segunda-feira, julho 07, 2008
Húmus
A verdade é que uma das minhas maiores ilusões é a vaidade. Por isso gosto tanto da estória do monge que se deita à frente da porta da igreja à hora do culto, para todos o pisarem quando entrassem, até ao penúltimo, levantando-se e entrando por último para a celebração. É a oscilação e o balanço do funâmbulo cristão. A humildade, é evidentemente uma forma de vaidade.Há uma vaidade na vontade, na ideia de cristianismo, um orgulho de santidade – que anula o seu fundo.
Não tem saída, isto.
Sem Ele, estamos feitos ao bife. (Quero dizer, estou.)



Nota: suspende-se aqui a actividade bloguística, com tenção de regresso a 6 de Outubro, se a morte, certa sabedoria ou loucura qualquer – não vierem desviar todo o resto. Abreijos a todos, e bons ócios, trabalhos, transfiguração de ambos. Deo gratias.


Vítor Mácula
posted by @ 1:26 da tarde  
5 Comments:
  • At 7 de julho de 2008 às 18:55, Blogger MC said…

    querido mano, não sei se já abalste... mas, de qualquer modo, aqui fica o recado.

    Ontem, na liturgia da palavra, comungávamos:"Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração..."

    Na vida da Igreja e na vida pessoal dos crentes, têm-se interpretado muito mal estas palavras.
    Isto não é um apelo à mansidão, à obediência dos poderes temporais. É um apelo à conversão. O mesmo de que fazes eco com outras palavras.

    Hoje achei graça com um encontro que tive. Uma jovem a quem eu dei uma vez uma seção de catequese (há muitos anos) e que dentro das muitas centenas que dei ao longo da vida permaneceu na minha memória. Era início da quaresma e eu apelava ao exercício da conversão a que esse tempo é especialmente propício (estas coisas não têm tempos, mas há apelos temporais mais fortes). Ela depois de me ouvir, disse o óbvio para qualquer pessoa, mas que por ser dito por uma criança de oito anos, foi mis interpelante:"vamos tentar..." :)

    Não é por sermos adultos que isto deixa de ser verdade. Tentamos...

    beijos e descansa :)

     
  • At 7 de julho de 2008 às 23:14, Blogger cbs said…

    "Há uma vaidade na vontade, na ideia de cristianismo, um orgulho de santidade – que anula o seu fundo"

    volto a concordar contigo, mas sob condição, a humildade só é uma vaidade, se não vier do Amor de Deus.
    Lembro-me da entrega de S. Francisco "Senhor,que quereis que eu faça?" ou da ambição determinada em fazer bem de Teresa de Calcutá. Nem sempre, acho eu, a modéstia é orgulho... só o é quando se mede a si mesma, já agora ;)

    mas, já deves estar para além, bom descanso mano, até Outubro
    um abraço

     
  • At 8 de julho de 2008 às 09:18, Blogger Pedro Leal said…

    Um abraço.

     
  • At 8 de julho de 2008 às 12:35, Blogger Vítor Mácula said…

    sim, dá ideia que a vida é algo que se conjuga sempre no gerúndio ;)

    beijos e abraços

     
  • At 9 de julho de 2008 às 01:38, Blogger zazie said…

    beijocas e boas férias

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here