sexta-feira, junho 01, 2007
O fundamentalista de direita pede um esclarecimento
O doce Timshel vem sustentar enfaticamente que o cristianismo é de esquerda porque Cristo disse que todos os homens são irmãos. Passando à frente do apetitoso padrão de firmeza ideológica em questões políticas e moleza contemporânea em questões teológicas, gostava que o Timshel me indicasse onde Cristo ensina que todos os homens são irmãos.

Tiago Cavaco
posted by @ 6:28 da tarde  
71 Comments:
  • At 1 de junho de 2007 às 18:57, Blogger cbs said…

    Ó Tiago?! essa é boa...
    então Ele não refere sempre "O Pai", e não nos deu para orar o Pai Nosso?

    kék'eu ando a dizer há que tempos, quando digo "Pai Nosso"?
    deveria dizer Pai Teu?

     
  • At 1 de junho de 2007 às 19:07, Anonymous apóstata said…

    O Sr. Tiago perdeu efectivamente uma gloriosa oportunidade para estar calado...

     
  • At 1 de junho de 2007 às 19:31, Blogger José Leal said…

    No que ao português diz respeito:

    Pai Nosso é diferente de sermos todos irmãos.

    Os níveis de pertença não são iguais, parece-me.

     
  • At 1 de junho de 2007 às 19:49, Blogger CC said…

    Mas vós não vos façais chamar rabi, porque um só é o vosso preceptor, e vós sois todos irmãos. (Mateus, 23:8)

    Perguntar-lhe-ão os justos: "Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber?
    Quando foi que te vimos peregrino e te acolhemos, nu e te vestimos?
    Quando foi que te vimos enfermo ou na prisão e te fomos visitar?"
    Responderá o Rei: "Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes". (Mateus 25:37-40)

     
  • At 1 de junho de 2007 às 20:33, Blogger cbs said…

    então somos o quê? primos :)

     
  • At 1 de junho de 2007 às 20:41, Anonymous apóstata said…

    É que às vezes não dá mesmo jeito nenhum...
    Irmão do cigano, do sem-abrigo, do "inimigo", da Lili Caneças, do arrumador de carros? YACK!!!

     
  • At 1 de junho de 2007 às 20:48, Blogger Antonius Block said…

    Realmente que nós somos irmãos parece-me evidente... Até é assim que nos dirigimos uns aos outros muitas vezes (em contexto cristão).

    Se calhar o Tiago referia-se a irmãos fora do contexto cristão... Mas mesmo aí, mesmo que haja quem não tenha a Deus como Pai, nem por isso Ele deixa de ser seu Pai e logo, não deixam essas pessoas de ser nossas irmãs julgo.

     
  • At 1 de junho de 2007 às 21:54, Blogger Hadassah said…

    Pois... esquecem-se que há os Filhos de Deus e as criaturas de Deus...

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:05, Blogger Antonius Block said…

    Sim Hadassah, mas o filho pródigo deixou de ser irmão do filho mais velho enquanto esteve ausente de casa do Pai?

    No fundo todos viémos da casa do Pai, e toda a conversão é retorno. A partir do momento que ele nos cria a todos na nossa Humanidade, não seremos todos irmãos? (não irmãos na Fé claro, que é digamos que uma forma ainda mais sublime de irmandade!)

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:07, Blogger zazie said…

    criaturas de Deus é tudo, gente e bicharada inclusive. É um conceito muito mais bonito.

    Dew resto, quanto a parentesco, dentro da visão religiosa não há alternativa, se não é mano de gente, é mano de macaco ou de porca...

    ":O?

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:07, Blogger zazie said…

    Tirando a descendência do bode, é claro...

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:10, Blogger zazie said…

    Dizer o contrário só pode ser jutificado por alguém que se coloque no lugar divino. A partir daí é que pode explicar os que exclui ou inclui na descendência.

    A isso chama-se soberba ou relativismo.

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:11, Blogger zazie said…

    ou luta de classes...

    ":O+

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:12, Blogger Antonius Block said…

    Essa agora zazie...

    Os judeus não são cristãos e não me parece que a Bíblia os torne equivalentes aos porcos...

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:15, Blogger zazie said…

    ahahahaha

    Eu estava a brincar.Nem me lembrei dos judeus.

    Estava a brincar por a Hadassah ter introduzido o conceito de Criatura.

    Criaturas de Deus são os bichinhos e todos nós, na acepção mais antiga da Igreja Católica. Quando falei em macaco ou porca nem me lembrei do islão ou dos judeus, foi mesmo exemplo de animal.

    So com o bode é que foi boca para os endemoninhados

    ";O)

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:17, Blogger Antonius Block said…

    E até os muçulmanos respeitam os povos do Livro, e se há alguém que não é relativista são eles. É coisa que admiro no Islão, aliás há outras coisas que admiro no Islão (eles têm por exemplo o único verdadeiro iconoclasmo (o protestante é uma piada, Lutero achava que imagens não música sim, Calvino achava que "ah bom isso música só às 3ª, 5ªs, domingos e quando o rei fizer anos" e o Zwingli achava abominável, e os anglicanos têm tantas imagens e música como qualquer igreja católica) monoteísta, e precisamente por ser tão puro é que paradoxalmente gerou correntes tão místicas (e os nichos de oração e arte islâmica em geral é espiritual e líndissima).

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:19, Blogger zazie said…

    Não há alternativa religiosa que consiga justificar o pergunta do Tiago.

    Nenhuma. A ideia de criatura é a de Criação: toda a vida criada por Deus.

    Dentro das criaturas humanas não há separação. Muito menos no sentido das postas- em haver irmandades apenas partilhadas entre gente de sucesso e ficarem os pobres de fora.

    Por isso é que gozei com a noção de luta de classes. Se não for esta ou da castas, a religiosa é de irmandade. E não há hipótese de alguém vir estabelecer barreiras e dizer que são todos iguais, excepto os que são mais iguais que os outros.

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:21, Blogger zazie said…

    exactamente! não há ninguém que diga o contrário.

    Por isso é que nem se entende a tentativa de contra-argumentação do Tiago.

    Não tem ponta por onde se pegue.

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:23, Blogger Antonius Block said…

    errata: O Zwingli achava que música sim mas instrumentos musicais não (à ortodoxa). Parece que com a Nova Aliança, louvar o Senhor ao som da cítara passou de moda...

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:26, Blogger Antonius Block said…

    Aqui vem defeituoso catecismo para vocês uma vez mais:

    Artigo 361:

    «Esta lei da solidariedade humana e de caridade», sem excluir a rica variedade das pessoas, das culturas e dos povos, assegura-nos que todos os homens são verdadeiros irmãos.

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:26, Blogger zazie said…

    O Zwingli ainda conseguia ser mais passado que os outros.

    Aquelas oscilações entre o puritanismo mais feroz; os banquetes da Quaresma ou as desbundas durante um ano com a poligamia oficializada são coisas malucas.

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:29, Blogger zazie said…

    O melhor argumento foi o do cbs. O mais simples e mais certeiro: se não é Pai Nosso, como é? é Pai Teu?

    Realmente, só o Euzinho é que podia decidir ahahaha

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:33, Blogger Antonius Block said…

    No entanto, aqui os nossos amigos têm um estatuto especial:

    Artigo 818

    Os que hoje nascem em comunidades provenientes de tais rupturas (nota minha: protestantes), «e que vivem a fé de Cristo, não podem ser acusados do pecado da divisão. A Igreja Católica abraça-os com respeito e caridade fraterna [...]. Justificados pela fé recebida no Baptismo, incorporados em Cristo, é a justo título que se honram com o nome de cristãos e os filhos da Igreja Católica reconhecem-nos legitimamente como irmãos no Senhor».

    Artigo 819

    Além disso, existem fora das fronteiras visíveis da Igreja Católica, «muitos elementos de santificação e de verdade»: «a Palavra de Deus escrita, a vida da graça, a fé, a esperança e a caridade, outros dons interiores do Espírito Santo e outros elementos visíveis». O Espírito de Cristo serve-Se destas Igrejas e comunidades eclesiais como meios de salvação, cuja força vem da plenitude da graça e da verdade que Cristo confiou à Igreja Católica. Todos estes bens provêm de Cristo e a Ele conduzem e por si mesmos reclamam a «unidade católica».

    Engraçado o Catecismo ser criticado pelas tendências liberais na Igreja... é que ele foi-o em muito maior grau pelas tendências conservadoras pelo seu suposto relativismo!

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:35, Blogger Antonius Block said…

    zazie,

    "O melhor argumento foi o do cbs. O mais simples e mais certeiro: se não é Pai Nosso, como é? é Pai Teu?"

    Por acaso não me pareceu, por uma razão muito simples. Essa oração é uma profissão de fé por parte de quem a faz. É a oração comunitária de quem se reconhece como filho de Deus. O Nosso do Pai Nosso poderia muito bem só dizer respeito àqueles que O professam como tal, e daí até o especial enfâse no nosso (senão poderia até ser "Pai que estás no Céu). Percebo o que o cbs quis dizer, mas isso só por si não invalida o que a Hadassah disse...

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:40, Blogger cbs said…

    Tiago
    tu sabias...
    sabias que era uma pergunta sucesso, lol

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:49, Blogger zazie said…

    Sim, mas aí, se não é filho de Deus é do Diabo, E nada do que vinha dos postes anteriores se referia a isso.

    Estava-se a falar entre ricos e pobres e os pobres não são filhos do Diabo por serem pobres, né?

    A noção de Criaturas implica incluir todos os seres vivos.

     
  • At 1 de junho de 2007 às 22:50, Blogger zazie said…

    E com esta treta voltamos à predestinação divina. Há os que nasceram para serem escolhidos os escolhidos para serem exemplo oposto.

     
  • At 1 de junho de 2007 às 23:58, Blogger Hadassah said…

    Precisamente Antónious...aí está a diferença no "nosso" Pai...

    Mas vocês acham que um adorador de outro Deus que não o nosso, pode ser considerado Seu Filho?

    João 1:12 "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome; "


    Romanos 8:14 Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus.

    Romanos 8:17 Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados.

    Gálatas 3:26 Pois todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus;

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:06, Blogger zazie said…

    Que outro Deus????!

    Há vários deuses, é isso, Hada?

    E nós é que determinamos os que são filhos do único porque os outros são filhos de outro Deus?

    esta agora teve piada...

    ahahaha

    tanta volta para justificar o injustificável e cai-se na multiplicação de Genesis

    ":O)))))

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:08, Blogger zazie said…

    são os tais filhos de um deus menor.

    Numa série de Criações paralelas

    ":O))))

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:10, Blogger zazie said…

    Daí a voltar-se à divisão das criaturas em puras e impuras não falta muito.
    E lá vai sobrar para as ursas e para as javardas.
    As danadas que só pensam nisso mesmo quando estão grávidas

    ":O?

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:23, Blogger Hadassah said…

    Zazie...não posso considerar alguém que segue o Budismo, o Confucionismo, o Taoísmo, o Panteísmo, o Animismo, o islamismo, etc...e por aí adiante como meus irmãos em Cristo... e provavelmente eles até me agradecem...e todos os outros que não querem nada com Deus...

    Admito que possamos todos ser irmãos na "carne" ... no pecado...em "espírito" está fora de questão!


    Mas não deixo de apreciar a boa vontade do Tim, o desejo de igualdade para toda a humanidade.

    Deus ensina-nos a amar o próximo como a nós mesmos...não nos pede que amemos só os nossos irmãos espirituais...isso era muito fácil.

    Pede-nos até para amar os nossos inimigos!

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:25, Blogger Antonius Block said…

    zazie,

    Mas atenção que "se alguém está em Cristo é uma nova criação" (Coríntos, sem paciência para consultar o versículo :P). Esqueces-te do carácter sacramental do baptismo. O baptismo é efectivamente uma nova criação...

    A questão aqui é outra:

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:32, Blogger Antonius Block said…

    Pelo baptismo somos feitos verdadeiramente filhos de Deus à imagem do próprio Cristo. É uma partilha da própria condição de Jesus, e é tratar o nosso Deus por pai. O baptismo faz de nós nova criação efectivamente, passando de homens e mulheres somente para filhos de Deus à imagem do próprio Cristo.

    Neste sentido, faz todo o sentido a distinção da Hadassah:

    Pois... esquecem-se que há os Filhos de Deus e as criaturas de Deus...

    Agora atenção... Antes do baptismo eramos todos tal e qual essa multidão de seres humanos. A nossa condição foi e é também a humana, marcada pelo Pecado Original. A separação hermética de filhos de Deus, criaturas de Deus para outro é que é perniciosa... Nós além de criaturas de Deus tornámo-nos também filhos d'Ele. Mas todos os outros humanos partilham a nossa condição de pecado, de capacidade de O conhecer e de serem nova criação em Cristo. Isso faz deles qualquer coisa de muito diferente de uma galinha ou de uma avestruz. Não são irmãos em Cristo, mas são verdadeiramente nossos irmãos, partilhando da nossa condição original. E era nesse sentido que o tim falava, por isso é que me pareceu pouco apropriada a crítica do Tiago.

    São Francisco de Assis até chamava de irmão ao Sol, aos animais e às plantas. Não se trata de panteísmo, nem do mesmo tipo de irmandade dos filhos de Deus, mas de sermos todos criação do Deus vivo. Essa irmandade é bonita e fundamental, e não deve ser descartada por visões demasiadamente legalistas dos preceitos evangélicos.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:32, Blogger Antonius Block said…

    errata:A separação hermética de filhos de Deus para um lado, criaturas de Deus para outro é que é perniciosa...

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:34, Blogger zazie said…

    A questão não foi nunca essa. Ningu+em falou em serem irmãos em Cristo.

    A única coisa que se disse é que Deus criou o homem e a mulher do mesmo barro, portanto foram feitos para serem iguais.

    Não escolheu um rico para ser seu filho e fez um pobre para ser filho do demo.

    Esta foi a única questão a que o Tiago respondeu pedindo para lhe dizerem onde é quem é tinha inventado essa ideia de que eramos irmãos.

    É óbvio que eu não considero um budista menos humano que um católico, pois nesse caso nem sabia o que fazer comigo.

    As pessoas têm todas a mesma humanidade e um ateu, por mais endoninhadinho que seja é um ser humano que considero em pé de igualdade.

    As diferenças são comportamentais mas essas não são congénitas. O baptismo é outra história e vai dar ao mesmo do budismo ou do islamismo ou o do ateísmo. O barro é o mesmo, ponto final, o que temos de mau é estrutural e ninguém nasce mais perto da perfeição.


    Era-me só que mais faltava ter agora jsutificações religiosas a substituirem essa treta da luta de classes para dizerem o mesmo.

    Não sou esquerdalha mas elitismos prefiro guardá-los para outras questões mais privadas

    ":O)))

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:35, Blogger zazie said…

    Esta é outra razão pela qual não suporto os burgueses.
    Foi a puta do espírito burguês que inventou mais esta anormalidade.

    Para santificarem o carcanhol
    ":O)))

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:37, Blogger cbs said…

    Não tenho dúvida nenhuma de que o meu maior inimigo é mesmo meu irmão, filho do meu Pai.
    Custa-me muito perceber a vossa estranheza...

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:38, Blogger zazie said…

    Não faz sentido nenhum porque ela confunde o sermos feitos do mesmo barro com o podermos ser salvos ou não.

    Confunde o que Deus criou com as escolhas dos homens.

    O que é diverso no comportamento dos homens e pode levar à justiicação de uns serem salvos ou não (questão só válida para quem é cristão ou católico) não retira que a universalidade do género humano

    Ainda que seja capaz de dizer o contrário e fazer esta treta em cacos pois na prática nunca chamaria maninho a muito malta

    ":O)))

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:40, Blogger zazie said…

    Eu também não percebo esta estranheza a não ser por uma vir de uma protestante com a tendência para acharem que uns se salvam e outros são filhos do demo. E o outro ser um recem-convertido

    Exageram sempre...

    Esquecem-se que são barro igual a todo os demais...

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:41, Anonymous Anónimo said…

    Na verdade, nem Cristo nem os escritores do Novo Testamento afirmam que todos os homens são irmãos. Há dois grupos de irmãos: o judeus, filhos de Abraão (a quem Cristo se dirige em Mateus 23:8, assim como Pedro (Actos 1:16) e Estevão (Actos7:2); e os cristãos (Lucas 8:21, João 21:23 e I Corintios 1:10). Ou seja, os irmão são os eleitos, os escolhidos, os aceites (riscar o que não interessa) do Pai. Todo o cristão "deve amar o próximo como a si mesmo". Mas convém preservar a consaguinidade espiritual para não haver confusões.

    Pedro Leal

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:47, Blogger zazie said…

    Nós, perante a nossa consciência é que nos podemos aperfeiçoar ou libertar todos os instintos malignos.
    E quem é crente, pode achar quehá um caminho pessoal de aperfeiçoamento com vista à tal salvação. Que é individual, não é do género humano (o Antonius já se fartou de escrever para aqui que não acredita que o Adão seja salvo por nós)

    Logo, não somos nós quem traça fronteiras entre os demais seres huamanos. Não cabe a nós essa tarefa.

    Dizer o contrário é achar que Deus não é único pelo facto de haver muita gente a adorar vários deuses.
    Ou é dizer que Deus e aquilo que fez, depende da avaliação terrena dos que se julgam no bom caminho como seus filhos,contra os que eles julgam gente sem hipótese nem dignidade por não estar no mesmo caminho.

    Para se dizer isto não havia qualquer vantagem em ser-se crente. Antes pelo contrário, mais valia pensar-se que nem existe Deus e nada tem sentido a não ser aquele que achamos que deve ter. à escala e à imagem do nosso umbigo.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:49, Blogger zazie said…

    outro gajo a dizer as mesmas baboseiras. Mas afinal como é? vocês acreditam num só Deus e num só Adão e Eva feitos à sua imagem ou isto vale pela interpretação religiosa de cada um?

    Ainda não se percebeu a diferença entre humanidade e cristandade?

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:53, Blogger zazie said…

    Giro era perguntar-lhes a partir de quando é que um cristão passa a ter direito a ser irmão em Cristo e quando é que a tarefa está completa.

    Segundo esta ideia macaca que confunde o barro da criação com a espiritualidade, o Antonius há 3 anos não era gente. E agora é mais gente que a gente igual ao que ele era há 3 anos atrás - quando era ateu...

    Nesse caso nem se percebia a vantagem.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:57, Blogger Antonius Block said…

    zazie,

    É fundamental para o conceito de baptismo o sermos feitos nova criatura. Isto não é apenas alegórico. Obviamente que é misterioso a forma como nos mantemos homens mas ao mesmo tempo nos identificamos com Cristo pelo baptismo. Ninguém disse que não era misterioso. Mas é o Mistério da fé cristã.

    Ou negas o carácter sacramental do baptismo? E sendo assim, porque nos são perdoados todos os pecados sem qualquer restrição quando nos baptizamos?

    Ninguém está a retirar humanidade. Está-se a aprofundá-la... Isso não é tão linear como o apresentas.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 00:58, Blogger Antonius Block said…

    "Segundo esta ideia macaca que confunde o barro da criação com a espiritualidade, o Antonius há 3 anos não era gente. E agora é mais gente que a gente igual ao que ele era há 3 anos atrás - quando era ateu..."

    Eu disse isto? Eu disse que se era mais gente?

    Nem parece teu... Andou tanto a Igreja tradicional a pregar a necessidade do Baptismo para a Salvação e agora sais-me com esta. Achas que era porquê?

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:07, Blogger Hadassah said…

    "Logo, não somos nós quem traça fronteiras entre os demais seres huamanos. Não cabe a nós essa tarefa."

    Zazie,
    Cada um fica do lado da fronteira que bem quiser...ninguém aqui traça nada.

    São opções, são escolhas que determinam se se quer a reconciliação com Deus, o arrependimento e o nascer de novo, tornando-se Seu filho, ou não.

    Se te consideras Filha de Deus, (Crês n' Ele e estás verdadeiramente arrependida da tua condição de pecadora e aceitas Jesus como teu único e verdadeiro Salvador)...Bem vinda à família!

    Dizer que não precisamos de nascer de novo em Cristo é negar a validade da Vinda de Jesus, o Filho de Deus à terra...Ele "comprou-nos" com o sangue dele, para que todos os que desejarem se tornem verdadeiramente Filhos de Deus, como Ele.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:08, Blogger zazie said…

    Claro que não disseste por essas palavras mas é precisamente aí que se vai ter se se considera que a humanidade vem com defeito de fabrico que atinge mais uns que outros.À nascença.

    Como tu confundes o caminho individual de cada um com a igualdade do género humano, é mais que óbvio que esse erro leva ao que eu disse:

    haver gente que nasce mais gente que outra.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:09, Blogger Antonius Block said…

    É precisamente ao contrário. Todos nascem exactamente iguais. Caramba não leste o que escrevi?

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:10, Blogger zazie said…

    Tudo isto começou por uma questão muito simples. O Tim disse que à partida todos somos irmãos por sermos filhos do mesmo Deus.

    E percebe-se perfeitamente que ele não está a incluir nesta frase a vida prática de cada um. Está a falar da condição humana e da espécie humana que, na visão do Cristianismo não seria compatível com privilégios e elitismos de uns sobre os outros- atingindo-os na sua humanidade. Fazendo com que uns se achassem escolhidos e com direito de, por sua vez, escolher outros para seus pares.

    Foi este o tema do debate que versava, como é hábito, os elitismos do carcanhol.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:12, Blogger Antonius Block said…

    "Como tu confundes o caminho individual de cada um com a igualdade do género humano, é mais que óbvio que esse erro leva ao que eu disse:"

    Não sou eu que o confundo, és tu que os separas hermeticamente. Há espaço para o caminho individual na multidão da humanidade. E Deus chama cada homem a converter-se.

    Os que por ignorância não se baptizam não vêm a sua Salvação em perigo, mas são privados do baptismo. Claro, eu nasci em terra cristã e por acaso até mesmo católica. Acidental, e acidental também a fé que vim a professar então dirão alguns. Providência Divina dirão outros.

    Acho que estás a cair no relativismo :P

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:13, Blogger zazie said…

    Se achamos que há gente que vive em condições desumanas por escolha de Deus, e por não serem do mesmo barro, então é precisamente isto que se está a dizer: que há gente mais gente que outra.

    A`partida, com justificações para todos os gostos ao longo da História.

    Agora que essas justificações sejam cristãs é que cabe a v.s provarem-no.

    Nisto estou com o camarada Tim

    ":O))

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:13, Blogger Antonius Block said…

    Mas eu concordo que isto não tem nada a ver com a questão do tim, e disse-o:

    "Não são irmãos em Cristo, mas são verdadeiramente nossos irmãos, partilhando da nossa condição original. E era nesse sentido que o tim falava, por isso é que me pareceu pouco apropriada a crítica do Tiago."

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:14, Blogger zazie said…

    Não desvies, Antonius. Tu não és burro e já percebeste onde confundiste as coisas.

    ":OP

    Confundiste humanidade e barro com vias de cada um.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:15, Blogger zazie said…

    Então pronto .Mas foi seguindo a questão do Tim que o Tiago fez este post e foi seguindo o Tiago que se chegou a essas variantes de castas, disfarçadas em água benta

    ":OP

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:31, Blogger zazie said…

    "Mas eu concordo que isto não tem nada a ver com a questão do tim, e disse-o:

    "Não são irmãos em Cristo, mas são verdadeiramente nossos irmãos, partilhando da nossa condição original. E era nesse sentido que o tim falava, por isso é que me pareceu pouco apropriada a crítica do Tiago."


    Ok, Tu disseste-o. Como és um teórico mudaste o tema do debate para ires atrás da leitura da Hadassah.

    Essa é que alterou a questão e fez de vários adoradores de deuses diferentes, criações múltiplas negando o Deus único e o mesmo barro.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:38, Blogger Hadassah said…

    Zazie escapou-te o meu comentário das 12:23.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:42, Blogger zazie said…

    ahahaha pois escapou parte dele.

    É no que dá estar a fazer várias coisas ao mesmo tempo.

    Estou de acordo, foi pena toda a gente se pronunciar menos o autor do post

    ahahaha
    bisou. Sorry. Aquela parte da irmandade não budista incomodou-me logo. Ainda por cima os budinhas, tão engraçados, tão pacíficos, manos de todo o maralharal, incluindo ratazanas e baratas

    ":O)))

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:45, Blogger Hadassah said…

    Eu creio que mais tarde ou mais cedo o autor do post pronunciar-se-à...

    Lançou o isco para a especulação...é um jogo giro!

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:46, Blogger zazie said…

    o Antonius também escreveu outra passagem muito bonita:

    "São Francisco de Assis até chamava de irmão ao Sol, aos animais e às plantas. Não se trata de panteísmo, nem do mesmo tipo de irmandade dos filhos de Deus, mas de sermos todos criação do Deus vivo. Essa irmandade é bonita e fundamental, e não deve ser descartada por visões demasiadamente legalistas dos preceitos evangélicos.

    O problema foi outro, Ninguém se entende quando dá em pitonisa.

    Eu não entrei nessas variações de interpretação da frase sibilina do Tiago porque nunca o faço com ninguém.

    Se o próprio não se justifica e apenas larga uma pergunta, não sou eu quem vai inventar justificações para a sua intenção.

    Ainda por cima quando se diz que se tinha percebido e concordado com o Tim.

    Ora o Tiago discordou mas não explicou o motivo. Largou esta pergunta sem grande nexo.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:48, Blogger zazie said…

    Tendo em conta que o título tinha a charge política de ser uma pergunta de fundamentalista de direita (logo, na lógica da questão, um anti irmandade com pobrezinhos) eu não encontraria motivos para escapar para aí.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:52, Blogger zazie said…

    Eu já leio o Tiago há anos e sei o que ele queria dizer, por isso é que nem tive problemas em discordar logo

    ahahaha

    O Nuno já anda lá perto. Faltam uns detalhes e chega-se lá...

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:54, Blogger zazie said…

    Se tivesse pachorra, até ia buscar os detalhes que faltam a velhos postes da Voz do Deserto.

    Mas também os há aqui. Mais para trás.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 01:59, Blogger zazie said…

    É um tema giro por que consegue dividir, por erro, uma série de posições que nem são estruturalmente antagónicas.

    Eu nunca concordo politicamente com aquela mania do Tim, do comunismo cristão decretado por Deus. E também não concordo quando ela é apresentada do avesso.

    O erro do Tim e do Tiago são idênticos .Fazem leituras ontológicas da política.

    Só não há erro no Tim quando faz leitura humana e ontológica da Bíblia e da Igreja.
    Aí o erro é do Tiago e percebe-se: ele pertence a uma variação da Igreja que se impôs por uma leitura ideológica da Bílbia.
    Quem a fez foi o Lutero .Basta segui-la para se continuar a laborar no mesmo erro.

    O Tim vai ter a algo aproximado mas pela via laica, Parte de uma cristianização do comunismo para o legitimar politicamente.

    A posteriori e como mera teoria cristã.
    Trata-se de duplos erros de água benta
    ":O)))

     
  • At 2 de junho de 2007 às 02:28, Blogger Hadassah said…

    Eu ainda não percebi a posição do Tiago...

    A mim não me parece correcto, nem possivel, dizer que se Jesus estivesse cá nos dias de hoje, seria de uma ou de outra corrente política...

    Agora, posso ter a minha opinião sobre qual dos partidos serve melhor o cristianismo...e nesse aspecto penso muito como tu.

    Jesus esteve sempre fora de políticas, ele tinha do lado dele gente de todas as classes (até funcionários públicos como o Zaqueu, eheheh)...mas predominantemente pobres, porque são os mais sensiveis e necessitados, com o coração mais aberto.

    Mas quem se torna Filho de Deus, deixa de estar na miséria´, todos os que foram a Jesus foram restaurados.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 02:31, Blogger zazie said…

    resumindo: era social democrata que é onde cabe tudo sem tiranias

    ahahahaha

     
  • At 2 de junho de 2007 às 02:33, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 02:33, Blogger zazie said…

    A doutina cristã não tem uma visão comunista. Não nivela por baixo. Debaixo do manto da Virgem albergam-se todos.

    Mas também não é uma visão hebraica, com eleitos.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 02:53, Blogger Hadassah said…

    ...acho que disseste tudo agora. Nem mais.

     
  • At 2 de junho de 2007 às 02:54, Blogger Hadassah said…

    ...com excepção do manto...eu diria antes...debaixo da Cruz...aos pés de Jesus.

     
  • At 15 de junho de 2007 às 14:30, Anonymous Anónimo said…

    Tanta baboseira....já exprimentaram ler a PALAVRA DE DEUS?assim os senhores que dizem,não haver "criaturas e filhos de DEUS" ficariam exclarecidos,só que duvido que para esses senhores a escrituras tenham algum significado.
    Quer queiram ou não,só quem aceita o sacrifício de Jesus é de facto filho de DEUS o resto são balelas.

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here