quarta-feira, outubro 29, 2008
Ser santo, hoje
Não é uma questão de «querer» ser santo (…) É-se «chamado» por esse Espírito que, «com gemidos inefáveis» (Romanos 8, 26), clama em cada crente: «Abba, Pai» (Gálatas 4, 6).
Sem este grito do Espírito no mais íntimo do crente, clamor tantas vezes ignorado pelo próprio, nenhuma santidade é possível – porque este é o grito da conversão, o grito do pródigo ansiando pela casa do Pai.
E só o pecador consciente do seu pecado escava suficientemente em si para libertar as profundidades de onde se eleva o clamor inefável do Espírito – esse grito humanamente indizível, capaz de libertar o coração do homem e rasgar o coração de Deus, fazendo-O derramar-Se em torrentes de misericórdia e perdão.
Eis por que o chamamento à santidade feito a cada crente é, em primeiro lugar, um apelo à misericórdia de Deus – apelo sempre atendido, mas nem sempre correspondido.

A santidade não é coisa pouca. Precisa, no entanto, de pouca coisa da nossa parte.
(…)
Descobrir o Espírito Santo e iniciar uma relação pessoal com Ele inverte os dados do problema, pois a tarefa revela-se de Deus. Ao crente cabe-lhe deixar brotar no seu íntimo o grito do Espírito.
Se o fizer, entrará numa luta sem tréguas – consigo e com o mundo; mas quem batalha é o Espírito Santo nele, com «gemidos inefáveis».
Enquanto assim for, só poderá haver um vencedor. E será possível ser santo, hoje.
Elias Couto

“Assim também: que a vossa luz brilhe diante dos homens, para que vejam as boas obras que fazeis e louvem o vosso Pai que está nos Céus” do sermão da montanha em Mateus 5, 16
O que é um Santo?

É um homem que brilha quando a Luz o atravessa
cbs
posted by @ 9:43 da tarde  
6 Comments:
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here