte por abandono e doença (quem já esteve em albergues na índia sabe do que falo, outros limitam-se a escrevinhar em blogues de religiosidade dúbia) , considere que a "comunhão-na-mão" é o grande problema da humanidade, ou da fé.

    As expressões de genuflexão devota de per si nada significam de catolicidade, nem sequer de amor ao próximo ou de veneração a deus
    ( que no fundo deveriam ser uma e a mesma coisa) e o pietismo extremado quase sempre está associado a um pietismo estéril ou a um narcisismo extremo, que, em nome de uma divindade qualquer, despreza a humanidade do sentir e se limita ao formalismo óbvio. ( Parece-me que houve um carpinteiro judeu que também falou destas coisas a propósito dos ritualistas cumpridores).


    Reitero o que escrevi: a distribuição da comunhão-na-boca em nada aumenta a sacralidade do gesto, antes cria objectivamente condições em que esse gesto se dessacralize por questões tão óbvias como a higiene e o risco de transmissão de doenças infectocontagiosas.
    Se isto não tem importância nenhuma em alguns contextos, noutros tem.
    Mas, lá está , mais valia assumir a coisa e promover longos french kiss durante o "abraço da paz", entre várias pessoas , que o efeito prático é o mesmo.
    ( Devia ser nisso que a azougada Zazie fantasiava quando escreveu sobre baba de velhos e coisas porno, desengane-se querida, tais coisas não me passam pela cabeça).

    E sim, repito, lambuzar as mãos do padre ou ministro da comunhão com salivações várias que se misturam é uma inevitabilidade desse ritual.
    Em segundo lugar, mantenho o óbvio, que é o cerne da questão - a ritualidade sacramental não é apenas formal - há toda uma ideologia de poder expressa nos gestos simbólicos e na postura corporal dos intervenientes.

    Quanto a mostrar reverência vertical para escândalo dos revolucionários da ditadura horizontal, Jesus não exigiu que alguém se ajoelhasse a seus pés no momento em que distribuiu o pão na ùltima ceia.
    Aliás, não exigiu esse gesto em momento algum e tenho até a ideia que provocou escândalo ao ajoelhar-se Ele mesmo perante a nossa humanidade aflita a precisar de levagem-de-pés e não só.
    E é esse gesto de escândalo de Jesus ajoelhado perante uma humanidade esfomeada que brilha no evangelho.

    Claro que faço estas referências literalistas do livro, porque já percebi que é essa a leitura protestante da "coisa".

    E claro que não me interesso ter consigo quaisquer sessões de semiótica free-style ( nem outras), embora, ao ler o que escreve, sinta uma súbita e ultraconservadora simpatia pelos considerandos do santo ofício versus os recém-convertidos marranos.

     
  • At 27 de fevereiro de 2010 às 23:22, Blogger Nuno Fonseca said…

    O adhominem sempre será o ópio dos ressacados de argumentos objectivos. E você, além de cuspo, baba e ranho não tem mais nada para dar. Só inferências e improvisações indutivas: repito - é o método marxista (mas tinha mais piada quando era ele a fazê-lo).

    Este catecúmeno (e antes isto que apóstata - tosse, tosse) ao menos sabe que o beijar das mãos sacerdotais é o reconhecer no ministro da Eucaristia o lugar de Malquisedec, tipificador de Cristo, o Sumo Sacerdote. Velho rito judaico. A genuflexão, já agora, não é feito ao Padre, mas à Hóstia que é o Senhor transubstanciado. Foi norma inviolável nos tempos do Rito Tridentino. Put that in your pipe and smoke it.

    Agora permita-me que arreie todo esse humor escatológico cano abaixo. Se tiver algo com pés e cabeça fale. Senão, continue a danbrownizar. Mas longe daqui, sff.

     
  • At 27 de fevereiro de 2010 às 23:30, Blogger BLUESMILE said…

    ui, que o pequeno torquemada, ainda agora chegou e já babuja heresias e até gosta de beijocar mãos alheias.

    eu nada tenho contra isso, ( cada um genuflecte-se perante quem quiser, e beijoca quem gosta, estamos muito longe dos rigores calvinistas) mas seria interessante - claro que é pedir muito, eu sei - que se deixasse de referências políticas mais ou menos tresloucadas e respondesse ao que se escreve.
    talvez seja pedir muito,já percebi, cada um tem os seuus limites.

     
  • At 28 de fevereiro de 2010 às 15:47, Blogger Nuno Fonseca said…

    Também deve ter uma definição muito alternativa de 'heresia'. Acho piada ao paleio de quem apequena o neófito: é uma postura que, ironicamente, mostra pouca maturidade. É coisa de quem desconhece o episódio de S. Paulo (ex-Saulo), quando foi desaprovado por ainda-agora-cá-chegar-e-já-estar-a-dar-estalos-como-se-fosse-o-patrão-cá-do-sítio. O mesmo que disse ao timoteozinho, enquanto puto, para não dar duas abébias ao pessoal que o desdenhasse por ser mancebo. Está lá nas epístolas.

    Também acho piada que eu seja acusado por resquícios de Protestantismo por quem enche o blogue pessoal de protestos contra o Papado, em instâncias tão 'católicas' (sarcasmo) como defender a união homossexual em registo civil e o controlo da natalidade.

    Quanto a responder a questões, não dei por nenhuma, para ser franco. Para lá dos insultos ocos a conversa foi isto:

    1. V. acusou-me de pensar que a Comunhão na mão não é uma forma válida de receber o Sacramento - mas eu nunca tinha dito isto.
    2. V. disse que a genuflexão e outros actos de contrição nos ritos (Tridentino e otherwise) são formas de subordinação dos comungantes ao clero e não ao Deus que comissionou o mesmo clero - e todos aqui menos V. achamos isso irrisório, como normalmente é a reacção a inferências marxistas (lembro-lhe que a indução é uma falácia formal) gastas e desesperadas como essa.

    No geral, parece-me óbvio que não entendeu de todo o post. A frivolidade dos santos que Chesterton falava era mesmo a das paixões próprias do devoto que escandalizam o mundo (o objectar da Comunhão na mão é um exemplo prático a julgar pela sua reacção). Em todo o caso, saiba que este blogger não concorda com o todo do percurso de fé e ministério da Madre (ex: recusar baptismo e conversão a não-católicos, etc), mas nem isso é pedido para o propósito do post.

    De novo, espero algo mais táctil e num tom menos galhofeiro, se é que a ideia é ser-se compreendido.

     
  • At 28 de fevereiro de 2010 às 20:51, Blogger BLUESMILE said…

    1 - "Acho piada ao paleio de quem apequena o neófito: é uma postura que, ironicamente, mostra pouca maturidae"
    Sem dúvida. Aliás o neófito que se sente apoucado com qualquer "paleio" relativo ao seu estatuto, revela uma infantilidade néscia.
    Passo a explicar - não uso paleio , bem au contraire de certa gíria pentecostal.

    2 - "É coisa de quem desconhece o episódio de S. Paulo (ex-Saulo), quando foi desaprovado por ainda-agora-cá-chegar-e-já-estar-a-dar-estalos-como-se-fosse-o-patrão-cá-do-sítio"
    Desconhecia as cenas de pugilato pauliniano, deve ser coisa de qualquer bíblia calvinista alternativa. Assim de repente lembro-me daquela carta aos coríntios onde se fala da cena do amor e tal ( repare que estou a reduzir o discurso à condição de "paleio", que pelos vistos lhe é mais inteligível) e nem um estalo.
    Uma pasmaceira, tanto amor cristão que até se podia aplicar inteiramente ao amor de um qualquer casal homossexual.
    Se pensa que ser católico é andar por aí ao estalo, numa espécie de wrestling místico, percebe-se que ainda tem um longo percurso de conversão ( e de maturidade emocional) a percorrer.

    3 - "Também acho piada que eu seja acusado por resquícios de Protestantismo por quem enche o blogue pessoal de protestos contra o Papado, em instâncias tão 'católicas' (sarcasmo) como defender a união homossexual em registo civil e o controlo da natalidade.

    Fica o menino a saber que o controlo da natalidade (paternidade responsável) é plenamente admitida pela doutrina da Igreja católica.
    Ainda precisa de ler muito, está visto.
    Quanto ao casamento civil de casais homossexuais, fica o menino também a saber que a igreja católica não valoriza em nada o casamento civil.
    E que, ao contrário dos fundamentalistas evangélicos, a Igreja católica não condena a homossexualidade enquanto orientação sexual e até acha, (cruzes, credo) que as pessoas homossexuais devem ser acolhidas com caridade. Vá lá ler o catecismo e verá que até as suas costelas calvinistas se arrepiam de opróbio...
    ( Talvez por isso, a esmagadora maioria dos católicos, onde me incluo, não se importa que todas as pessoas tenham os mesmo direitos civis, independentemente da sua orientação sexual, pois isso em nada interfere com o sacramento do matrimónio)... Se quer ser católico, habitue-se - terá de conviver connosco.
    Se procura por aqui certezas definitivas e a rigidez dogmática de quem não tem de fazer um esforço pessoal e livre para discernir o caminho, de acordo com a sua consciência íntima, mais vale regressar à segurança da predeterminação.
    Terá de conviver com as excentricidades dos quicos, com o folclore dos focolares, com as cristotecas dos carismáticos, com os cilícios do opus dei, com as adorações a imagens marianas, com a teologia da libertação, com os amantes do latinório, eu sei, lá, a Igreja católica é tudo menos monolítica, na prática é uma espécie de albergue espanhol...

    3 - " V. acusou-me de pensar que a Comunhão na mão não é uma forma válida de receber o Sacramento - mas eu nunca tinha dito isto."
    Em nenhum lado do que escrevi existe essa acusação ( nem sequer de forma implícita), a não ser na sua mente baralhada, pelo que o aconselho a ler clamamente os posts alheios, antes de fazer "acting out".
    3- "disse que a genuflexão e outros actos de contrição nos ritos (Tridentino e otherwise) são formas de subordinação dos comungantes ao clero e não ao Deus que comissionou o mesmo clero "
    Releia novamente o texto.

    4 - "A frivolidade dos santos que Chesterton falava era mesmo a das paixões próprias do devoto que escandalizam o mundo (o objectar da Comunhão na mão é um exemplo prático a julgar pela sua reacção)."

    Como sou devota, e como não me parece que os santos estejam fora do mundo (a não ser quando morrem), não me escandalizo nada com beatices mais ou menos tontas.
    Vejo muitas.

     
  • At 28 de fevereiro de 2010 às 21:03, Blogger BLUESMILE said…

    Só para terminar, como primeira reflexão quaresmal, parece-me muiiiiiito fraquinho ( para usar
    a terminologia do gato fedorento, que lhe deve ser próxima).

     
  • At 28 de fevereiro de 2010 às 21:23, Blogger zazie said…

    mazuquéisto?

    Cá pra mim é aproximação do risus paschalis.

    (nunca comunguei mas imagino que a bluesmile comungue e leve álcool em gel para limpar as beiças e elixir para os gargarejos).

     
  • At 28 de fevereiro de 2010 às 21:32, Blogger zazie said…

    O que é que os panascas têm a ver com a cena?

    V.s já não sabem falar em revolução?

    Agora por tudo e por nada só falam em casório e maricas?

    C'um caraças- mais valia darem em anarquistas.

    Agora esta k7 dos rabetas e da famelga lgbt é cá uma coisa...

    És fufa?

    Se não és compra um cão e dedica-te à revolução animal.

     
  • At 28 de fevereiro de 2010 às 21:35, Blogger zazie said…

    E há padres assim como tu?

    A falarem em tretas de cu alternativas para desocupad@s?

    E também escrevem assim com arrobas?

    Palavra que já não digo nada. Esta treta desde que caiu o muro só exportando para Cuba ou para a Coreia do Norte, que o resto deu em fracturante à dona-de-casa americana.

    E nem traduzir sabem. Importam aqueles chavões todos lá do Império e depois falam língua de pau.

     
  • At 28 de fevereiro de 2010 às 21:42, Blogger zazie said…

    Mas, para quem é tão cheirinhas apenas por se engolir uma hóstia, não sei como não lança uma cruzada contra aquelas porcarias de sexo contra-natura em vez de chamar a isso família civil.

     
  • At 28 de fevereiro de 2010 às 21:45, Blogger zazie said…

    E olha aí, ó tolinha- nunca, desde que o mundo é mundo, existiu atribuição de parentesco por um par do mesmo sexo.

    E a um par do mesmo sexo com escravas e escravos por fora é que v.s chamam família civil para dar direitos contra terceiros, nessa gigantesca e vergonhosa mentira do casório lgbt e dos filhinhos desta trampa.

     
  • At 28 de fevereiro de 2010 às 21:47, Blogger zazie said…

    Portanto, tu enxofras-te muito com a posição de joelhos para comungar, mas defendes a escravatura e criadagem menor para fornecer filhos a bomossexuais.

    E é a essa trampa que apelidas igualdade.

     
  • At 28 de fevereiro de 2010 às 22:07, Blogger Nuno Fonseca said…

    Ok, isto é pior do que pensava...

    1.

    a) Saulo/Paulo é recebido com desconfiança após a sua conversão - Actos 9:

    19 E esteve Saulo alguns dias com os discípulos que estavam em Damasco.
    20 E logo nas sinagogas pregava a Cristo, que este é o Filho de Deus.
    21 E todos os que o ouviam estavam atónitos, e diziam: Não é este o que em Jerusalém perseguia os que invocavam este nome, e para isso veio aqui, para os levar presos aos principais dos sacerdotes?
    22 Saulo, porém, se esforçava muito mais, e confundia os judeus que habitavam em Damasco, provando que aquele era o Cristo.
    23 ¶ E, tendo passado muitos dias, os judeus tomaram conselho entre si para o matar.
    24 Mas as suas ciladas vieram ao conhecimento de Saulo; e como eles guardavam as portas, tanto de dia como de noite, para poderem tirar-lhe a vida,
    25 Tomando-o de noite os discípulos o desceram, dentro de um cesto, pelo muro.
    26 E, quando Saulo chegou a Jerusalém, procurava ajuntar-se aos discípulos, mas todos o temiam, não crendo que fosse discípulo.
    27 Então Barnabé, tomando-o consigo, o trouxe aos apóstolos, e lhes contou como no caminho ele vira ao Senhor e lhe falara, e como em Damasco falara ousadamente no nome de Jesus.
    28 E andava com eles em Jerusalém, entrando e saindo.

    b) Paulo ensina Timóteo a responder a quem desafia a sua juventude na fé a sua juventude física - 1 Tim 4:

    11 Manda estas coisas e ensina-as.
    12 Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.
    13 Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá.
    14 Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério.
    15 Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos.
    16 Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.

    2.

    a) Errado. A Igreja concede o Planeamento Familiar (desde que seja natural e livre de contracepção), não o 'controlo da natalidade' - coisas diferentes. A menos que seja muito naïve, não sei como não entende a diferença de contexto social e cultural entre os dois termos e as implicações políticas deste último. Leia a Humanae Vitae e depois venha falar comigo.

    b) O que o Catecismo diz sobre a homossexualidade não me causará arrepios, mas V. é capaz de apanhar uma pneumonia:

    §2357 CASTIDADE E HOMOSSEXUALIDADE A homossexualidade designa as relações entre homens e mulheres que sentem atracção sexual, exclusiva ou predominante, por pessoas do mesmo sexo. A homossexualidade se reveste de formas muito variáveis ao longo dos séculos e das culturas. A sua génese psíquica continua amplamente inexplicada. Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves, a tradição sempre declarou que "os actos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados". São contrários à lei natural. Fecham o acto sexual ao dom da vida. Não procedem de uma complementaridade afetiva e sexual verdadeira. Em caso algum podem ser aprovados.

    §2358 Um número não negligenciável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais profundamente enraizadas. Esta inclinação objectivamente desordenada constitui, para a maioria, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á para com eles todo sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar a vontade de Deus em sua vida e, se forem cristãs, a unir ao sacrifício da cruz do Senhor as dificuldades que podem encontrar por causa de sua condição.

    (...)

     
  • At 28 de fevereiro de 2010 às 22:08, Blogger Nuno Fonseca said…

    §2359 As pessoas homossexuais são chamadas à castidade. Pelas virtudes de autodomínio, educadoras da liberdade interior, às vezes pelo apoio de uma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem se aproximar, gradual e resolutamente, da perfeição cristã.

    (Nota: Nunca disse que os homossexuais não devem ser acatados com caridade. Anda a ler em entrelinhas. Tenho amigos homossexuais, com quem já partilhei o Evangelho.)

    3. Os santos estão no mundo, mas não são deste mundo. Leia a Oração do Sumo Sacerdote que o Filho endereça ao Pai em João 17.

    4. Não há acting-out. V. ignorou o post e começou imediatamente a cascar na genuflexão e na Comunhão na boca, defendendo a Eucaristia que Cristo ministrou aos apóstolos como forma a legitimar (como se alguém tivesse dito que era ilegítima) a Comunhão na mão. De novo, não seja naïve.

    É só? Tanto barulho para nada. Este neófito está a catequizá-la. Má posição para se estar.

     
  • At 1 de março de 2010 às 00:09, Blogger BLUESMILE said…

    Caro Nuno:

    1 - Voltando ao paulo - nada das citações bíblicas textuais de que o Nuno fez copy paste me traz nada de novo que qualquer católico não conheça.
    Não há registos de pugilato paulino,não há estalos nem wrestling, antes uma fuga atribulada de um "herético" PERSEGUIDO pelos habitais seguidores da norma.
    Às tantas Paulo tinha-se esquecido de fazer alguma genuflexão mais cuidada perante o sumo sacerdote do templo (pois) ou seja, tinha sentido na pele que o cristianismo é acima de tudo subversão e rebeldia apaixonada contra o balofo das normas rituais... mas uma rebeldia pacífica... que vai até à morte indefesa em vez de pegar em armas...

    Parece-em que é esse o caminho de damasco que ainda temos de percorrer..

    2 - A Igreja admite o Planeamento Familiar, que implica obviamente o controlo da natalidade.
    Repare que os métodos ditos naturais são contraceptivos, pois OBJECTIVAMENTE são técnicas comportamentais para impedir a contracepção. Diz até a cartilha católica mais conservadora que os tais "métodos naturais" são noventa e tal por cento eficazes para impedir gravidezes não desejadas - ora se isto não é controlo de natalidade de alta intensidade vou ali e já venho.
    Além da Humanae Vitae leia também todos os documentos de peritos e do magistério da Igreja sobre o tema antes da decisão de Paulo VI, e, já agora , toda a documentação produzida por experts e Bispos de todo o mundo que tentaram impedir a sua promulgação e depois venha falar comigo. ( Pelo caminho, alguns manuais de biofisiologia da reprodução também lhe podem ser úteis para compreender o tema em profundidade) mas aí já entrariamos noutro domínio)...

     
  • At 1 de março de 2010 às 00:13, Blogger BLUESMILE said…

    2 - Vejo que leu o catecismo católico ( alvíssaras!)a propósito das questões da homossexualidade. Esqueceu-de apenas de um pequeno pormenor que é absolutamente fulcral.
    Não são apenas as pessoas homossexuais que são chamadas à castidade, as pessoas heterossexuais também o são, e quelquer que seja o seu estado... Também os heterossexuais, pelas virtudes de autodomínio, educadoras da liberdade interior, às vezes pelo apoio de uma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem se aproximar, gradual e resolutamente, da perfeição cristã...
    Nada de novo.

    3 - Repito que, como católica praticante ( e casada pela Igreja ) não me choca absolutamente nada o casamento civil de pessoas homossexuais se se amarem em verdade e forem responsáveis pela sua sexualidade.
    Podem até ser casais fecundos (como tantos outros casais heterossexuais inférteis) e até estarem abertos à vida e à solidariedade humana.
    Quem somos nós para julgar ou esabelecer limites á humanidade dos outros?
    Há tanto potencial de egoísmo, violência e desrespeito pelo outro nas relações interpessoais que não são as questões da orientação sexual que demarcam em definitivo o que é intrinsecamente bom ou mau no amor humano.
    Veja-se o que escreve a pobre zazie para perceber do que falo.

    Compreendo que os homossexuais não possam aceder ao matrimónio católico, mas nada obsta a que tenham os mesmos direitos civis que eu tenho. È mesmo uma questão de justiça.

    È por isso a zazie não pode ser católica - pelo menos comungante - pois o seu ódio rasco aos outros é bem mais obsceno que qualquer manifestação de amor homossexual..

    E afirmo isto em qualquer lado,com grande tranquilidade interior apesar de admitir que alguns gostariam de me obrigar a descer á noite pelo muro...
    Não desço, estou aqui.

    5 - " Os santos estão no mundo, mas não são deste mundo"
    Está enganado. Os santos estão no mundo e são deste mundo. È esta a essência do cristianismo.

    6 - "defendendo a Eucaristia que Cristo ministrou aos apóstolos como forma a legitimar () a Comunhão na mão". Então se é legítima, concorda comigo. Mas eu não me limitei a essa legitimação que seria simplista, escrevi qualquer coisa de substancialmente diferente, que o Nuno decidiu ignorar... Talvez porque sendo um "neófito" um pouco imaturo (desculpe a sinceridade) se ache no direito de catequizar os católicos... ou de os meter em cestinhos.
    Eu aprendo sempre com neófitos de todo o tipo, sobretudo quendo tacteiam na busca de justificações para o fundamentalismo, aprendo até com ateus perturbados como a zazie...

    Paciência, em vez de me meter no cesto, terá de comungar comigo, se quiser ser mesmo um católico.

     
  • At 1 de março de 2010 às 01:27, Blogger Nuno Fonseca said…

    Cara BlueSmile, isto é mesmo baixo nível.

    1. 'Não há registos de pugilato paulino,não há estalos nem wrestling, antes uma fuga atribulada de um "herético" PERSEGUIDO pelos habitais seguidores da norma.'

    R: Mas quem é que falou de pugilato sequer? Donde vem você buscar essas questões? Tem a certeza que anda a ler o blog certo?

    2.
    a) 'A Igreja admite o Planeamento Familiar, que implica obviamente o controlo da natalidade.
    Repare que os métodos ditos naturais são contraceptivos, pois OBJECTIVAMENTE são técnicas comportamentais para impedir a contracepção'

    R: Não implica não. Aprenda sobre o que está a falar. Por 'controlo de natalidade' entende-se as medidas *estatais* que certo governo aplica para controlar o índice de nados vivos na nação em questão. Normalmente, ocorre em estados socialistas não-utilitários ou de direita socializante. Vem duma cosmovisão secularista e invoca velhos argumentos da Eugenia. Palavras têm conotações: compreenda donde vêm antes de as usar (ex: O eu cuidar do ambiente não me faz ambientalista; o eu apreciar a liberdade, a igualdade e a fraternidade não me faz jacobino, etc etc).

    Quanto ao Planeamento Natural ser medida contraceptiva: ganhe juízo. Não há 'contra' nenhum na concepção sob o PFN. Objectivamente nem o homem nem a mulher violam qualquer função natural dos seus corpos. Facto.

    Quanto ao clero que tentou impedir a publicação da Humanae Vitae: eram liberais/progressivos. E ninguém leva estes a sério. Magisterium dixit. Agora, comam e calem.

    (...)

     
  • At 1 de março de 2010 às 01:27, Blogger Nuno Fonseca said…

    c)'Não são apenas as pessoas homossexuais que são chamadas à castidade, as pessoas heterossexuais também o são, e quelquer que seja o seu estado...'

    R: A sério??? Pois não me diga!...

    3.

    a) 'Repito que, como católica praticante ( e casada pela Igreja ) não me choca absolutamente nada o casamento civil de pessoas homossexuais se se amarem em verdade e forem responsáveis pela sua sexualidade.'

    R: Então está em heresia material e sabe-o bem. Confesse-se.

    b) 'È por isso a zazie não pode ser católica - pelo menos comungante - pois o seu ódio rasco aos outros é bem mais obsceno que qualquer manifestação de amor homossexual...'

    R: Não está em posição de apontar a falta de caridade dos outros quando não demonstrou melhor desde que começou nesta birra ao entrar no blog. Travo e argueiro, minha senhora, travo e argueiro...

    4. 'Está enganado. Os santos estão no mundo e são deste mundo. È esta a essência do cristianismo.'

    R: Errado. Cristo discorda:

    João 17
    11 ¶ E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós.
    12 Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse.
    13 Mas agora vou para ti, e digo isto no mundo, para que tenham a minha alegria completa em si mesmos.
    14 Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo.
    15 Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal.
    16 Não são do mundo, como eu do mundo não sou.

    5. '"defendendo a Eucaristia que Cristo ministrou aos apóstolos como forma a legitimar () a Comunhão na mão". Então se é legítima, concorda comigo.'

    R: V. já nem se lembra do que escreveu quanto mais o meu post original... Não concordo com a descrição asquerosa da Comunhão na boca e a genuflexão perante a Hóstia. O debate era esse.

    §

    E já agora: essa da acusação de fundamentalismo e de abuso biblicista é o cliché mais papagaiado dos liberais/progressivos. Estão-se a marimbar para a fé, praticam o seu catolicismozito de cafetaria (pega-daqui-tira-dali), mas ainda apequenam sobranceiramente quem realmente crê no que acredita, subscreve até às vírgulas do Credo quando o diz, e é verdadeiramente baptizado no Dogma.

    Vai ter mesmo que lidar com a Escritura e o Catecismo que lhe citei. Não adianta dizer que está descontextualizado: demonstre. Não exigiria isto dum crente humilde que simplesmente vive a sua fé o melhor que pode, mas para quem fez as acusações que fez, é bom que substancie o que diz.

    E não aprecio nada esses catolicozitos culturais que remetem a Bíblia para quem quer que a saiba mais que eles (sejam evangélicos ou testemunhas-de-oxalá). Ou digam que não a conhecem e que farão por melhor a conhecer, ou não digam ou façam entender que ela não vale nada ou é indecifrável. Só afastam crentes sinceros com isso.

    A Bíblia é o texto mais Católico que conheço e foi a Igreja que no-la deu.

     
  • At 1 de março de 2010 às 01:33, Blogger zazie said…

    ó tolinha:

    Tu não sabes falar português?

    Se não gostas de batatas fritas, dizes que odeias batatas fritas, para traduzires o hate americano?

    És uma papagaia tosca.

    Responde mas é à merda que eu disse- minha estúpida- onde é que estão direitos iguais numa merda que vai dar direito a um parzinho homo a servir-se de terceiros, sem algum lugar nessa instituição pseudo-monogâmica.

    Onde é que está a defesa dos mais fracos se, em nome dessa casta que pratica sexo se pode encomendar bebés a gajas necessitadas, a troco de dinheiro, para depois os darem ou venderem a esses homossexuais?

    Onde é que está a defesa dos mais fracos se se vão usar crianças e fazê-las órfãs por mero capricho de lobby?

    Responde a isto e deixa-te de lérias.

    Quanto ao barómetro da fezada, podes enfiá-lo aí mesmo- onde a baba é sagrada.

    Mas tu és estúpida ou fazes por isso? alguém andava na blogosfera a medir a fé de cada um ou a fazer confissões virtuais, por causa dos vermes?

     
  • At 1 de março de 2010 às 01:37, Blogger zazie said…

    Olha aí, ó estúpida- eu não sou ateia.

    E também não sou monga para me converteres à religião da ditadura do politicamente correcto - que foi a única religião e a única fé que aqui deixaste.

    Percebes? Toda a anormalidade que escreveste é cabeça feita com dogmas ideológicos dessa porcaria da escardalhada fracturada.

    Mais nada. Não deixaste aqui nada que tivesse a ver com outra coisa.

    Apenas aplicaste a tabela dos chavões do BE a uma questão religiosa.

     
  • At 1 de março de 2010 às 01:43, Blogger zazie said…

    E olha aqui, ó retardada- onde é que o amor dos homossexuais é posto em causa por não serem casal a fazerem orfãos?

    Onde?

    Acaso sempre que fodes te casas? Acaso as pessoas não são gente se não se inscreverem numa trampa qualquer que as modas inventam para as enganar e proselitar em nome delas?

    Sem casório os homossexuais não têm família?

    São órfãos, como querem fazer os outros à custa dessa merda falsa que chama direitos às diferenças biológicas dos sexos?

    Onde é que eu escrevi algo que negasse a humanidade dos invertidos?

    Onde, palonça?

    Onde é que a Igreja só aceita homossexuais se se casarem, pois solteiros são gente de segunda, de acordo com os teus chavões?

     
  • At 1 de março de 2010 às 01:57, Blogger zazie said…

    E a Igreja tem tanto a ver com isto como tem a ver com a pena de morte ou com a manipulação de embriões ou até, com a defesa do planeta, entre milhares de questões laicas, tratadas pelo Poder político, em que não se põe à parte.

    Percebes? Consegues perceber que a estupidez de se dizer que o casório é laico- logo, a igreja nada tem a ver com isso, é uma mentira?

    Precisamente porque é um uso contra-natura do amor e da família que nunca poderá ser fértil sem usar terceiros e fazer órfãos.

    E tu sabes bem que quem manda é o Poder jacobino.

    E sabes bem que a legalização do casório homo não é por acaso, nem para lhes dar amor ou facilidades de IRS.

    Tu sabes que o Poder jacobino vive de leis sem moral e da letra casuística que depois implica legalizar outras coisas à tabela.

    Sem esta merda do casório homo- nenhuma mulher poderia fazer uma PMA para ter filho de pai incógnito, sem ter parceiro.

    Sem esta merda do casório homo dois homens não podiam encomendar filhos a mulheres ou sacarem-nos nos orfanatos, privando-os de terem mãe.

    E sabes que a lei das barrigas de aluguer quer ser mudada pelos teus amiguinhos da religião fracturada.

    Do mesmo modo que sabes que este casório é porta aberta para sacarem à tabela, as PMAs, por casal de fufas em que uma é estéril de esperma.

    E é a isto que chamas igualdade de direitos, sem nunca teres pensado na questão, ou pensando-a da forma mais reaccionária, hipócrita e prepotente.

    Quem defende isto é um nazi. Ponto final- foi esta a utopia dos nazis.

     
  • At 1 de março de 2010 às 02:03, Blogger zazie said…

    E é por isso que a Igreja Anglicana está a desfazer-se.

    Por ter ido atrás do mundo e de caminhar com ele para a perdição.

    E é por isso que a Igreja Católica não precisa de crentes alternativos para nada.

    Querem tomar por dentro, aquilo que socialmente já não conseguem transformar.

    Porque a escardalhada deu nisto- nesta decadência burguesa de barbies capitalistas, egoístas e ocas que vivem de causas de umbigo.

    E que, como já assimilaram toda a trampa burguesa agora querem o mundo às avessas feito pelos partidos, pelos lobbes e imposto pelo Poder do Estado.

    Foi nesta palhaçada que deram, os revolucionários de passerelle.

     
  • At 1 de março de 2010 às 03:07, Blogger zazie said…

    Fui lá espreitar o blogue desta idiota e ponto final. Aquilo mete asco. Tem por lá merdas que até o maradona chamou de autêntico filho-da-puta ao imbecil do Arrastão.

    Ao largo, que com gente desta o que mais quero é distância.

    Não há sequer conversa.

     
  • At 1 de março de 2010 às 09:56, Blogger BLUESMILE said…

    Ui que isto é mais complicado do que pensava.
    Vamos por partes:
    1 - A Igreja admite o Planeamento Familiar, que implica obviamente o controlo da natalidade. Chama-se a isso paternidade/maternidade responsável.
    Aprenda sobre o que está a falar. Vê-se que tem uma profunda ignorância sobre o tema. ( Às tantas não teve educação sexual na escola).
    a) Controlo da natalidade não é um conceito político mas um conceito clínico – trata-se do comportamento de casais que pretendem limitar (ou controlar) o número de filhos e/ou o espaço de tempo entre gravidezes sucessivas. Tão simples como isso.
    O próprio menino Nuno está a pensar fazer controlo de natalidade, pois já por aqui escreveu algures que pretende ter apenas quatro ou cinco rebentos e educá-los entre hóstias e babas. Ora isto é uma intenção declarada de fazer controlo de natalidade. Em boa verdade, a não ser que seja pouco fértil ou tenha uma qualquer disfunção sexual, o mais “natural” é ter dez, quinze ou dezasseis filhos ao longo da sua vida sexual activa. Isto claro, se não usar qualquer método contraceptivo, ou seja, de não fizer CONTROLO DA NATALIDADE.
     As palavras têm significados precisos, compreenda donde vêm antes de as usar; pode consultar o dicionário de Língua Portuguesa, é sempre um conselho útil.

    b)Quanto ao Planeamento Natural ser medida contraceptiva: é evidente que é. Há os métodos contraceptivos químicos, de barreira, comportamentais( onde se incluem os métodos naturais) e os cirúrgicos. Qualquer manual Básico de Biologia do 12 ano deve ter essa informação, Não o remeto por isso para bibliografia mias técnica que poderá ser um esforço excessivo para si.
     Os métodos contraceptivos destinam-se a impedir a concepção e a procriação num casal fértil e sexualmente activo.Dizer que um “método natural” não é método contraceptivo é apenas um eufemismo ideológico ou um malabarismo doutrinário. Trata-se de um comportamento humano sistematizado ( e até bastante complexo, veja-se o método sintotérmico ) para impedir que do acto sexual de um casal fértil resulte uma gravidez.
    c) Nos métodos contraceptivos em geral , quaisquer que sejam , (à excepção dos cirúrgicos, e, eventualmente, dos químicos), objectivamente nem o homem nem a mulher violam qualquer função natural dos seus corpos, apenas a controlam. Por exemplo, usar um preservativo não viola qualquer “função natural” do corpo humano. Mas lá está, quando se baralham conceitos biofisiológicos com cartilhas políticas e doutrinas de pacotilha fica-se confuso, não è?
     d)Diz o menino que quanto ao clero que tentou impedir a publicação da Humanae Vitae: eram liberais/progressivos. Ui que simplismo confrangedor, que analfabetismo doutrinário.
    Diz o menino que face a isto, os outros que comam e calem. Comam o quê? Que o menino goste de comer e calar é problema de almas mais dúbias, dadas aos fulgores do masoquismo. Nem toda gente é assim e a maior parte dos católicos claramente que não é.
    Com essa treta de só ter quatro rebentos criados a baba e hóstia, palpita-me que em vez de comer e calar vai passar é muita fome. Até fiquei á espera que fizesse copy paste de uma qualquer citação bíblica sobre os métodos contraceptivos “naturais” , pois os seus tiques de sola Scriptura são tão óbvios…mas nada, nadinha sobre o tema. Nem sequer a referência óbvia à proibição do onanismo 8 que não passa disso)
    e)Mas sempre vou acrescentar , que na Igreja católica há nuances interpretativas da doutrina, que permitem uma grande elasticidade existencial em fidelidade á fé, e em plena comunhão com a igreja católica, que não a da rigidez castrada do calvinismo. E diz a doutrina que, para um católico, a questão da consciência íntima bem formada prevalece sobre tudo.
    Ande – vá lá ao catecismo que esta indicação está lá, preto no branco, vá, procurar que tem de fazer o trabalho de casa e pensar um bocadinho faz-lhe bem aos neurónios.

     
  • At 1 de março de 2010 às 09:57, Blogger BLUESMILE said…

    f)Não são apenas as pessoas homossexuais que são chamadas à castidade, as pessoas heterossexuais também o são, e qualquer que seja o seu estado... Ainda bem que o descobriu. O que implica que o menino, tal como qualquer homossexual católico, tem de se manter absolutamente virgem, puro e casto, visto que é solteiro. Calculo que cumpra á risca o que exige aos homossexuais e que em nenhum momento pratique actos intrinsecamente maus , ou seja todos os actos sexuais fora da constância do matrimónio ou que não se destinem à procriação, onanismo incluído.

     
  • At 1 de março de 2010 às 10:02, Blogger BLUESMILE said…

    2 - Que venha um protestante
    dizer-me que estou em heresia material é de uma ironia encantadora mas não tem qualquer efeito prático a não ser entrar no anedotário ecuménico. Parafraseando alguém, demonstre. Não exigiria isto de um verdadeiro crente católico, que mas para quem fez as acusações que fez, é bom que substancie o que diz.
    3 - Quantos ás sucessivas citações bíblicas de copy paste (João 17,11) sobre questões complexas - são uma bocadinhos cansativas pois qualquer miúdo de sete anos que curse as testemunhas de Jeová faz o mesmo - volto a repetir-lhe que, nestas questões mais ou menos mundanas (), que implicam densidade teológica e exegese bíblica, deve estudar outras fontes se quer ser católico.
    4- Você diz que não concorda com as minha descrição da Comunhão-na-boca e a genuflexão perante a Hóstia. O debate era esse. Ah, afinal sempre havia debate.Pois era, rapazola, havia mesmo algumas questões subjacentes.
    Vai daí convocou o alter ego da zazie , essa ganda maluca, e desbocaram os dois em coprolálias explícitas sobre temas políticos e não só.
    Não tenho culpa de tanta iliteracia funcional – vá lá outra vez aos meus posts e releia o que escrevi sobre o tema e verá que em nenhum momento consegue rebater o que afirmei, limita-se a vomitar imprecações e a falar em lambecolonizações (uma palavra um bocadinho homoerótica demais para o meu gosto)

    5 - Vai ter mesmo que lidar com a Escritura e o Catecismo, mas também com os doutores da igreja, os grandes teólogos (alguns bastante recentes e com posições diferenciadas do magistério formal), os documentos do Vaticano , os textos de Bispos com opiniões contrárias, exegese bíblica contraditória, as encíclicas, a história doutrinária da igreja revista ao longo dos milénios e o próprio catecismo que teve versões tão diferentes ao longo dos séculos o que só por si explica que certas questões doutrinárias strictu sensu nada tenham de imutabilidade.
    A Igreja católica não é uma cafetaria de bairro, estamos de acordo, é mais um enorme restaurante com menus bastante variados ( volto à metáfora do albergue espanhol).
    Empaturre-se de fé e doutrina, de revelações particulares e limbos que aparecem e desaparecem, de debates teológicos
    apaixonados, de temas fracturantes e verdadeiramente revolucionários (que é isso de um judeu a falar com uma samaritana???), do Espírito que age, tantas vezes contra
    os ditames da hierarquia,
    entre e coma à vontade, que me parece que vem de um sítio onde a comida ( espiritual) era escassa..

    6 – Eu também não aprecio particularmente certos protestantezitos culturais que remetem para a Bíblia por tudo e por nada e acham que só eles é que conhecem textos bíblicos mas depois abespinham-se muito quando são confrontados com a Bíblia citada por católicos.
    A Bíblia é o texto mais Católico que conheço e foi a Igreja que no-la deu. Claro, claro...
    Mas quem fica pela leitura integralista do livro é mais ali para os lados dos muçulmanos e dos fundamentalistas protestantes, e isso conduz a uma pobreza intelectual e doutrinária atroz.
    E, já gaora, veja lá se satisfaz a zazie com caridade cristã, que tanta insatisfação histriónica da moçoila ainda acaba mal...

     
  • At 1 de março de 2010 às 10:41, Blogger BLUESMILE said…

    Uma nota final, que a minha vida não é isto - a fecundidade de um casal não é apenas biológica.
    Um casal infértil pode ser fecundo, acolher a vida e criar solidariedade humana, sem ter um único filho biológico ou sequer adoptado.

    E acho piada, sinceramente , que um blogue chamaddo trento na língua e aflora questões religiosas, abrigue nas suas caixas de comentários a mais rasca linguagem porno que circula na blogosfera.

     
  • At 1 de março de 2010 às 12:47, Blogger zazie said…

    A retardada mental não soube ressponder.

    Claro. A imbecil só sabe papaguear a cartilha e atirar com as palavras de infâmia para cima dos outros.

    Mas, em lhe perguntando onde está a igualdade e a bondade de fazer órfãos, descriminando os progenitores, a estúpida entope.

    Por isso é que não há conversa. Porque gentalha burra só sabe zurrar.

    Nem um único argumento, esta tosca foi capaz de alinhavar.

    Defende cartilhas nazis e depois a Madre Teresa de Calcuta é que era machista.

    Esta porcaria do BE é um cancro social. Quem se enfia nestas trampas se não é, torna-se delinquente e imbecil em último grau.

     
  • At 1 de março de 2010 às 12:52, Blogger zazie said…

    Olha ó retardada- já que não respondes e insultas, eu faço como tu e chamo-te nazi.

    És uma estúpida nazi que defende castas de rabetas e de fufas a usarem os imigrantes para lhes darem filhos.

    É isto que tu defendes.

    E é isto que nenhum imbecil fracturado é capaz de esconder.

    E devias espancar a tua família por também não ter feito o mesmo e a ti própria por andares uma vida sem te lembrares do casório dos homo por não ser moda.

    És uma Maria vai com as outras. Uma tolinha papagaia.

    E vieste para aqui para medir o grau de pureza dos dogmas da ditadura do BE e usas a Bíblia para essa nojeira.

    Não se pode ter duas religiões e a ideológica manda sempre mais.

    E eles são ateus militantes. Nem nessa trampa te acolhem.

     
  • At 1 de março de 2010 às 13:01, Blogger zazie said…

    Solidariedades de cu, é o que estas estúpidas sabem inventar.

    Solidariedades de merda porque estatisticamente nem um pintelho conseguiam adoptar, tal o número de casais existentes a desejarem-no e o escasso de crianças adoptáveis.

    Nem contar sabem. Até as estatísticas invertem só para venderem a ideia que ser maricas ou fufa é ser-se anjo e eleito com direito de usar os outros para os servirem.

    E doentinhas. Nascem todas doentinhas com nojo de procriarem e depois têm de ir ao médico para lhes meterem lá dentro o óvulo fecundado por fora.
    Só não têm nojo dos godmichés que usam.

    E eles agora até vão passar a pagar ordenado mínimo a amas para lhes amamentarem os filhos que compram na candonga.

    E é mesmo candonga porque já foi denunciado como essa escória militante consegue sacar crianças à má-fila.

     
  • At 1 de março de 2010 às 13:11, Blogger zazie said…

    Enfia uma trampa na cabeça quando repetes esse chavão do casal infértil que pode acolher crianças:

    Um casal- no sentido único que existe familiar- no sentido de atribuição de parentesco- só pode ser um homem e uma mulher.

    Não existe casal de 2 homens nem casal de 2 mulheres, nem léxico que os nomeie como marido e marida ou mulher e mulher; ou mãe macho e mãe fêmea, Ou pai macho e pai fêmea.


    É isto e até uma criança de 5 anos compreende.

    E é a esta aberração que querem dar direitos de uso de crianças negando-lhes o direito de terem pai e mãe.

     
  • At 1 de março de 2010 às 13:24, Blogger BLUESMILE said…

    Caro Nuno:

    Vejo que o estilo porno, mano a mano com a iliteracia mal lubrificada de vaginas disfuncionais, veio para ficar pelo Trento.
    Esperemos que a pornografia seja circunstancial neste blogue e não passe em definitivo a imagem de marca.

     
  • At 1 de março de 2010 às 13:32, Blogger zazie said…

    Portanto, comigo v.s piam baixinho.

    E sempre que despejam essa trampa da igualdade ou atiram com processos de intenção de fobias e discriminações para cima de quem é normal e defende a responsabilidade social, já sabem.

    V.s só podem vender essa trampa do casório homo falando claro, de acordo com o que, na prática querem, encostando-se à letra de forma processual.

    Têm de dizer isto com todas as letras, assim:

    «Nós defendemos a existência de castas minoritárias de gente com desvios sexuais.

    E defendemos que essas pessoas são uma elite social que deve poder usar os mais pobres e desfavorecidos e aproveitar-se da globalização para se propagar, usando os filhos dessa gente de segunda".

    Defendemos também a manipulação de embriões e as experiências dos frankenstoinos em proveito desta casta.

    E estamo-nos pouco lixando para as consequências disto nas crianças e na sociedade futura porque somos liberais e ateus e parta nós só conta o interesse egoísta de cada um.

    Quem ficar que se lixe, que a nossa agenda é mais importante que criancinhas que nem voto dão
    »

    É assim- literalmente- a trampa da "igualdade" que v.s querem- uma gigantesca mentira nazi. E uma trampa destas nunca poderia ser cristã.

    Quem a defende é um porco nazi que nega toda a mensagem de Cristo.

    (agora é assim- com esta escória tem de se falar a única linguagem que entendem).

     
  • At 1 de março de 2010 às 13:38, Blogger zazie said…

    E bem podes rabiar que andaste a chamar fraquito ao Nuno que sabe argumentar e a única estúpida que nem as suas ideias é capaz de sustentar és tu.

    Nem um argumento conseguiste alinhavar.

    Portanto, és uma aldrabona. Não vieste aqui para debater absolutamente nada mas apenas para fazeres o giro de polícia ideológico.

    E eu devolvi-te a realidade das trampas que devias ter vergonha de defender.

    Ainda por cima dizendo-te crente.

    Como tiveste o desplante de me chamar ateia sem conseguires responder às questões que eu enunciei, eu estou-te a mostrar que nazismo e ateísmo é trampa que atiraste a despropósito, aqui nas caixinhas de comentários.

    Tu é que vieste com merdas de casório homo para um post que fala exclusivamente da comunhão.

    Como entupiste por falta de argumentos, agora rabias e retribuo-te a ordinarice que escreveste.

     
  • At 1 de março de 2010 às 14:14, Blogger BLUESMILE said…

    Caro nuno:
    Estou farta de me rir com os delírios da criatura azougada que aqui aparece a substituí-lo e a verbigerar sobre temas esotéricos.

    Diga-me, precisa mesmo de alguém que responda por si, e ainda por cima deste modo tão gráfico?

    Não sei se lhe deva recomendar um exorcismo, uma dose extra de haloperidol se um dildo vibratório.
    Talvez as duas últimas opções sejam as mais eficazes para tanta convulsão discursiva delirante.

    Mas enfim , se não consegue responder ao que escrevi, assuma-o em definitivo.
    Agora mandar a doida de serviço escrevinhar sobre coisitas que nada têm a ver com o que aqui foi comentado, acho um bocadito naif.

    Enfim, boa conversão para si ( mas não em sentido freudiano)...e fico à espera de posts inteligentes.

     
  • At 1 de março de 2010 às 15:38, Blogger zazie said…

    Portanto, em te encostando à parede só sabes falar de conas e dildos.

    Estás a ver como a grunha ordinarona e estúpida és tu.

    Vieste aqui, a um post que fala da comunhão, para falares em baba de velhos e em conas e dildos.

    Foi isto. Bem podes limpar as mãos à parede.

    V.s não prestam. E tu, com a foleirice daquele template, e a seguir aquele nojo de blogues só podias ser uma idiota menor.

     
  • At 1 de março de 2010 às 15:41, Blogger zazie said…

    A estúpida a querer que lhe dêem trela e a dizer que o Nuno é que não consegue responder às anormalidades que largou.

    Tu é que és monga e nem sabes o que dizes.

    Vais ficar para aí a falar sozinha e a entreter-te com os adereços ideológicos da tua religião sexual.

     
  • At 1 de março de 2010 às 15:54, Blogger zazie said…

    As imbecilidades que babaste foram estas:

    1- «um querido amigo, lamentava ele o embaraço em que se encontra quando tem de distribuir comunhão na boca em certas comunidades mais envelhecidas,pois invariavelmente fica com as mãos cheias de saliva alheia»

    2- «Vem isto a propósito do pietismo salivar, que tem sempre qualquer coisa de degradante e desumano.»

    3- «A questão de fundo nada tem a ver com verticalidade( homem face a deus) mas de uma relação de dependência e infantilização entre um homem e outro homem.»

    4- «O cerne da minha reflexão, era sobre comentário anedótico de Teresa de Calcutá (que, já agora, é tão santa como eu, ou qualquer um que escrevinha neste blogue»

    5- « lambuzar as mãos do padre ou ministro da comunhão com salivações várias que se misturam é uma inevitabilidade desse ritual.».

    6- «Uma pasmaceira, tanto amor cristão que até se podia aplicar inteiramente ao amor de um qualquer casal homossexual.»

    7- « "Também acho piada que eu seja acusado por resquícios de Protestantismo por quem enche o blogue pessoal de protestos contra o Papado, em instâncias tão 'católicas' (sarcasmo) como defender a união homossexual em registo civil e o controlo da natalidade.»

    Voilá- o que esta “génia” da sargeta vomitou a propósito da comunhão.

    Depois passou ao insulto por nem conseguir sustentar a anormalidade do que disse e a defesa de "direitos iguais por lubricidade dos invertidos".

     
  • At 1 de março de 2010 às 15:57, Blogger zazie said…

    O pietismo salivar.

    Um tema de uma profundidade intelectual impressionante, foi do que esta pascácia se lembrou.

     
  • At 1 de março de 2010 às 16:02, Blogger zazie said…

    A ver se a imbecil não trancou os comentários lá na espelunca.

    Trancou pois e nem se atreve a linkar esta caixa de comentários.

    Fica-se pela boatice de porteira e mentira canalha.

    Esta gente não presta e felizmente que neste blogue já não existe ninguém que lhes dê trela.

     
  • At 1 de março de 2010 às 16:03, Blogger zazie said…

    Nazi és tu que defendes o uso de crianças e de gente pobre para lhes tirar os filhos e alimentar as taras de que o vosso lobbie vive, cambada de inúteis.

     
  • At 1 de março de 2010 às 16:05, Blogger zazie said…

    Nazis são v.s que oferecem aborto em vez de condições de vida para criar filhos.

    Nazis são v.s que querem o mannerbund pink nazi, por castas gay.

    Nazis são v.s que vendem a morte em vez da vida e militam por castas de privilegiados agarrados ao Estado.

     
  • At 1 de março de 2010 às 16:47, Blogger zazie said…

    Se não fosses ignorante até sabias que a missa ortodoxa também tem a partiha prósfora-

    o pão bento, dado em mão a todos os presentes.

     
  • At 1 de março de 2010 às 16:55, Blogger zazie said…

    aqui- o rito bizantino .

    Onde se beijam os ícones e se distribui a prósfora no final da liturgia, a toda a gente, sem ser apenas aos que comungam.

    Vai lá insultá-los, que esses tratam-te da saúde em 3 tempos.

     
  • At 1 de março de 2010 às 18:40, Blogger MC said…

    santa mae dos deuses, eu pus um link para aqui...

     
  • At 1 de março de 2010 às 19:34, Blogger zazie said…

    ahahahaa

    Tira-o, já que é uma vergonha.

    ":O))))))


    (deu-me para falar na linguagem deles e ficou assim. Mas é a única que entendem.

    Nem vale a pena tentar ser-se racional e forçar a raciocinarem sem chavões, porque esta gente tem a cabeça formatada.

    Só com palavras de infâmia em troca é que compreendem- fala-se em nazismo e a ver se não percebem logo a questão).

     
  • At 1 de março de 2010 às 20:11, Blogger zazie said…

    A prósfara é o antidorum do rito bizantino.

    E significa isso mesmo- um agradecimento pelos dons recebidos.

    O rito bizantino é dos mais interessantes. São duas horas em pé, sem prédica, com o oficiante e coadjuvantes fechados na iconostase.

    E, inicialmente a missa católica também era mais próxima do rito ortodoxo, feita com cânticos e sem o sermão.

    O rito é a missa e não existe religião sem ritual. Negar isto é negar o sagrado.

    O que se podia dispensar era a prédica ideológica. O sermão é uma invenção moderna que até foi mal recebida por poder ser pretexto para a vanglória da retórica do predicador.

     
  • At 1 de março de 2010 às 20:18, Blogger zazie said…

    Está aqui a prósfora .

    Já a comi várias vezes. Nunca comunguei que isso vai com o tempo, para ter verdade.

    Agora o final da cerimónia ortodoxa sim- a partilha da prósfora é mil vezes mais bonita que a bandeja a recolher o dinheiro.

    Aliás, a bem dizer, quase que prefiro o rito ortodoxo, exceptuando os ícones.

    No catolicismo os santos têm uma função mais bonita.

    Do que não gosto é do rito protestante por não ter quase sagrado, excepto o pastor hiper-valorizado.

     
  • At 1 de março de 2010 às 20:19, Blogger zazie said…

    Mas vou a missas anglicanas com coros lindíssimos de meter inveja aos nossos.

     
  • At 1 de março de 2010 às 20:35, Blogger BLUESMILE said…

    Olá M.C
    Gosto em vê-la novamente.
    De facto, estas caixas de comentários são do mais rasco que há.
    Pasmo em que o vítor escreva aqui, mas pronto,paciência de santo nem todos têm...

     
  • At 1 de março de 2010 às 20:55, Blogger zazie said…

    Pois ficaram rascas por uma rasca ter vindo para aqui com conversas de baba de velhos e conas se dildos.

    Lá isso tens razão.

    Conversas aqui só teóricas e isso não se tem com gajas burras e formatadas a venderem trampa ideológica disfarçada de religião.

    Se não fosses merdosa tinhas sabido defender-te.

    Porque tu para o insulto és pior que eu.

    O que te falta é o resto- é a estaleca para sustentar ideias. E essa, como a não tens só podes armar-te em sonsa e vítima quando a anormal foste tu.

    A ver se deslargas. O tanas. Andas para aí a roer-te toda pela coça que levaste.

    E mentes na trampa do teu blogue e fazes choradinho merdoso quando andavas para aí toda empinada a achar que o Nuno nem conseguia rebater a meia dúzia de imbecilidades que largaste.

     
  • At 1 de março de 2010 às 21:01, Blogger zazie said…

    O Vítor não é rasca nem tem medo de dabates.

    Quem teme os argumentos dos outros é que faz o que tu fazes- insulto merdoso e sexual sem conseguir rebater argumentos.

    Eu rebato primeiro as ideias e só depois é que insulto.

    Pode dar-se o caso de fazer as duas coisas em simultâneo quando a mongalhice não merece mais. Masnunca fiz foi fita birrenta de mulherzinha com mentiras e fugas por não conseguir desencantar um único argumento.

    Este debate do casório homo já o tive com o Vítor. E com mais gente, invluindo, por alto, com o Luís (para apenas referir pessoas que pensam e que blogam no Trento.

    E não foi preciso insulto. Porque toda a gente sabe que eu soi sempre intelectualmente honesta e nunca me meto a debater questões em que não m€ tenha informado e as não tenha pensado seriamente.

    É o caso desta trampa da família alternativa. Falo porque pensei o assunto e nunca sucedeu de alguém por mais inteligente que fosse mo conseguisse rebater.

    Não é o teu caso porque tu és burra e nem para ti pensaste a questão- papagueias o que o partido manda.

     
  • At 1 de março de 2010 às 21:07, Blogger zazie said…

    Com o Vitor foram dezenas de comentários seguidos. Precisamente por ele também estar a defender uma coisa pensando noutra.

    Confundido as relações amorosas com a formação de família.

    Em relação a sexo e afectos, passo. Nem sequer defendo o que defende o Nuno e o Timshel que me parece ser coisa inviável- dizer a homossexuais para serem castos.

    Isso é o mesmo que pedir a um ladrão para não roubar. Aquilo neles é desvio sexual e são mais lúbricos que os pretos.

    Se não exteriorizarem essa treta em acto sexual ainda podem dar em serial killers.

    Mas isto nada tem a ver com a trampa da família alternativa que é sujeira de merda e uso de terceiros que fede que nem bode.

     
  • At 1 de março de 2010 às 21:11, Blogger zazie said…

    E é debate que já tive com gente que até condena a homossexualidade e é bem católico mas se está nas tintas para os problemas dos filhos dos outros ou da treta social.

    Porque esses são os que se fecham na sua casinha e no seu mundinho e traçam cordão sanitário em volta.

    Esses estão-se nas tintas para as consequências de tudo o que não lhes toque.

    São a variante egoísta de v.s. Ambos o que mais querem é que o mundo se lixe porque vivem centrados no umbigo.

    A única diferença é que v.s ainda conseguem fazer a vida à grande e sacar todos os tachos, à conta da venda deste proselitismo de cu.

     
  • At 1 de março de 2010 às 21:13, Blogger zazie said…

    Eu defenderei sempre as crianças contra toda a merda que fazem sem pensar nelas.

    E esta é das maiores merdas e das mais cínicas que a decadência podia desencantar.

    E não vão ser v.s que vão cá ficar para pagarem por ela.

     
  • At 1 de março de 2010 às 21:14, Blogger zazie said…

    Crianças, animais, natureza, património, tradição- são coisas que não dizem nada a quem vive da caça ao voto.

    E são as únicas que me dizem alguma coisa.

     
  • At 1 de março de 2010 às 21:19, Blogger zazie said…

    É claro que para quem segue rititis e Womeages a Trois isto não se compreende.

    Mas até no Jugular há por lá um maluco estalinista- o Carlos Vidal- que aposto que te fazia em cacos.

    Por não ser estúpido nem ignorante e ainda ter a noção que v.s são a caricatura do ideal revolucionário deles.

     
  • At 1 de março de 2010 às 22:01, Blogger zazie said…

    phónix- enganei-me. Queria dizer o Carlos Vidal do 5 Dias.

    Não sei sequer como é possível ler-se aquela trampa situacionista e ressabiada dos ateus militantes do jugular e a maior anormalidade que existe que resume tudo o que há de merdoso- a trampa do Womenage à Trois.

    Juntar a isto a pascácia cor de cueca da Rititi, diz serve para completar a falta de gosto e de critério de quem assina como cadela.

    O Cocanha até podia ser uma boa trampa mas, pelo menos, tenho critério nos blogues que indico e sigo.

     
  • At 1 de março de 2010 às 22:03, Blogger BLUESMILE said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 1 de março de 2010 às 22:08, Blogger zazie said…

    Para tua informação. ó mongoloide fressureira- nãp fui eu que inventei o nick zazie dans le metro- foram outras pessoas que mo colocaram em miúda por acharem semelhanças, incluindo físicas com a do filme do Louis Malle.

    Portanto, imaginando uma Sally Mara derivada de zazie, por muitos anos que lhe possam cair no lombo, nunca daria numa mamalhuda fatela como querias que eu fosse.

    Para teu tormento não sou o espelho do teu template.

    ":OP

     
  • At 1 de março de 2010 às 22:09, Blogger BLUESMILE said…

    Nuno:


    Pelos frutos se conhece a árvore . Afinal a meditação do Nuno era mesmo muito fraquinha, para desembocar neste chorrilho delirante de homofobia, gerontofilia, racismo e até pedofilia ( o amor pelas criancinhas e tal...), tudo numa linguagem pornográfica bastante explícita.
    Não a tratem não...
    Se é para manterem este nível de guinchadeira aqui no blogue, sempre podem comercializar os quarenta e dois posts da frustradita para o guião de um filme pornográfico. E usar o lucro em caridade,sei lá.

    Cruzes Credo!

     
  • At 1 de março de 2010 às 22:12, Blogger zazie said…

    Se tens dúvidas, clica zazie cocanha e vê a foto canina que está no berçário do shark.

    Até vais marinhar pelas paredes como marinharam outras escardalhas feiosas que gostavam que eu fosse a imagem que as atormenta ao espelho.

     
  • At 1 de março de 2010 às 22:14, Blogger MC said…

    ó moças, vocês já repararam que tudo quanto é homem ficou pianinho? o que é que andarão eles a fazer?

    O Trento tem esta sina. De vez em quando saltam para aqui umas fumaças.

    A verdade é que a blogosfera anda uma chatice, por isso, um pouco de animação não faz mal nenhum. O que eu sei é que vocês são duas rijas. Aguentem-se!

     
  • At 2 de março de 2010 às 00:07, Blogger BLUESMILE said…

    Pois é, MC, o pobre do Nuno em vez de responder a textos que lhe eram directamente dirigidos acobardou-se e mandou a doida de serviço ao blogue para conspurcar o debate com a sua linguagem de lupanar.
    E é pena, tanta incapaciadade teológica...
    Mas já o velho Goebbels usava esta técnica terrorista,( insultar alarvemente o adversário de modo que a ssuas ideias não sejam audíveis). "A propaganda, para ser eficaz...", disse Hitler, "tem de se limitar a uns poucos elementos essenciais... expressada tanto quanto possível em fórmulas estereotipadas... repetidas persistentemente".. É natural que a discípula lhes siga as pisadas...

    Cá estarei SEMPRE, para o debate sério ... quando for caso disso e tiver antagonistas à altura.

    Forte abraço e um beijo para ti,Vítor.

     
  • At 2 de março de 2010 às 01:33, Blogger Nuno Fonseca said…

    @BLUESMILE

    1. Demorei porque ao contrário de si, tenho vida própria. A Zazie fala por ela mesma, e chega para a abafar.

    2. Não aceito as suas respostas, que são desonestas e não têm qualquer suporte bíblico nem canónico. Você não sabe do que fala e tem a falta de rectidão característica dos liberais. Não tenho que aturar as suas opiniõezitas de herege material. Fale com suporte documentado. Enquanto não o fizer, pode espernear à vontade que não terá de mim respostas.

    3. O Syllabus Errorum condena o movimento secularista eugénico, que cunhou o termo 'controlo de natalidade' - e o querer aplicá-lo tentando legitimar tal emprego pelo carácter meramente semântico do termo ao simples adiamento da gravidez é duma ingenuidade socio-política incrível. Ao dizer que o Planeamento Familiar Natural faz parte desta categoria e que é um método contraceptivo, está a contradizer claras declarações papais, como as expressas no Humanae Vitae. O Catecismo é claro:

    §2370 A continência periódica, os métodos de regulação da natalidade baseados na auto-observação e no recurso aos períodos infecundos estão de acordo com os critérios objectivos da moralidade. Estes métodos respeitam o corpo dos esposos, animam a ternura entre eles e favorecem a educação de uma liberdade autêntica. Em compensação, é intrinsecamente má "toda acção que, ou em previsão do acto conjugal, ou durante a sua realização, ou também durante o desenvolvimento de suas consequências naturais, se proponha, como fim ou como meio, tornar impossível a procriação".

    §2399 A regulação da natalidade representa um dos aspectos da paternidade e da maternidade responsáveis. A legitimidade das intenções dos esposos não justifica o recurso a meios moralmente inadmissíveis (por exemplo, a esterilização directa ou a contracepção).

    Que parte de 'intrinsecamente má' não entendeu? Ah, pois: nuance interpretativa. 'Não usar contracepção' quer dizer, no fundo, 'usar contracepção'; e 'má' quer dizer 'boa'.

    Você quer é boas desculpas para usar borrachinha.

    4. O Dogma não tem qualquer nuance interpretativa subjectiva, pois só o Magistério pode interpretar as suas proposições, e o faz objectivamente, vinculando todas as consciências a ele submissas, senão não haveria razão para existir sequer um Magistério. Isto, já agora, é Lei Canónica 101.

    5. Os comentários seguintes que aqui postar e não respeitarem os limites formais e morais que explicitei serão apagados. Você demonstra ser uma spammer. Não quero o blogue cheio do vandalismo com que nos presenteia. É um blog de Católicos e Protestantes. Não de pessoas que são denunciáveis como apóstatas segundo ambas estas confissões de fé.

     
  • At 2 de março de 2010 às 02:50, Blogger Vítor Mácula said…

    nota à redacção: o senhor Nuno Fonseca pode apagar os comentários que quiser num post seu; não pode falar em nome do blogue, nem pretender ou indicar uma excomunhão de qualquer comentador do blogue no seu todo, por apostasia ou outra coisa qualquer que não sejam revelações de dados pessoais de outrém sem consentimento deste.

    de resto, quais protestantes?

     
  • At 2 de março de 2010 às 10:08, Blogger Nuno Fonseca said…

    Não falei em nome do blogue, sr polícia. Não há 'nós' naquele 'eu'.

    Também não sei onde estão os Protestantes.

     
  • At 2 de março de 2010 às 14:28, Blogger BLUESMILE said…

    1 - "Demorei porque ao contrário de si, tenho vida própria. A Zazie fala por ela mesma, e chega para a abafar."

    Acho a sua linguagem bastante grosseira... Mas dificilmente me sinto "abafada", por alguém, muito menos por uma "senhora"( tosse, tosse) com linguagem de lupanar e "argumentos"( tosse, tosse) condizentes. De qualquer forma, congratulo-me por não se escudar em "devaneios" alheios e debater sobre temas sensíveis.

    2. "Não aceito as suas respostas, que são desonestas e não têm qualquer suporte bíblico nem canónico."
    Não é verdade, e você sabe.
    As minhas respostas estão devidamente articuladas e são bastante honestas. Talvez por isso mesmo o perturbem tanto - a verdade incomoda.
    Claro que, como católica praticante também não tenho que aturar as suas opiniõezitas de quem acusa os outros de heresia, quando material e canonicamente nem sequer é católico. ( Ri-me bastante da acusação de heresia vinda de um protestante, confesso).
    Mesmo assim dei-lhe o benefício da dúvida e dispuz-me a conversar consigo.Falei com sinceridade e reflexão pessoal, não me limitei a fazer copy paste de citações bíblicas avulsas ou copy paste de extractos do catecismo (que qualquer católico conhece mas que admito que deve ser uma descoberta apaixonante para um literalista recém-chegado, pelo que percebo a sua repetição desconexa).
    Pelo caminho, o Nuno atirou uma ou outra referência no ar, sem grande sustentabilidade doutrinária permeada de ataques ad homimem e muito "slogan" politiqueiro sem qualquer fundamento.
    Vamos então recentrar-nos na conversa em vez do ataque pessoal.

    3." O Syllabus Errorum condena o movimento secularista eugénico, que cunhou o termo 'controlo de natalidade'"
    Sim, O Syllabus Errorum condena o movimento secularista eugénico mas não o controle da natalidade, que é aceite pela Igreja Católica.
    O eugenismo é uma coisa - que todos condenamos . O controlo da natalidade é outra substancialmente diferente. Quando se misturam conceitos substancialmente diferentes ou se altera completamente o seu significado, não se está no domínio da discussão aberta e franca mas no domínio da propaganda.
    Controlo da natalidade não é um conceito político mas um conceito clínico – trata-se do comportamento de casais que pretendem limitar (ou controlar) o número de filhos e/ou o espaço de tempo entre gravidezes sucessivas. Tão simples como isso.
    O próprio Nuno está a pensar fazer controlo de natalidade, pois já por aqui escreveu algures que pretende ter apenas quatro ou cinco rebentos .

    Já agora, em nenhum momento falei do "simples adiamento da gravidez" falei do CONTROLO do número de nascimentos, ou seja, da natalidade.

     
  • At 2 de março de 2010 às 14:30, Blogger BLUESMILE said…

    4 - Em seguida o Nuno fala em Planeamento Familiar "Natural" (está entre aspas pois não há nada de "natural" no Planeamento familiar) e aqui mais uma vez, o Nuno confunde completamente a noção de controlo de natalidade com o Planeamento Familiar que são coisas usbtancialmente diferentes.
    Digamos pode fazer parte do Planeamento Familiar o controlo da natalidade. Em alguns momentos da sua vida em comum, os casais podem decidir usar métodos contraceptivos, ou seja, métodos de "regulação/controlo" do seu potencial procriativo.
    Repito - os métodos contraceptivos destinam-se a impedir a concepção e a procriação num casal fértil e sexualmente activo.Dizer que um “método natural” não é método contraceptivo é apenas um eufemismo ideológico ou um malabarismo doutrinário. Trata-se de um comportamento humano sistematizado para impedir que do acto sexual de um casal fértil resulte uma gravidez.
    E se consultar quelquer blogue católico sobre o tema poderá verificar que os métodos contraceptivos naturais são apresentados como tendo uma taxa de eficácia da ordem dos noventa e tal por cento, ( eficácia significa ausência de qualquer gravidez num casal sexualmente activo, no fim de um ano)Ora, a ser verdade, a eficácia dos métodos contraceptivos "naturais", é PRECISAMENTE igual à da pílula anovulatória.
    Sendo igual a eficácia e igual o comportamento de querer evitar o nascimento de crianças, e sendo igual até o comportamento sexual (só ter relação sexuais, quando a mulher não ovula, o que acontece quer nos métodos naturais quer na utilização da pílula anovulatória), é incompreensível para quase todos os católicos casados qualquer diferenciação moral de utilização de métodos contraceptivos.
    Pois se é intrinsecamente má "toda a acção que, ou em previsão do acto conjugal, ou durante a sua realização, ou também durante o desenvolvimento de suas consequências naturais, se proponha, como fim ou como meio, tornar impossível a procriação", não tenho qualquer dúvida que o os métodos contraceptivos "naturais" integram comportamentos deste tipo..

    5 - Então, em que ficamos?
    Na consciência íntima de cada um, no sentido de responsabilidade e no amor conjugal. Parece-lhe pouco? Parece-lhe menos importante que um parágrafo do catecismo?
    Pois é. Estamos longe do calvinismo - tudo isto tem a ver com o livre arbítrio e o discernimento interior.(È a tal dificuldade existencial em precisar de normas rígidas para se situar, como se ainda andássemos às voltas com o predeterminismo normativo).

    Já agora um pormenor técnico - que tem a ver com falta de catequese - as normas doutrinárias relativas a estas temáticas não são um dogma, longe disso...

    O Catecismo é claro sobre contracepção, mas ainda é mais claro quando fala que a última ratio normativa de qualquer católico é a sua consciência íntima, que, devidamente formada, ultrapassaa qualquer normatividade doutrinária externa. Em questões de contracepção ( natural, química, de barreira ou cirúrgica), assim como em todas as questões mais íntimas , é ISSO QUE PREVALECE acima de tudo.

    E aqui fica o articulado do catecismo, ( o tal que lhe disse para procurar e que você não conseguiu):

    §1776 "Na intimidade da consciência, o homem descobre uma lei. Ele não a dá a si mesmo. Mas a ela deve obedecer. Chamando-o sempre a amar e fazer o bem e a evitar o mal, no momento oportuno a voz desta lei ressoa no íntimo de seu coração... É uma lei inscrita por Deus no coração do homem.. A consciência é o núcleo secretíssimo e o sacrário do homem, onde ele está sozinho com Deus e onde ressoa sua voz. "

    Ah, pois: nuance interpretativa.

     
  • At 2 de março de 2010 às 14:30, Blogger BLUESMILE said…

    6 - "Você quer é boas desculpas para usar borrachinha."
    Cá está um tipo de linguagem bastante zaziana e que revela a sua infantilidade ao debater questões mais complexas ( desculpe a honestidade).
    Eu não preciso de desculpas para justificar nada. Repito apenas o que se esqueceu de ler: na Igreja católica há nuances interpretativas da doutrina, que permitem uma grande elasticidade existencial em fidelidade fé, e em plena comunhão com a igreja católica, que não a da rigidez castrada do calvinismo...
    7. "Os comentários (...)que não respeitarem os limites formais e morais serão apagados. (...)Não quero o blogue cheio do vandalismo"

    Muito folgo com isso. Calculo que a partir de agora os comentários verdadeiramente alarves e cheios de coprolália não serão admitidos.

    8 - "Não de pessoas que são denunciáveis como apóstatas segundo ambas estas confissões de fé."
    Quanto à apostasia, não me parece que o Nuno tenha qualquer capacidade subjectiva ou formal para a declarar a apostasia de quem quer que seja...,quanto a "denunciáveis" cheira-me a tiques de inquisição, mas enfim, lá diz o velho ditado católico "presunção e água benta, cada um toma a que quer"...

    Saudações cordias para todos.

     
  • At 2 de março de 2010 às 16:16, Blogger Nuno Fonseca said…

    @BLUESMILE

    Onde está a declaração papal ou pronunciação magisterial ou proposição canónica que diga que há nuance subjectiva para o leigo interpretar a Igreja e seus decretos como lhe aprouver? Minha amiga, oiça Sto Agostinho: 'Roma locuta est, causa finita est'.

    A sua postura quanto à condenação da contracepção da Igreja e o seu categorizar do Planeamento Natural como não sendo 'natural' e sendo, em si mesmo, contraceptivo é uma violação clara do Humanae Vitae e do Catecismo que lhe citei. Isto faz de si uma herege material. Só o clero poderá afirmar se você é uma herege formal. Mas é só somar 2+2 e verificar as várias nuances interpretativas que dão sempre em 4.

     
  • At 2 de março de 2010 às 17:44, Blogger MC said…

    BLUESMILE,

    da minha parte, obrigada pela forma clara e reflectida com que respondeste nestes últimos comentários.

    Qualquer crente é confrontado em última instância pela sua consciência, qualquer director espiritual avisado é isso que diz.

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:00, Blogger zazie said…

    Esta gaja é mentecapta.

    Ela é que não conseguiu alinharvar um único argumento para defender a anormalidade da família alternativa.

    E quem usa palvrões foleiros sempre com fulanização sexual dos outros é esta imbecil.

    Eu não falo nem escrevo como uma mulherzinha. E nunca entrei nessa via foleira de tecer consdierações imaginárias acerca das vaginas virtuais ou das mamas e fellatios de cada um.

    Tenho até pó a brejeirices dessas.

    Era absolutamente impossível confundirem-se os meus palvrões queneaunianos com linguagem de meretriz de esquerda.

    Chameie-lhe monga, mongolóide, retardada mental, imbecil, estúpida, nazi (uma gigantesca cedência porque nunca uso esta palavra mas vi que estava a lidar com uma retardada que só conhece estes chavões) e mais qualquer outro termo que nada tem de psicologia barata acerca da pessoa que está por trás do html.

    Os meus palavrões são coisa inofensiva e servem para todos os géneros- precisamente por eu nunca ter um registo intimista e jamais devassar a vida de cada um.

    E foi uma excepção porque nunca gosto de porradas com mulheres.

    Com o Nuno, por exemplo, estou farta de andar à pancada e até nos damos bem tendo começado assim.

    Mas o Nuno é rapaz saudável e incapaz de cenas foleiras de mulherzinha.

    Com mulheres agora até tenho tudo calminho mesmo quando não existem afinidades políticas (como é o caso da MC).

    Não gosto de galinhices e sei que a generalidade das mulheres tende para isso.

    Portanto, ponto final com esta maluca. Nem eu torno a tentar debate com quem não consegue, nem ela precisa de me usar para debater com as outras pessoas.

    Passe bem e desorelhe.

    (como se não me bastassem a quantidade de homenzinhos porteiras que por aí andam, tinha agora de ter mais uma gaja à perna.

    È que nem pouco mais ou menos. Com mulheres é só cultura e o resto- "hello, I must be going".

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:06, Blogger zazie said…

    Até tenho uma lista de palavrões no Cocanha, para quem quiser tirar as dúvidas.

    E foi o palerma do carapau de corrida que os listou e me bloqueou no Blasfémias à conta disso.

    São genuinamente meus. Não têm nada a ver com estas palhaçadas de mulherzinhas.

    Elas não chamam canibal reformado a ninguém, por exemplo e mongalhada até tem registo porque foi uma derivação que o Euroliberal fez do meu tradicional mongo e monguice.

    Nunca falei em mamas e cenas sexuais que é coisa revisteira e brejeira que me enoja.

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:13, Blogger zazie said…

    Para que não venham com tretas e poder haver engano.

    O máximo que digo quando se trata de velhos jarretas (na semântica e referência a passados do "facismo") é chamar fóssil.

    Mas mesmo um fóssil é coisa sem sexo. Não tem conotação brejeira.

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:18, Blogger BLUESMILE said…

    Caro Nuno:

    "Onde está a declaração papal ou pronunciação magisterial ou proposição canónica que diga que há nuance subjectiva para o leigo interpretar a Igreja e seus decretos como lhe aprouver? "
    Está aqui:
    §1778 A consciência moral é um julgamento da razão pelo qual a pessoa humana reconhece a qualidade moral de um acto concreto que vai planear, que está a ponto de executar ou que já praticou. Em tudo o que diz e faz, o homem é obrigado a seguir fielmente o que sabe ser justo e correcto. È pelo julgamento da sua consciência que o homem percebe e reconhece as prescrições da lei divina:
    §1780 A dignidade da pessoa humana implica e exige a rectidão da consciência moral. A consciência moral compreende a percepção dos princípios da moralidade ("sindérese"), sua aplicação a circunstâncias determinadas por um discernimento prático das razões e dos bens e, finalmente, o juízo feito sobre actos concretos a praticar ou já praticados. A verdade sobre o bem moral, declarada na lei da razão, é reconhecida prática e concretamente pelo juízo prudente da consciência.

    §1782 O homem tem o direito de agir com consciência e liberdade, a fim de tomar pessoalmente as decisões morais. O HOMEM NÃO PODE SER FORÇADO A AGIR CONTRA A PRÓPRIA CONSCIÊNCIA.Mas também não há de ser impedido de proceder segundo a consciência, sobretudo em matéria religiosa."

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:18, Blogger zazie said…

    Quanto ao debate surrealista de genufluxão tenho estado a mordê-lo.

    Aposto que nenhum sabe de onde vem essa postura.

    E nem sabem a partir de quando se representou o presépio com a Virgem e S. José a adorarem o menino de Jesus de joelhos.

    Precisamente por não saberem de onde vem essa postura.

    E não conto porque a macaquita acha-se muito culta, portanto até devia saber.

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:19, Blogger BLUESMILE said…

    Peço desculpa se incorro no erro que lhe apontei( fazer copy paste do Catecismo Católico), mas como me parece que o Nuno não aceita com facilidade leituras teológicas diferenciadas, que pode considerar "alternativas", estas indicações do catecismo católico não deixam dúvidas.
    Repare, mais uma vez, que o tema em questão ( controlo da natalidade) não é nenhum Dogma de Fé.

    Mas assim de repente lembrei-me de dois outros argumentos mais válidos, que o meu caro amigo fará a gentileza de considerar e contextualizar:

    1 - "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei(...). Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve" (Mateus 11:28-30).

    2 - "Ai de vós, fariseus, porque pagais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as outras ervas, mas deixais de lado a justiça e o amor de Deus. Vós deveríeis praticar isso, sem deixar de lado aquilo. Ai de vós, fariseus, porque gostais do lugar de honra nas sinagogas, e de serdes cumprimentados nas praças públicas. Ai de vós, porque sois como túmulos que não se veem, sobre os quais os homens andam sem saber”.
    Um mestre da Lei tomou a palavra e disse: “Mestre, falando assim, insultas-nos também a nós!” Jesus respondeu: “Ai de vós também, mestres da Lei, porque colocais sobre os homens cargas insuportáveis, e vós mesmos não tocais nessas cargas, nem com um só dedo”. (Lucas 11,42-46)

    MC:
    Obrigada pelas tuas palavras... Paz e Bem

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:21, Blogger zazie said…

    Quanto à contracepção, já houve debate muito mais giro entre o Timshel e uma neófita.

    Tenho post no Cocanha e chorei a rir com a maluqueira.

    Nestes momentos é que faz falta do bacano do CC. Esse tem um gigantesco sentido de humor é leve como uma pluma.

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:24, Blogger zazie said…

    E também nunca sabem de onde vem a cena do pecado de se deitar fora a semente.

    São coisas medievais e a piada que a Igreja Católica tem é mesmo essa- é mundo e História viva.

    Não é coisa que se resuma a cartilha reformista ou a código de leis.

    Sem se ter noções de História está-se a adulterar tudo, porque não existe uma Igreja fora do tempo- a Igreja não é um noção estruturalista.

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:25, Blogger BLUESMILE said…

    "Isto faz de si uma herege material. Só o clero poderá afirmar se você é uma herege formal. "

    Desengane-se: nem o clero afirma que sou herege formal, nem o Nuno tem capacidade +ara me declarar herege material. Sou católica e estou em plena comunhão com a Igreja e sigo o Catecismo.

    Paz e Bem

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:25, Blogger zazie said…

    Esta da genufluxão, por exemplo- é o oposto à postura do orante.

    E não sabem o motivo porque não vem na Bíblia nem no Catecismo.

    É um motivo histórico que se entrosou com a Igreja.

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:38, Blogger zazie said…

    Eu acho que é mais herege surreal...

    E digo isto do alto da minha capacidade artística.

    ":OP

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:41, Blogger zazie said…

    Já o Nuno, por este andar, ainda é canonizado em vida. E chega a Papa depois de morto.

    ":OP

     
  • At 2 de março de 2010 às 18:52, Blogger BLUESMILE said…

    Nuno:
    Ah... e já que fez uma citação de Santo Agostinho, aqui vai outra :

    "Ama e faz o que quiseres"

     
  • At 2 de março de 2010 às 19:06, Blogger zazie said…

    Essa é muito Maio de 68, pirateada da distopia do Rabelais.

    O Santo Agostinho sabia-as todas...

     
  • At 2 de março de 2010 às 19:10, Blogger zazie said…

    A noção que está implícita nessa afirmação de Santo Agostinho tem muito que se lhe diga.

    E é uma noção que até derivou em utopias milenaristas e teve o seu momento literário mais brilhante na Hipnerotomachia de Poliphily.

    É a noção de telemita.

     
  • At 2 de março de 2010 às 19:16, Blogger zazie said…

    A thelema não se entende lendo à letra essa frase.

    Santo Agostinho proferiu-a em latim:

    "dilige et quod vis fac" ("ama e faze o que tu queres").

    O sentido é muito mais complexo. Recentemente até deu origem a um grupo de maluquinhos comunitários que pretenderam recriar a abadia de Theleme do Rabelais.

    Mas a noção é complexa. Não basta papaguear-se as coisas.

     
  • At 2 de março de 2010 às 19:20, Blogger zazie said…

    O meu blogue chama-se Cocanha, inspirado na subversão rabelaisiana dessa ideia.

    E a única utopia que tem piada. Precisamente pelo facto do riso ser desarmante.

    E a thelema rabelaisiana é o primeira noção histórica da inviabilidade dessa noção. Foi ele o primeiro a desmontar as utopias com essa abadia para eruditos onde tudo era permitido, desde que se amassem.

    Santo Agostinho pegou nela noutra forma e os filhos e Maio de 68 seguiram-na na versão do Caetano Veloso.

    Hoje em dia já nem sabem nada disto. O BE é um partido de ignorantes para ignorantes idênticos.

     
  • At 2 de março de 2010 às 19:50, Blogger Nuno Fonseca said…

    @ BLUESMILE

    Não, você não segue o Papa, que condenou inúmeras vezes a contracepção, nem o Catecismo, que a define como 'intrinsecamente má'. E sim, posso afirmá-la como herege formal, tendo em conta estes pontos.

    Os textos que me mostra não falam de contracepção, como é óbvio. O fardo de Cristo é leve: mas é um fardo. É leve para quem vê no Evangelho o seu descanso. Mas implica obediência. Obediência que foi delegada a S. Pedro. S. Pedro que passou a Tradição ao clero cristão, que sempre condenou a contracepção. O pecado dos fariseus era acrescentar fardo aos israelitas (um que eles próprios não transportavam) e sem o intuito de os ajudar e trazê-los à comunhão do Templo. O mesmo Cristo disse assertivamente que o homem e a mulher, quando se unem sexualmente, formam uma só carne. Do amor de Cristo nasceu a Vida; e do amor do casamento, nasce também vida. Assim, usar contracepção equivale a cuspir a Eucaristia.

    Sto Agostinho, que não era o antinomiano que você ridiculamente quer fazê-lo passar por, também afirmou isto (perdoe-me o inglês):

    This proves that you [Manicheans] approve of having a wife, not for the procreation of children, but for the gratification of passion. In marriage, as the marriage law declares, the man and woman come together for the procreation of children. Therefore, whoever makes the procreation of children a greater sin than copulation, forbids marriage and makes the woman not a wife but a mistress, who for some gifts presented to her, is joined to the man to gratify his passion (The Morals of the Manichees 18:65 [A.D. 388]).

    You [Manicheans] make your auditors adulterers of their wives when they take care lest the women with whom they copulate conceive. They take wives according to the laws of matrimony by tablets announcing that the marriage is contracted to procreate children; and then, fearing because of your [religious] law [against childbearing] . . . they copulate in a shameful union only to satisfy lust for their wives. They are unwilling to have children, on whose account alone marriages are made. How is it, then, that you are not those prohibiting marriage, as the apostle predicted of you so long ago [I Tim. 4:1-4], when you try to take from marriage what marriage is? When this is taken away, husbands are shameful lovers, wives are harlots, bridal chambers are brothels, fathers-in-law are pimps (Against Faustus 15:7 [A.D. 400]).

    Para Sto Agostinho, o marido que tinha relações com a esposa para o único fim de se satisfazer estava a tratá-la como uma prostituta.

    Todos os autores patrísticos repetem estas admoestações contra os que já praticavam formas de contracepção no seu tempo. Mais sobre isso aqui:
    http://www.staycatholic.com/ecf_contraception.htm

     
  • At 2 de março de 2010 às 19:54, Blogger Nuno Fonseca said…

    Tendo dito isto, lembro que a Lei Canónica, o Catecismo, o Papa e a Escritura não estão cá para decorar a Santa Sé. A verdadeira humildade é submeter-se à autoridade instituída por Cristo, e na ocasião do pecado, pedir o perdão ao Deus da Graça que é misericordioso - e não fingir que o pecado não é pecado.

    Adultério, sexo fora do casamento, contracepção, masturbação e todo o outro acto sexual fora do matrimónio e que, dentro deste, viole as funções naturais do corpo para a procriação, constituem pecado mortal. Há raros casos em que existe pouca ou nenhuma culpabilidade, mas nenhum destes inclui a diluição e distorção das palavras claras do Magistérios durante 2000.

    De facto, algo que certa pessoa me disse era verdade: um bom teste para distinguir o trigo do joio e os católicos sérios com os de supermercado é mesmo a sexualidade. Quem veste as peles do lobo poderá confessar que Cristo é o Senhor, mas dificilmente deixará que isso lhe inclua os genitais.

    E, já agora, cedendo o argumento irrisório que apresenta para efeito retórico - se com a clareza que é dito nos documentos que mostrei pode-se interpretar que aquilo que é dito ser pecado mortal não é pecado mortal, que mal tem se lhe quiserem dar um tiro na testa? Pode ser simplesmente a nuance interpretativa do comungante. Por que objecta? Não me diga que é fariseia... Não sabe o que Cristo disse sobre fardo leve e Sto Agostinho sobre fazer o que se quiser? Deixe o assunto à consciência de quem tem a pistola. Isto do 'catolicismo' não tem que ver com mandamentos, decretos e encíclicas levados à letra: é só amor. E a nuance interpretativa do rapaz quanto ao amor divino implica mandar balázios na fronte.

     
  • At 2 de março de 2010 às 22:20, Blogger BLUESMILE said…

    "Não, você não segue o Papa, que condenou inúmeras vezes a contracepção, nem o Catecismo, que a define como 'intrinsecamente má'. E sim, posso afirmá-la como herege formal, tendo em conta estes pontos."
    Errado, mais uma vez. Até o PAPA SEGUE O CATECISMO DA IGREJA CATÒLICA.... que eu sigo.
    Acho muita piada à sua visão hierarquizaada do tipo empresarial de obediência, como se a divindade tivesse feito delegação de poderes emm sentido formal, nuam espécie de burocracia mística. Simplismo, simplismo e mais simplismo aliado aum certa ignorãncia da história da igreja...
    Mas, se tiver de haver uma hierarquia de obediência doutrinária acerca da valoração moral de uma conduta humana, os articulados sobre o catecismo que postei são claríssimos sobre a quem devo obEdecer em primeiro lugar - se ao papa se à minha consciência íntima, ou seja, a Deus. Está lá escrito, de uma forma INEQUÍVOCA...
    que você invoque o catecismo mas depois considere que há lá partes que não se aplicam (deve ser a tal ideia de doutrina supermercado) NÃO É CULPA MINHA...

    3 -Logo, se a sua justificação para a minha pretensa heresia "material" é essa,(tem piada jesus foi crucificado por heresia) parece-me que a sua consciência ainda está muito mal formada e tem um longo caminho catequético a percorrer.
    Já agora eu não sigo o Papa, tento seguir Jesus.

    E aqui tenho de dar razão á zazie na única coisa inteligente que escreveu até agora neste post - se o Nuno lesse um pouco mais e contextualizasse historica e culturalmente os documentos e as normas doutrinais sobre estes temas, teria interessantes surpresas e compreenderia a razão pela qual os ditames da Humanae Vitae são tão frontalmente contestados ( ou simplesmente ignorados, já que não são vinculativos nem dogma de Fé) pela esmagadora maioria dos católicos. Não apenas os católicos casados mas muitos Bispos, Padres, teólogos, cientistas, intelectuais místicos, pessoas consagradas...ou seja, pela Igreja, o corpo vivo de cristo.

    2 - "A verdadeira humildade é submeter-se à autoridade instituída por Cristo, e na ocasião do pecado, pedir o perdão ao Deus da Graça que é misericordioso - e não fingir que o pecado não é pecado."
    Totalmente de acordo.
    Mas o pecado não é apenas infringir listas de regras formais de supermercado-de-pacotilha-infernal.
    Esta concepção de pecado tem muito de farisaísmo e encontra-se em estado puro no judaísmo mais ortodoxo que condenou jesus á morte por heresia. Claro se Ele até disse que o homem não foi feito para o Sábado mas o sábado para o homem...As tais "normas" desligadas da vida concreta nada valem. Só os néscios ou as crianças ( em termos de fé) têm esta noção de pecado em listas de merceeiro.
    Mas percebo as suas inseguranças e a fuga para o facilitismo de soluções pret-a-porter. È fácil cumprir cegamente regras feitas por outros. Difícil mesmo é amar, em verdade e discernimento.
    ( E isto não é uma boutade, é mesmo assim. Por isso é que Santo agostinho tem razão. No amar é que está a dificuldade, a partir daí tudo o que fizermos fica transfigurado. Não é facilitismo, é o oposto).
    È preciso muita coragem, muito amor, muita paixão e muita vida de entrega para viver em verdade os ditames do catecismo - sobretudo os relativos à LIBERDADE PARA DECIDIR .
    Por exemplo, se alguém confunde a conotação moral do adultério com a contracepção (quando a Igreja católica aceita e promove os métdos contraceptivos "naturais")ou com o homicídio está a fazer uma grave distorção da doutrina católica e tal faltar gravemente à verdade e à caridade.
    E a nuance interpretativa do rapaz quanto ao amor divino sobre mandar balázios na fronte 8 aia estas fantasias fundamentalistas...)

     
  • At 2 de março de 2010 às 22:32, Blogger BLUESMILE said…

    Uma notazita - o preservativo não viola nenhuma função do corpo.
    Já os antipiréticos ou os analgésicos podem violar,pois interferem com os "naturais" mecanismos biofisiológicos de dor e febre. Se violar a função do corpo é pecado não tome nunca laxantes nem sequer antibióticos..

    Peca que se fartam ui...
    Ai, a falta que fazem umas aulas de educação sexual no ensino básico...

     
  • At 2 de março de 2010 às 23:09, Blogger zazie said…

    Vais no bom caminho. Começas a dar-me razão e a ver que eu escrevi uma coisa inteligente e vais ver que concordas comigo em tudo.

    Se não fores burra dás o braço a torcer porque eu sei que não escrevi coisas estúpidas e é impossível em nome de cristianismo defender-se o uso de terceiros e fazer órfãos para satisfazer caprichos.

    Mas não tem importância. Eu não preciso de aprovação.

    V.s é que precisavam de estudar mais. O caso da genufluxão, por exemplo.

    Neste da tecnica contraceptiva nem me meto porque sou apenas católica simpatizante e desmabcho-me a rir com estas patuscadas.

    Fiz um post dedicado ao Timshel que é um bacano que acha que, em entrando técnica, é tudo igual.

    Lá terá a sua razão- eu cá não sei de nada.

    Mas depois ainda tiveram um debate mais louco com a tal neófita. Aí questionava-se o sentido cristão de uma anormalidade qualquer que andava pelo pecado de não fazer sexo mas fazer filhos ou coisa assim.

    Eu gosto muito de morder de fora estas querelas bizantinas.

    Até porque sei que depois só não f**** se não puderem e deitam mão à técnica que estiver disponível.

    ":OP

    Mas é uma conversa de loucos quando já existem grupos de católicos a defenderem o aborto e a eutanásia.

    É o que se chama ver os problemas por cartilha e longe da realidade.

    A finalidade é sempre mesma- compararem purezas para poderem caminhar por cima dos outros para a santidade.

     
  • At 2 de março de 2010 às 23:11, Blogger zazie said…

    Por mim costumo dizer: vê lá não tropeces.

    Mas, bizantinices à parte em que o Nuno é pródigo, a verdade é que socialmente ele está do lado certo.

    E aí sim, podia gastar a energia porque o que mais há porcaria ideológica agarrada à igreja a contribuir para o ateísmo e jacobinismo do Poder.

     
  • At 2 de março de 2010 às 23:19, Blogger zazie said…

    Um exemplo- tu- a da vida de cadela- tens lá um nojo de uma fotografia que o Sérgio Lavos publicou naquela trampa onde escreve e que é exemplo da maior filha-da-putice.

    Aquele tipo que estica a mão para apontar qualquer coisa, na manif pela família, não está a fazer nenhuma saudação nazi.

    E é preciso ser-se pulha em último grau para a deturpar e vender esta ideia.

    E, quanto ao PNR v.s deviam era enfiar a viola no saco porque a extrema esquerda ainda hoje tem no programa partidário a tomada do Poder pelas armas.

    E, tanto o PCP como o BE são antros de ogres com passados vergonhosos que defenderam ditaduras mil vezes mais nefastas e criminosas que qualquer fascismo italiano.

    Portanto, quem se diz cristão e mente, fazendo demagogia merdosa por partidarite comuna, nem precisava de evocar legalidades de métodos contraceptivos.

    Tem que chegue de contradição nestas merdas que escreve.

    E a mim pouco me interessa se é herege ou muito católica- sei é que essas questões não são sequer dignas de um ser humano.

    (é assim, pois. Não passo por cima da trampa social que defendem. Porque essa sim, é criminosa).

    O Nuno é que apenas mede a pureza da fé. Eu cá prefiro partir a loiça quando há cretinice hipócrita.

     
  • At 2 de março de 2010 às 23:21, Blogger zazie said…

    Uma das piores coisas que a fezada pode fazer é dar a sensação que estão salvos e protegidos moralmente do mundo.

    Foi assim que todos os milenaristas passaram para lá do bem e do mal e fizeram as maiores chacinas ao longo da História.

    Em achando que apenas respondem a Deus e que está tudo nos conformes- divinizam-se e podem tornar-se nos maiores autistas e chegar a torcionários sem preocupações morais.

     
  • At 3 de março de 2010 às 00:33, Blogger BLUESMILE said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 3 de março de 2010 às 00:37, Blogger BLUESMILE said…

    Aquele tipo que estica a mão para apontar qualquer coisa, na manif pela família, não está a fazer nenhuma saudação nazi."

    Pois não.
    a)Está a dizer adeus a um aviãozinho cor-de-rosa que sobrevoa a multidão ( espera, ou será um elefante? isto das cataratas é uma maçada...se calhar era só um papagaio)
    b) Está a esticar a mãozinha à espera de ser o primeiro na fila de adopção para ter um pai e uma mãe.
    c) Está a mostrar à zazie o terço, numa espécie de exorcismo mariano ( cruzes, vade retro!).
    d) Está relembrar os belos tempos da mocidade quando desfilava na avenida com um S no cinto e a berrar ( "cá vamos, cantando e rindo...)
    e) Está a afugentar o fotógrafo com o terço, como se fosse espantar um vampiro
    f)Está a tentar engatar uma velhinha viúva devota para casarem pelo civil e constituirem a única forma de família válida, 'inda que estéril...

    Não sei, assim de repente, entre tanta alternativa parece-me mais óbvio que o catita está MESMO a fazer uma saudação nazi.

    ( desculpem todos este momento zazie)

     
  • At 3 de março de 2010 às 01:02, Blogger zazie said…

    Tu és mal-formada.

    E estúpida porque te limitaste a copiar a porcaria que o panasca miliante de lavos escreveu.

    E explica lá qual é a moral social que gente que defendeu a ditadura da URSS pode ter em relação ao PNR.

    Força- sou toda ouvidos. Conheço esses escroques e sei o passado deles.

    Conta lá o que é o BE e onde está a moral social do BE para criticar uma manif de defesa da família, quando v.s defendem o uso de gente imigrante para produzirem filhos a castas de homossexuais.

    Explica lá isto.

    Explica lá onde é que tu podes ter cara para atirar pedra seja a quem for quando tu me insultaste e difamaste na blogosfera mentindo e alterando tudo o que eu disse.

    Em nome de quê se pode defender a bondade de um capricho alimentado por lobbies mundiais -como é a Ilga e outros no género- para sacarem tachos à conta da venda do mundo às avessas.

    Explica lá onde está a igualdade de direitos sociais por se querer negar a diferença biológica dos sexos e inventar uma falsa família que depois é feita com escravos e embriões de laboratório e crianças espatifadas em nome do egoísmo e hedonismo de uma mera moda.

    Força.

    Já que tens a mania que te tornas inteligente por chamar estúpido aos outros conta lá porque motivo fugiste de argumentar comigo e preferiste a cena rasca da mentira pelas costas.

     
  • At 3 de março de 2010 às 01:12, Blogger zazie said…

    Tu só despejas chavões. Nem sabes o que foi a mocidade portuguesa e desconheces de onde deriva a saudação que é falsa e que aquele tipo não está a fazer.

    E é porco alguém partir de má-fé, sem provas e condenar por dialéctica erística os outros, fazendo de polícia da consciência alheia sem primeiro olhar para a sua.

    Tu não tens moral para falar.

    Ponto final.
    Nem tu nem ninguém que defende o uso de crianças numa mera cena de sexo transviado.

    E não é com merdas de desviar para homofobias ou grandes amores e humanismos de quem é homossexual que consegues justificar meterem crianças ao barulho e ainda legalizarem um falso casamento monogâmico quando o pai ou mãe dos filhos fica à porta dessa dita conquista.

    Aquela puta velha da mãe do panasca mor militante. O gajo que as sabe todas e é antropólo, e salta do BE para o PS para conseguir vender o pacote, deu o exemplo máximo do cinismo desta merda.

    A puta estava toda contente, frente ao televisor a dizer que filhinho já lhe deu um netinho. Quando lhe perguntaram como e de onde tinha vindo o netinho, a cabra velha disse que isso não sabia.

    Há-de ter vindo de Paris com a cegonha.

    Que vai ser assim que vão explicar ás crianças como as privaram de pai e mãe para poderem ganhar terreno nesta degradação social em que tu militas.

    E por aqui estás tramada comigo. Eu estou-me pouco lixando para ortodxias de catecismos e cartilhas mas merdas destas não deixo passar a ninguém.

    Só há duas hipóteses-

    Ou se trata de gente burra que papagueia as coisas, nem se informou e anda ao engano- caso do CBS- por exemplo- esse defende sempre todas as merdas por ter QI negativo, ou se é pérfido e filho-da-puta.

    Portanto escolhe. Ou és burra ou cabra e não há-de ser por seres católica que estás livre de ser ambas as coisas.

     
  • At 3 de março de 2010 às 01:22, Blogger zazie said…

    Sabes o que foi o mannerbund nazi?

    Conta lá. Qual fo io ideal familiar que o Hitler e nazismo defendeu.

    Se souberes explicá-lo, se souberes em que consistiram todos os mannerbunds históricos, vais ver que tens de te chamar nazi a ti mesmo.

    Tenho posts no Cocanha a falar do mannerbund.

    Basta ir lá e seguir o link em baixo onde diz isso mesmo: o mannerbund dos sobirinhos do Pato Donald. Ou as rosas das ursas.

    Parece a brincar e escrevi-os em tom de brincadeira mas indico bibliografia porque é coisa que já foi estudada.

    Vai lá ver quem é que é o nazi na histórieta do casório homossexual.

    A ver se é o tipo que estica o braço a apontar para qualquer sítio, se são os filhos-da-puta do Poder e colados ao Poder que anda a mudar as tradições sociais para imporem mannerbunds de castas.

    Força.

    Vai lá para a trampa do teu blogue cueca e linka isto que eu escrevi a ver se és capaz.

    Não és. Tu és cobardolas. Mentes pelas costas e não consegues argumentar porque sabes que não tens estaleca para isso.

    E desvias para tretas de baba e cenas de encíclicas porque isso é fácil. Isso não implica racicínio- é mera falácia escolástica.

     
  • At 3 de março de 2010 às 01:25, Blogger zazie said…

    E comigo escusas de papaguear coisas de direito canónico ou cenas para desviar.

    Eu cá não sou dessas. Tenho o meu código de honra de seita de zunddaps gamadas.

    E nunca me escudei em catalogações religiosas para protelar responsabilidades éticas.

     
  • At 3 de março de 2010 às 01:28, Blogger zazie said…

    Mas afirmo-o com todas as letras- quem se diz católico e milita pela dita família alternativa, com filhos de lésbicas, homossexuais, bissexuais e transgenders nunca poderá dizer-se cristão ou católico.

    Está-se a insultar Deus defendendo essa nojeira.

    E quem o disse foi um tipo que até é agnóstico. o v. tão idolatrado (para o que vos interessa) Savater.

     
  • At 3 de março de 2010 às 01:37, Blogger zazie said…

    Mas nem vale a pena.

    Isto é o mesmo que se falar com ETs.

    Não consigo entender esta gente. Felizmente que ao vivo é raro aparecerem-me bichos destes.

    È gente formatada que fala todo igual, usam os mesmos chavões e praticam ictos cerebrais logo nas aulas de "formação para a cidadania".

    Não dá- Sei que esta mongalhada formatada não existia em ditadura.

    Foi precisa a terraplanagem jacobina para se fabricarem robots que patrulham a consciência alheia para imporem a última réstia da ditadura comunista-

    esta- a ditadura da falsa igualdade das causas fracturantes.

    É a maior trampa que apenas dá continuidade à cagotaria de sempre.

    Os mesmos sans-culottes dos fauburgs de Paris, os mesmos pés rapados de todo imperalismo napoleónico- os mesmos fanáticos de todos os tempos.

    Os imbecis que agarram sempre a bandeira contra a Ordem e a Tradição e, nome dos amanhãs que cantam e que sem ditadura e poder não passam de eternos e ignaros cagotos de beija-cu ao bode.

     
  • At 3 de março de 2010 às 01:45, Blogger zazie said…

    Phónix.

    Vou mas é por-me ao largo daqui que não vai ser esta gaja ficar inteligente e é mais fácil estupidificar-me eu e perder tempo com o que não tem remédio.

    Que raio de anormalidade. Fala que nem uma Palmira Silva, papagueia que nem uma Côncia ou aquelas psico amalucadas que dizem que a natureza não tem rigorosamente nada a ver com o casamento" e depois ainda molha esta trampa em água benta.

    Esta gente quer fazer do catolicismo a justificação moral para o que só existe por ser imoral.

    Querem enfiar a ideologia dentro da religião.

    E depois alimentam a cruzada com o eterno papaguear dos mitos do "facismo".

    Daqui a 300 anos ainda hão-de andar a falar na Mocidade Portuguesa e no perigo da reacção que pode vir aí e acabar com a bondade da democracia de esquerda.

    Como se escardalhada alguma vez no mundo tivesse a ver com democracia ou liberdade.

     
  • At 3 de março de 2010 às 10:23, Blogger BLUESMILE said…

    Ena, fala-se em nazismo e a zazie fica à beira da apoplexia histérica, com a linguita (ou será o teclado??) a escorrer fecalomas... na defesa da mocidada portuguesa... poiis claro,
    Ui, que medo!(vade retro satanás, tarrenego belzebu, ai jesus, cruzes, canhoto, lagarto, lagarto, lagarto,e mais cinco jaculatórias seguidas,
    que querem, mal ponho os olhitos no que esta microcéfala escreve, sinto-me logo tãaaaaao tradicionalista que até rezo em latim....)

     
  • At 3 de março de 2010 às 13:27, Blogger zazie said…

    Esta imbecil só sabe fazer isto.

    Pois olha- embrulha lá mais esta.

    Qual é a diferença entre um braço esticado com um crucifixo na mão e um punho erguido?

    Explica lá as consequências de ambas as simbologias e qual matou mais.

    Força- que tu és mongolóide e só vives de paranóias maniqueias por cartilha.

    Um punho erguido pode ser um gesto tão ou mais vergonhoso que um braço esticado.

    Embrulha, palerma. Contigo só a pontapé porque és cabra cínica.

    A tua mocidade havia de ser a dos guardas vermelhos a colocarem cangas no pescoço de todos os que saíam da ortodoxia.

     
  • At 3 de março de 2010 às 13:30, Blogger zazie said…

    A escardalhada julga que é detentora de alguma superioridade moral por ter gestos de infâmia que levaram ao extermínio de milhões de pessoas.

    E acha-se acima da crítica pelo único facto de por cá terem querido fazer disto uma Cuba europeia e ainda hoje contarem a História do lado dos vencedores.

    Mas tenho a certeza que a estúpida nunca se lembraria de colocar uma fotografia com imbecis de punho erguido e chamar a isso um gesto de ingnomínia.

    Até porque os actos que ela defende é que são vergonhosos. E esses não existem à conta de um terço pendurado numa mão com braço levantado.

     
  • At 3 de março de 2010 às 13:38, Blogger BLUESMILE said…

    Há muito tempo que não me ria tanto... Estas caixas de comentários assinadas pela zazie fazem o "Escarrador de David Motta" parecer um blogue de teologia...

     
  • At 3 de março de 2010 às 14:28, Blogger zazie said…

    ris-te de quê?

    Só se for de ti própria e da tua incapacidade de responder ao que quer que seja.

    Como não gosto da prática da bola na trombone do funâmbulo de feira, vou deixar-te para aí sozinha a pedir o bolachada a quem passa.

    De mim, caput. Não há mais bolada à funâmbula.

    E não é por misericórdia, pois tu gostas de apanhar, é por tédio.

     
  • At 3 de março de 2010 às 14:47, Blogger Nuno Fonseca said…

    @Zazie

    É excusado. Ela simplesmente ignora o que não sabe responder e segue em frente repetindo mantricamente o que já tinha dito antes.

    Hopeless.

     
  • At 3 de março de 2010 às 16:35, Blogger BLUESMILE said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 3 de março de 2010 às 16:37, Blogger BLUESMILE said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 3 de março de 2010 às 16:39, Blogger BLUESMILE said…

    Caro irmão Nuno:

    Claro que ignoro a zazie, não perco tempo com mentecaptas com estereotipias verbais, incapazes de alinhar um raciocínio. È uma questão de QI.

    È uma pobre alma, devemos ter compaixão.

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here