sexta-feira, maio 11, 2007
a porra* do beato nuno!
sou nazi. já era sincrético, analítico, paralítico, pagão, herético, ateu, obsceno, reality checo, inquisidor, minha culpa minha tão grande culpa que o santo agostinho fornicou primeiro e admoestou depois, anti-galileu e pró-darwin, e a joana d'arc vestida por mila jovovich agora no axn benza-a deus e nossa senhora e o chick-to-chick.

ensina-nos sua sapiência nuno, nome de beato que se empadeirou em aljubarrota com os castelhanos para nossa desdita que teríamos hoje o zapatero, que aprova uniões de facto e de facto governa, dizia eu, ensina-nos nuno o beato que não andaria na mocidade e atravessaria a fronteira a salto, que é facto que não só as uniões de zapatero assim se consumaram, como também o jovem joseph se passeou nas tropas nazis. é verdade, pois então, mas esquece a história com h grande para escrever os códigos da vinci vertidos em aleluias percorridos à guitarra na escola dominical e jorrar a certeza que nem os historiadores da história com h grande têm. fico pasmado, como el-rey perante tal traseiro, como nos conta ballester, com tanta certeza, de quem raramente se engana e nunca tem dúvidas, os homens sebastiânicos rodeiam-nos e sobressaltam-me.

repare-se: não falo de infalibilidades papísticas, que também sei ser dogma recente e pouco avisado, mas falo de infalibilidades nunísticas travestidas de oratória retorcida. não se chamou ao jovem joseph apoiante de hitler, apenas nazi, como se duas entidades diversas se tratassem, como se o facto de (há pouco tempo, se calhar já não do tempo deste beato) o estado português me ter convocado como mancebo nascido em mil e novecentos e setenta e dois para fazer a tropa fizesse de mim mancebista mas não apoiante de cavaco, então o nosso primeiro do governo e não o amigo tiago desta casa, só porque havia uma coisa anacrónica chamada serviço militar obrigatório, que ainda hoje me manteria na alçada se houvesse guerra de um moderno beato nuno contra os zapateros do outro lado da fronteira. obrigado eu seria a ir, a não ser que me dissesse objector de consciência como queria e sou, mas em mil novecentos e trinta e nove se me dissesse objector olhariam para um potencial amante de setenta e uma virgens e meter-me-iam nos guantánamos de então, de um lado e do outro, dos bons dos aliados, dos algozes dos nazis. o jovem joseph cometeu a acção errada, foi obrigado, não se tomou como herói da bisca ou da rua e depois desertou. o deserto da argumentação contra o velho joseph é, muitos anos depois, acolitado por historiadores apressados ou bloguistas infalíveis.

como gosto de aguentar o sopapo, também gosto de dar e (lembrou, e bem, o bom e estimado josé) eu que não aprecio o bom joseph tanto como apreciarão os meus outros sopapados, leio o dislate do samba como mais uma escorregadela da banana do género "eu vou mostrar a luz", mas depois tenta só acender uma vela. vai daí escreve-se, como faz o beato nuno, que o mal deste lado da barricada, porque nos vê sempre para lá dos muros e das madeiras e dos bidões, é não saber reconhecer o erro: «e se for capaz da dignidade de reconhecer os seus erros históricos, como outras os tiveram e o fazem, mais facilmente levar-se-á a sério, e um plano mais equânime, plano e sensato será possível para a fundação duma igreja reunificada e ecuménica, como se sonha». pasmo de novo, e lembro-me do pedido de perdão (tardio, mas já tem anos, já é da história) do velho karol no muro das lamentações por causa da perseguição aos judeus; aos índios na visita às américas; ao galileu que tinha acertado que a bola é redonda e gira ela e não o outro deus-sol; os perdões causaram comichão em pachecos abruptos, sensíveis ao relativismo histórico perigoso que se abria com esses precedentes, cito de cor mas era assim mais coisa menos coisa.

mas pelos vistos o beato nuno continuou ocupado com a táctica do quadrado e a meter católicos lá para dentro, enquanto que o seu exército minoritário ganhava numa proporção descomunal e só a amiga da padaria matou sete. diz o comentador block e bem que «a igreja católica apostólica romana é a mais pecadora que existe e que já existiu à face da terra»: leva dois mil anos de vantagem. e nós cá estamos para levar os sopapos, mas os de hoje. não me peçam para pedir desculpa por ter nascido num país que começou com um caso de violência doméstica e acreditar num tipo que nasceu de uma união de facto e andava a pregar partidas aos sacerdotes na escola dominical.

se este arrazoado não se percebe, peço desculpa. falta-me jeito para compor um samba, mesmo que tenha uma nota só.

miguel marujo [em minúsculas, tudo, porque a coisa é menor. ámen.]

* - porra,
s. f., moca, porrete; interj., arre!, irra!.
posted by @ 2:39 da manhã  
125 Comments:
  • At 11 de maio de 2007 às 10:51, Blogger Nuno Fonseca said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 10:54, Blogger Nuno Fonseca said…

    Gostei do poema.
    Contudo, pasmo da capacidade das vossas transleituras.

    Ainda se confude pureza institucional com a individual, o que é o mesmo que não distinguir a floresta das árvores.

    Penso, também, que os meus amigos podem ser mais meditados nas suas observações e honrarem as repectivas inteligências cristãs. Afinal, onde digo eu que sou beato, ou devoto, ou se quer falo de mim?

    É mais um exemplo de ofender a integridade do questionante para evitar a questão que ele levante. Questão essa que, percebam, não é o grau de envolvimento de Ratzinger no nacional-socialismo, mas a infabilidade papal promulgada por Pio XII, o mesmo que assinou a infame Reichskonkordat.

    Afirmava apenas que se se esquecesse a questão da infabilidade papal, tendo em conta erros históricos, que os houve, era já meio caminho para um ecumenismo saudável. Porque sim, houve erros históricos da parte dos protestantes, mas não foram segundo um líder que se dizia enviado por Deus, a mando duma igreja que se diz do Senhor. Assim, os pecadores evangélicos estão por si.

    Com isto, expliquei a minha piada. E piadas que se explicam deixam de a ter. Quanto a isto, exijo desculpas.

    -----------------------------------

    PS: 'Beato' é uma catalogação católica que, para mim, designa todo o alguém que confunde o culto a Deus com a assiduidade à igreja e que, no fundo, só lá chegou porque nada mais tem que fazer.

    Gente, uso dog-tags, um par de brincos e chapéu de tropa. Nenhum pároco me acolheria para que me abeatasse nas suas missas.

    Paz de Deus, ok?
    Keep it real.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 11:01, Blogger David Cameira said…

    Mas o 2 beato Nuno 2 não tem qq coisa a ver com as aparoções de FÁTIMA ?

     
  • At 11 de maio de 2007 às 11:27, Blogger Miguel Marujo said…

    do Lat. beatu

    s. m.,
    homem que tem grande devoção;
    o que foi beatificado;
    adj.,
    devoto com sinceridade ou não.

    Sublinhados meus. Também tentei fazer piada, e evitei confundir pureza institucional com a individual. Com isto, expliquei a minha piada. E piadas que se explicam deixam de a ter. Quanto a isto, exijo desculpas.

    [Nuno, vês que até a frase que cito da pureza é insidiosa?! Eu não uso nada dessas merdas, mas também os padres não olham aos acessórios para a beatífica devoção. Havia muito boa senhora de broche na lapela que ficava à porta, pela feiura da coisa. I rest my case.]

     
  • At 11 de maio de 2007 às 12:06, Blogger samuel said…

    Se alguma vez fosse atacado por dúvidas quanto ao acerto do meu abandono da igreja, nem importa qual, bastaria visitar blogs como este e abrir os olhos e ouvidos, para ficar imediatamente mais descansado.
    Acho que ainda não se iventou a maneira de frequentar uma igreja e só conviver com as ou os dois ou tres (que não vou nomear) e evitar a horda de hooligans do "cristianismo" ou cristianeirismo, que são os outros.
    Xiça...

     
  • At 11 de maio de 2007 às 12:23, Anonymous Anónimo said…

    Sinto-me indignado pela difamação objectiva feita à Igreja Católica, por colaboração com Hitler.
    Porque é injusta, já tive que estudar o Pio XII e sei que é injusta e indicia má fé. Não digo que seja o caso Nuno, mas então estuda o assunto.

    O Pio XII era um admirador da Alemanha por ter sido "embaixador" da santa Sé nesse país. Era também anti-comunista e anti-democrata.
    Coisa que era mais que comum na Europa dos anos vinte e trinta (tou farto de dizer, porra) onde tirando a França, a Inglaterra e o triste espectáculo (a que ele assistiu in loco) da república de Weimar, tudo o resto era ou fascista ou fascizante.
    O cardeal Pacelli foi o primeiro nuncio apostólico em Berlim apartir de 1920.
    Hitler só subiu ao poder em 1933, data da concordata.
    Nessa altura o cardeal Pacelli era o secretário de estado do Vaticano (só foi eleito papa em 1939) e como tal tratou de fazer concordatas (volto a dizer que são tratados inter-estados) com os regimes fascista e nazi, cujo principal objectivo não era legitimar essses governos mas sim proteger os católicos (e não foram as democracias pactuar com o Nazi e o fascista a Munique, porra?!) Inicialmente os Nazis atacaram católicos e o próprio Pacelli escapou uma vez de levar porrada por uma unha negra.

    Quando o chanceler Adolfo aparece no poder em 1933, é admirado por toda a Europa e a própria Alemanha ainda é uma democracia (já havia indícios da animalidade que se avizinhava, claro, mas também á esquerda a brutalidade era grossa, todos desejavam ordem).

    Depois, durante a guerra Pio XII, sem nunca deixar o anti-comunismo, nem no seu íntimo a anti-democracia (repito que após Stalinegrad, a doutrina social derivou para a social-democracia), foi-se apercebendo da medonha realidade dos "campos".
    Mas não podia brincar com o fogo, houve uma ameaça directa de Hitler, e o que estava em risco era a destruição de todas as instituções católicas, uma perseguição feroz.
    Pio XII não podia arriscar, mas pôde clandestinamente ajudar muita gente e disso é prova, por exemplo, a quantidade de testemunhos de gratidão, que podemos encontrar entre organizações judaicas e judeus individualmente (na net há de tudo, mas também há factos, por exemplo do Concelho Mundial Judaico; foram também abertos os arquivos do vaticano, mas creio que só até 1933).

    às vezes, estas difamações fáceis XII, à distancia e fora de contexto lembram-me uma musicquinha do velho Paulo de Carvalho que reza assim:
    "Gostava de vos ver aqui, no palco
    P’ra não fazer juízo errado
    Pois isto de cantar,
    É muito mais difícil
    Cá deste lado"



    Nuno, peço-te que não ofendas a memória do Papa, não ofendas a igreja de Cristo, e não me ofendas a mim.
    Pode ser, amigo?

     
  • At 11 de maio de 2007 às 12:24, Blogger cbs said…

    porra!
    o anónimo acima sou eu! cbs

     
  • At 11 de maio de 2007 às 12:49, Anonymous Anónimo said…

    o Nuno Fonseca pode explicar ao comum dos mortais por que razão o Estado de Israel logo após ser instituido condecorou a santa sé com a sua mais alta comenda, apesar de nem sequer reconhecer diplomaticamente o Estado do Vaticano?

     
  • At 11 de maio de 2007 às 12:56, Anonymous Anónimo said…

    Ofende sim a memória papal, ele não tem que trabalhar para ter o que tem na mesa, ele não tem com que se preocupar. Ofende uma, duas ou três vezes, as necessárias para que ardam de vez todo o catolicismo.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 13:15, Blogger Hadassah said…

    (monólogo, esperando que alguém ouça e responda)
    "...mas esquece a história com h grande para escrever os códigos da vinci vertidos em aleluias percorridos à guitarra na escola dominical..."

    Não percebi esta parte do arrazoado...

     
  • At 11 de maio de 2007 às 13:52, Blogger Nuno Fonseca said…

    Amigos católicos,
    é triste quando se se ofendem com o mero recontar de factos históricos, recortados ou fotografados.

    Reconheçam a História e ela vos redimirá.

    O Papa que institui a infabilidade papal é a própria prova de como o mesmo é falível. E é precisa muita tautologia para convencerem-se a vocês mesmos que o Reichskonkordat não foi um erro.

    Não nos armemos em iranianos a provar que não houve holocausto, porque não temos uma Guerra Santa futura a justificar. Ou temos?

    Samuel,
    Agora que não te restam dúvidas, podes ir embora.
    Se, por outro lado, estás à procura de algo que te reate ao Senhor, não o procures entre homens.
    Abre a Palavra e deixa que ele te fale.

    Cheers.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 14:08, Blogger zazie said…

    Mas o Nuno é historiador ou foi o pastor josué que lhe ensinou estas tretas todas?

    Eu só fico na dúvida se isto é mesmo assim entre os protestantes evangélicos ou um mero fenómeno virtual que apareceu aqui na blogosfera tuga.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 14:09, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 14:11, Blogger zazie said…

    Eu só me lembro de paranóia idêntica entre os ateuzinhos endemoninhados e na Natureza do Mal (com outro endemoninhado idêntico). Fora isso, só no Barnabé é que costumavam escrever assim umas coisas anormais a propósito do Papa e de Fátima

     
  • At 11 de maio de 2007 às 14:23, Blogger Antonius Block said…

    Caros irmãos, (parece começo de homilia)

    Ao contrário do cbs e possivelmente do miguel (não sei), não me indigna nada que se aponte os erros históricos da Igreja, e que se a acuse claramente de ter agido medíocremente no mínimo. Não me detive em exercícios de apuramento exacto das responsabilidades ou de descernimento claro do que realmente se passou. As boas posições e as boas acções têm sempre a clareza que vem de Deus e resplandecem sempre ao longo da História. Quando é preciso sondar muito para dizer que "as coisas não eram bem assim" normalmente é porque se estava imiscuído na mediocridade moral do costume. Mas como já disse várias vezes, assumo isso claramente. É essa a Igreja católica, e essa é a Igreja de Deus porque assim o é a Humanidade. Se Deus quisesse elevar uma igreja que não uma igreja plena de humanidade em toda a sua plenitude, então não era da Humanidade que Ele gostaria realmente, mas sim de uma ideia dela. Felizmente, Ele gosta de nós assim também, fraquinhos, medíocrezitos, incapazes de nos posicionarmos (o que é a crucificação de Cristo se não precisamente isso? No fundo todos nós assistiríamos impávidos serenos ao Cristo crucificado, se calhar até apoiando. É essa humanidade que veio ser resgatada). Tudo isso eu aceito sem qualquer problema.

    Triste Nuno, muito mais triste, é eu ter-te dito que a doutrina da infabilidade papal diz respeito ao que se estabelece doutrinalmente e não a NADA que diga respeito à conduta pessoal e tu não teres ligado peva. O que é triste, é dizeres coisas como esta "PS: 'Beato' é uma catalogação católica que, para mim, designa todo o alguém que confunde o culto a Deus com a assiduidade à igreja e que, no fundo, só lá chegou porque nada mais tem que fazer.". Isso é que é triste. Porque se não nos reconhecemos uns aos outros como aqueles que buscam a Cristo, então tenho mais que fazer do que estar por aqui, e tu provavelmente também. Então, qualquer "ecumenismo" deixa de estar pautado por Deus para passar a estar pautado por esgrimir de opiniões.

    E para isso, vou ao café.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 14:49, Blogger cbs said…

    "não me indigna nada que se aponte os erros históricos da Igreja, e que se a acuse claramente de ter agido medíocremente no mínimo"

    Antonius
    os erros apontados também não me indignam. se forem verdade.

    mas parece que terei de repetir isto sistemáticamente:
    1) Pacelli (Pio XII mais tarde) fez a concordata, em nome de Pio XI, no mesmo ano em que Hitler subiu ao poder, 1933, quando a Inglaterra ainda firtava com a Alemanha; o objectivo foi o de regular a situação da Igreja católica na Alemanha.
    2) Se Pio XII rompesse com Hitler a Igreja Católica seria pura e simplesmente reduzida, como foi a Italia do Norte a uma Republica de Salo. Morreriam católicos.
    3) Pio XII ajudou a safar milhares de judeus em Italia, como os próprios foram mais tarde reconhecer.

    medíocre isto? quem fez melhor?
    por Cristo! caraças...

     
  • At 11 de maio de 2007 às 14:54, Blogger Nuno Fonseca said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 14:56, Blogger Nuno Fonseca said…

    Antonius, cuidado com os juizos de valor. Não me lembro de te chamar nomes, o que tem sido hábito de muitos que neste blogue comprometem a sua cristandade e os mínimos das regras de conversação saudável, também comuns aos gentios.

    Chamaram-me de tanto desde que aqui entrei, que até duvidei de mim. Mas, ao fim do dia, quem se arrepende e quem se guarda rancores? Que mostra frutos do espírito e que demonstra as suas faltas?

    Moving right along.

    É o próprio facto do que o papado promulga ser infalível que comprova a falha de Pio XII. 'Pelos seus frutos os reeconhecereis'.

    'Beato', enquanto adj. ou n., está contaminado das más conotações e tu sabe-lo. Por essas mesmas razões é que o Miguel Marujo mo chamou.

    Paz.
    Bom Nicola.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 15:15, Blogger zazie said…

    ò Nuno, já que és historiador, explica lá à malta quem é que classificou os judeus como raça inferior e o papel da Prússia luterana na guerra.

    De caminho conta lá o que é que o Em 1750, Frederico II da Prússia fez com aquele famoso decreto do "Generalreglement" para os Judeus.


    Depois falamos do Papa, ok?

     
  • At 11 de maio de 2007 às 15:17, Blogger zazie said…

    É que, ou bem que se conta a história toda e vamos a ver quem pode limpar as mãos à parede, ou então está-se para aqui em sessões de agit prop à Diário Ateísta.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 15:19, Blogger zazie said…

    De caminho conta também em que consistiu a mudança do Gleichberechtigung" de José II. E explica à malta se este era luterano ou católico

     
  • At 11 de maio de 2007 às 15:19, Blogger zazie said…

    A Prússia, a Prússia e a tradição do racismo intolerante de Lutero contam muito mais coisas sobre esse passado e sobre a Guerra.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 15:30, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 15:31, Blogger zazie said…

    Olha, e conta lá também quem foi o Adolf Stoecker e explica se ele vinha de Roma ou de Lutero.

    Melhor dizendo e para arrumares estes ignorantes todos aqui da casa.

    Faz o seguinte: conta lá a ligação entre a filosofia religiosa luterana e o anti-judaísmo; a política de agressão bélica, a primeira Grande Guerra e depois chega ao nazismo. Ok?

    Se quiseres podes continuar e ir para a América e para outros extermínios muito protestantes.

    Mas, como o tema é apenas essa vergonhosa ligação entre o actual Papa e o Holocausto, podias ficar-te por aqui:

    as tradições do anti-semitismo luterano e o papel da Prússia no conflito mundial

     
  • At 11 de maio de 2007 às 16:52, Blogger zazie said…

    Bem, como o Nuno não dá mais informação, aqui fica outra achega para esse vergonhoso colaboracionismo papal.

    Em primeiro lugar, queimem-se suas sinagogas e suas escolas.

    Em segundo lugar, recomendo que suas casas sejam também arrasadas e destruídas.

    Terceiro, recomendo que todos os seus livros de oração sejam tirados deles.

    Quarto, recomendo que seus rabis sejam proibidos de ensinar, sob pena de morte ou de amputação.

    Quinto, recomendo que o salvo-conduto para o livre-trânsito nas estradas seja completamente negado para os judeus

    Sexto, recomendo que todo o dinheiro e peças de ouro e prata sejam tomados deles e colocados sob custódia.

    Sétimo, recomendo que se coloque um malho, um machado, uma enxada, uma pá, um ancinho ou um fuso nas mãos dos jovens judeus e judias.”

    Martinho Lutero, Sobre os Judeus e Suas Mentiras, 1543

     
  • At 11 de maio de 2007 às 17:14, Blogger Miguel Marujo said…

    Por burrice minha foi ao ar, um longo comentário que já estava a escrever sobre os comentários do Nuno (sem ser beato, para ele não se enxufrar, quando o associava a um "grande português" que é o Álvares Pereira).

    Escuso de perder tempo, pensei entretanto. Apenas para mostrar que, ao contrário do que o Nuno afirma, a infalibilidade não foi tema (nunca) da sua boca ao nazismo de Bento XVI. Leia-se e relembre-se as palavras do Nuno: «Ratzinger desfilará no papamobil pelas terras sambadas de Vera Cruz, semana adentro. Retrospectivando, décadas passaram desde o último ex-nazi que, sob vestes católicas, se exilara na latinamérica, mas este, contrariamente, fá-lo pelo bem da vida humana, e da judia também.»

    A infalibilidade papal veio depois, como argumento para virar a discussão, para se apresentar como vítima. Para este peditório, já dei. Se tiver pachorra, durante o fim-de-semana voltarei com paciência.

    [Hadassah prometo responder depois.]

     
  • At 11 de maio de 2007 às 17:21, Blogger CC said…

    Belo, Zazie! Bom lembrete.

    Mas acontece que o menino Nuno (convenientemente) também não é Luterano. Ele não é nada. É assim como que angélico, sem passado, incorpóreo, imaculado das falhas humanas que o afastariam do Cristo que só ele conhece e que só ele ama e segue.

    Não há a fazer, a não ser esperar que o menino cresça e que nesse processo aprenda que não vive sozinho e que os outros lhe merecem um mínimo de respeito.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 17:41, Blogger zazie said…

    Bem...

    eu ainda fiquei à espera que ele se virasse para o famoso colonialismo católico dos tugas no Brasil.
    Mas, para isso, também a História conta muitas outras coisas.

    Como:

    em que mãos esteve a Companhia das Índias Ocidentais, por que motivo o Pau-brasil era conhecido como "a madeira judaica” ou em que consistiram os famosos leilões de escravos e quem foram os seus promotores.

    ver: Arnold Wiznitzer, Os Judeus no Brasil Colonial

    (só acerca do nazismo papal é que é difícil encontrarem-se referências mais documentadas que as do Nuno)

     
  • At 11 de maio de 2007 às 18:37, Blogger Hadassah said…

    Tudo o que aqui se tem escrito é a prova de que a Bíblia tem muito que se lhe diga!

    É a prova de que se cumpre o que está profetizado: de que os Judeus seriam alvo do ódio de todos... quanto a este assunto, ninguém pode lavar as suas mãos.

    Até os próprios negaram-se a eles mesmos, ao negarem Jesus.

    E finalizo citando a Bíblia:

    "Eis que porei Jerusalém como um copo de tremor para todos os povos em redor e também para Judá, quando do cerco contra Jerusalém. E acontecerá, naquele dia, que farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a carregarem com ela certamente serão despedaçados, e ajuntar-se-ão contra ela todas as nações da terra.” Zc 12:2,3

     
  • At 11 de maio de 2007 às 18:52, Blogger samuel said…

    "Agora que não te restam dúvidas, podes ir embora"
    nuno fonseca 1:52 PM

    Grande e inaudito Nuno Fonseca
    Tanto havia a dizer sobre as tuas "opiniões históricas" que em alguns casos nunca passarão de exercícios infantis de fanatismo bacoco...
    Mas não falta por aqui felizmente quem te dê o troco que mereces.
    De momento o que me deixa perplexo é a tua capacidade de fazer de scanner das minhas dúvidas e certezas, para além de não ter uma puta de uma ideia de onde terás ido buscar a autoridade moral ou qualquer outra, para me sugerir que me vá embora daqui ou seja de onde fôr...
    Já que temos (misteriosamente) tanta autoridade, e se fosses tu, sei lá, para... olha meuzinho, usa a imaginação, ou seja lá o que fôr de que te socorres para ter as "ideias" e vai! OK?

    P.S. Quando eu tiver a mínima intenção de ficar reatado ou atracado ou atascado no que quer que seja, dispenso absolutamente a tua ajuda ou sugestões e se por acaso fosse ao Senhor, como dizes, faria questão de que fosse numa congregação onde nunca te encontrasse, estás a ver?
    É que nos comentários de um blog, vá que não vá, agora ao vivo, está fora de questão.
    A menos que OS DOIS mudemos substancialmente...
    Saludos.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 19:25, Blogger zazie said…

    Pois é, a Bíblia tem as costas largas... e o Papa é que foi nazi.

    No entanto...

    1917- aniversário 400 anos das teses de Lutero- afixadas na porta da Igreja de Wittenberg.

    1928- Movimento do Cristianismo Germânico, associado às Igrejas Protestantes- à frente está o pastor Ludwig Muller que virá a ser chefe da Gestapo

    1934- Ludwig Muller convocado para a nazificação da igreja protestante

    Ludwig Muller

    e aqui tinha boa pinta o gajo, não tinha? com ar de quem gostava de sambar no papamobile

     
  • At 11 de maio de 2007 às 19:36, Blogger samuel said…

    Boa, Zazie!

    Fui lá espretar as trombas do energúmeno e é tal qual...
    Então aquela do "Christ the Aryan", filho de uma Maria e de um carpinteiro (que nem era Alfredo, nem consta que cantasse), simples judeus ou palestinianos ou lá o que eram, é de ir às lágrimas.
    Ariano "derivado" à areia, se calhar...
    Pobre do Jesus Cristo que não devia ser perdido nem achado nestas trapalhadas!

     
  • At 11 de maio de 2007 às 19:44, Blogger zazie said…

    Há muito mais que nisto ninguém tem as mãos limpas. O Ratzinguer aos 15 aninhos naquela treta é a personagem mais limpa de tudo isto.

    Mas o nosso historiador Nuno esqueceu-se de outras coisas. Como estas:


    Hermann Gruner e a esperança que as suásticas irradiavam na igreja de Madgburgo

    Julius Leutheuser: "Cristo veio até nós através de Adolf Hitler".

    aqui:Sínodo Marron- com uniformes Nazis

     
  • At 11 de maio de 2007 às 19:59, Blogger samuel said…

    Deve ter sido nessa altura que uma qualquer luminária achou boa ideia tranformar o hino da Alemanha em cântico religioso para "entoar" na igreja, entre glórias e aleluias, pelo menos na Assembleia de Deus e claro, no "meu" tempo.
    Ah, e também se "entoava" o hino da Inglaterra, "para compensar", certamente.
    Juro que a coisa me irritava solenemente e nunca percebi qual era a ideia...

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:09, Blogger Hadassah said…

    Zazie,

    neste momento não estás a ser muito diferente do juvem Nuno...olha que é muito fácil ir às Wikipédias buscar exemplos de rebate...

    Não viste aqui nenhum protestante a prestar-lhe apoio, em relação à infeliz associação.

    Mas olhem:

    Zazie - rima com Nazie!! terá também ligações ao Reich?

    ...eh eh eh... já estou a "avacalhar"

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:22, Blogger zazie said…

    Qual é o teu problema com os exemplos históricos que também vêm na Wikipedia?

    Algum?

    São falsos?

    É que eu não fiz como tu. Não justifiquei o nazismo com citações Bíblicas.

    Não há azar de chamar nazi ao Ratzinguer, pois não? então porque não se há-de mostrar a verdade histórica e ver que foi do protestantismo que houve verdadeiros líderes nazis?

    Já agora. Sabes como chamavam ao Hitler?
    O Novo Lutero.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:25, Blogger zazie said…

    Não viste nenhum protestante a quê?

    acaso viste tu aqui algum católico a apoiar o nazismo para vires com essa treta?

    Quem é que fez um post com ataques ao Papa?

    Quem é que chamou nazi ao Papa?

    Quem é que falou em colaboracionismo da Igreja Católica com o nazismo?

    Não foi ninguém neste blogue?

    Eu apenas mostrei, que se o Nuno quer pegar em factos (porque ele é que afirmou que eram meros factos, então que pegue em todos.

    Porque, nesta história, os protestantes bem podem limpar as mãos à parede.

    Começando pelo Lutero que conseguiu fazer aquilo que nunca a Igreja Católica nem a Inquisição fizeram: arranjar uma categoria especial de raça degenerada para justificar a perseguição aos judeus.

    Isto é que são factos. Ou bem que se citam os que v.s querem, ou bem que levam com os outros que não lhes agradam.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:29, Blogger zazie said…

    O que eu acho anormal é ir-se buscar paleativos à Bíblia que não tem culpa da anormalidade de muitos dos seus seguidores.

    Que os judeus não são personagens simpáticos sou eu capaz de o dizer nas calmas. Por algum motivo já fui saneada de vários blogues e até apanhei com o saneamento do Arroja à tabela.

    Mas isso é uma coisa; que vale o que vale ou pode valer para se entender os lobbys judaicos no presente. Outra é ir-se buscar exemplos à Bíblia para se justificar o nazismo!

    Isso nunca. Eu fui apenas buscar exemplos históricos. Nunca teria a lata de citar a Bíblia no meio de uma boa merda destas.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:35, Blogger zazie said…

    Além do mais, isto não é coisa de tribo: eu não podia responder ao Nuno porque o gang evangélico não tinha vindo em seu apoio. Olha só a piada.

    Tadinho do Rambinho Nuninho que é pequenino e ainda é capaz de amuar...

    Pois se ele já voltou à carga e ainda fez mais uma das rábulas de vitimização. E trocou tudo o que disse, inventando a infalibilidade papal para desviar a conversa.

    Isto é apenas resposta na cave às fotos e postes que ele fez na primeira página.

    Um complemento histórico. Já que, como ele escreveu: estamos apenas a tratar de factos.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:35, Blogger Hadassah said…

    Zazie do pouco que sei do passado religioso do Nuno, não me leva a considerá-lo de protestante.

    Mas nºao é por aí...

    Quando me referi à Bíblia não foi para desculpar ninguém, pelo contrário. Foi para atestar da sua veracidade.

    Posso dar-te tbém exemplos de protestantes que se debateram contra Hitler, tal como católicos, porventura.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Dietrich_Bonhoeffer

    e da famosa Declaração de Bremen...

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:38, Anonymous Anónimo said…

    Hadas,

    Como MÃE que és, mostras bastante sensatez e paciencia no que diz respeito às frases soltas da Zazie, que fala fala fala mas conteúdo, pouco tem. Thanks plo link.



    A caldense.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:42, Blogger Hadassah said…

    Mas tu sabes disto melhor do que eu ... não preciso de te dizer.


    E o jovem Nuno já deve ter percebido que depois do que disse, resta-lhe fazer um novo post, mas com este título:

    "Jesus me toca ... para me dar um valente puxão de orelhas"...

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:44, Blogger zazie said…

    Mas eu não considero nada em relação a ninguém nem me interessa.

    Aqui há debate de ideias ou existem factos.

    O Nuno postou factos e fotos na primeira página. Eu postei factos e links (apenas links, sem qualquer visibilidade que se compare) aqui na cave.

    Há alguma justificação para me dizeres que vou não sei à Wikipédia? como se isso fosse mostrar mentiras?

    Ou há alguma justificação para "repreensões" que estou a fazer como ele?

    Como ele o quê?

    A dizer mentiras?

    Então para onde é que v.s já levaram isto, a não ser para duas intervenções anormais: uma de um chapeleiro maluco a defender o Bush (coisa perfeitamente relaccionada com o tema do nazismo papal) e outra do gágá do Cameira a defender a pena de morte.

    isso é que são comentários pertinentes e os meus é que estão fora do contexto?

    ...........

    ò caralho das caldas: se tens alguma coisa a dizer-me fala logo. Não te encostes a maternidades

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:47, Blogger Hadassah said…

    Caldense

    A Zazie também deverá ser mãe (pelo menos apercebo-lhe alguma ternura...) :)

    E é uma mulher que admiro muito pela cultura e inteligência dela (gostava de ter 1/3 parte).

    E faz deduções na minha opinião bastante acertadas...


    Tem é esta maneira de ser impulsiva (a que até acho piada) e falta-lhe o discernimento espiritual de algumas coisas (desculpa Zazie mas é verdade).

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:49, Anonymous Anónimo said…

    zazie,


    tomarias tu ter barro deste e tradição destas na tua terra. outras terras. sim, colada à maternidade, seja ela de protestantes, católicos... prezo muito a maternidade, pois acho que toda a mulher NORMAL a preza.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:49, Blogger Hadassah said…

    Ó Zazie!!!???

    Era preciso falares assim com a Caldas!!

    Tu não existes!!!

    lol

    Só me apercebi depois de postar

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:49, Blogger zazie said…

    Veracidade Bíblica a propósito de quê?

    Dos judeus nunca terem despertado simpatias? mas isso tem alguma comparação com quê?

    Isso serve para falar de quê?

    Eu sou capaz de falar nisso nas calmas se quiser pensar o povo judaico e os lobbys presentes ou os apoios políticos e o sionismo. Mas não foi esse o tema da conversa.

    O tema da conversa foi simples: o Nuno (que para o caso não interessa saber quem é ou deixa de ser- é alguém convidado pelo Tiago a integrar um blogue de católicos e protestantes) fez postes a chamar nazi ao Papa.

    Estas foras as respostas. Com meros exemplos históricos, para seguir o tom que ele deu e a justificação factual que ele também deu.

    O que há de errado nesta resposta?
    A wikipédia? é isso? a wiki é que é o problema?

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:51, Anonymous Anónimo said…

    Hadas,


    Ainda não notei nada disso na Zazie pelo que li da mesma. Tem algumas opiniões interessantes que demonstram sim cultura, mas há maneiras mais softs de a mostrar. Penso que deveria ser crítica sim, mas com mais calminha na língua. Só a fortalecia ainda mais.



    Caldense

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:51, Blogger zazie said…

    errata :estas foram as respostas.

    Eu ontem nem tive tempo porque estive todo o dia ocupada e apenas fiquei parva ao abrir a página do blogue.

    Se estivesse no Diário Ateísta ou num desses blogues fanáticos de endemonhinhados ateus não havia deiferença.

    A única questão que ainda pensei é se este exemplo (do Nuno) teria ou não teria alguma representação ou equivalência com a realidade.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:53, Blogger zazie said…

    E a minha resposta não foi religiosa; foi histórica. Ele também não assumiu o factor religioso no seu ataque. E ele é que é o cristão oficial, não sou eu, que sou apenas uma semi-qualquer-coisa e estou-me nas tintas para guerrilhas religiosas.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:53, Anonymous Anónimo said…

    Sim Zazie,


    de facto é uma acusação um pouco injusta, porque penso que nunca o foi, no entanto ele pode ter várias perspectivas do nazismo. Já o questionaste sobre isso?



    Caldense

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:55, Anonymous Anónimo said…

    Zazie,


    E já chegaste a alguma conclusão se tem ou não ponto de real na afirmação do Nuno?


    Caldense

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:55, Blogger zazie said…

    ahahaha

    então um gajo vem-me para aqui com a maternidade e assina "das caldas", o que é que se estava à espera que dissesse?

    eheheheh

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:56, Blogger Hadassah said…

    Só acho que estás a perder tempo... com o Nuno.

    Foi uma saída infeliz dele, pronto!

    Não há aqui debate de ideias sobre este assunto, porque não vejo a ala protestante a subscrever a saída dele.

    Não vejo mal no uso da Wiki, eu fiz o mesmo.

    Só queis dizer que é fácil para ambos os lados apresentar argumentação, quanto a este assunto.

    Depois o Tiago, quando o admitiu referiu-se a qualquer coisa como maré de "relativismos"... e anunciou o "curriculum" religioso dele.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:58, Anonymous Anónimo said…

    Zazie,



    sou gaja.



    A caldense.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:58, Blogger zazie said…

    lá me vem o das caldas com perguntas malucas...

    como é que queres que eu descubra uma representação real à frente de um monitor...

    ai o c*****.... sei lá...

    Experimenta tu ir aí para o largo da termas e fazer um inquérito a quem passa:

    "Olhe desculpe, a senhora acha que os evangélicos ainda andam com nazismo papal na boca, ou será apenas um caso esporádico do Rambo do Trento na Língua"?.

    Experimenta, e depois conta-me os resultados.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 20:59, Blogger zazie said…

    aiiii...

    então se és gaja é mais chato: "a vagina das caldas" não tem o mesmo efeito folclórico

    ":O)))

     
  • At 11 de maio de 2007 às 21:01, Anonymous Anónimo said…

    Largo das termas não existe nenhum.


    Bom, quando falei no real, falei na vida real, naquilo que ele pesquisou para afirmar tal coisa meia bárbara.


    A caldense.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 21:02, Anonymous Anónimo said…

    lol agora sim Zazie, gostei!


    Assino sempre "a caldense", já se sabe que é equivalente a partes da vulva, etc..



    A caldense.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 21:03, Blogger Hadassah said…

    ÓKÉI

    Até logo ;)

     
  • At 11 de maio de 2007 às 21:06, Blogger zazie said…

    inté, beijocas meninas.

    Nada de levar muito a peito as partes baixas

    ahahahahah

     
  • At 11 de maio de 2007 às 21:28, Blogger zazie said…

  • At 11 de maio de 2007 às 23:04, Blogger samuel said…

    Fanático - Wikipédia
    Fanático (Juggernaut no original) é um personagem de quadrinhos da Marvel Comics, ligado principalmente às histórias dos X-Men. Seu nome real é Cain Marko. ...
    pt.wikipedia.org/wiki/Fanático_(Marvel_Comics) - 28k

    Vou eu cá muito metido comigo próprio, investigar na Wikipédia o que se passaria com os comentários da Zazie e tungas!, deparo com esta revelação bombástica...
    Bem me parecia que havia algo de estranho no Nuno Fonseca!

     
  • At 11 de maio de 2007 às 23:06, Blogger Nuno Fonseca said…

    Antonius,
    eu não dei reviravolta ao argumento, apenas passou-se a comentar outro post sob outra temática. Mantenho o que disse sobre Bento XVI: ele é um ex-nazi, por facto. Alistou-se ou foi alistado no Partido Nacional-Socialista. Se o foi por obrigação, e, se em espírito odiava a política de Hitler, e se tal foi a razão para desertar, ainda bem para ele. Mas não deixa de ser ex-nazi, ou sim? Se eu passasse a ser sportinguista, isso não invalidava a realidade de eu ser ex-benfiquista. Ponto.

    Mais: era uma piada. Tendo em conta o exílio de ex-nazis na latinamérica, a coincidência com Ratzinger era óbvia e implorava a minha ironia. Pena que não mostrem mais humor.
    Será fantismo?

    Lembro-te que comportamento esquivo não tem sido ou meu. Diz-me: sou eu que devo respostas sobre a intercessão de santos, a herança apostólica e a infabilidade papal?
    Quando voltares do café, diz-me.

    Zazie,
    não desdigo nenhum dos factos históricos que apontaste. Mas de novo, e repetindo pela milésima vez:

    'Afirmava apenas que se se esquecesse a questão da infabilidade papal, tendo em conta erros históricos, que os houve, era já meio caminho para um ecumenismo saudável. Porque sim, houve erros históricos da parte dos protestantes, mas não foram segundo um líder que se dizia enviado por Deus, a mando duma igreja que se diz do Senhor. Assim, os pecadores evangélicos estão por si'.

    Estas transleituras dos meus textos já fedem a má-fé, amigos.
    Tal como frases do género: 'só o Nuno conhece Cristo, só o gaijo compreende o Senhor'.
    Onde disse eu tal coisa? Isso sim, são subterfúgios de quem NÃO SABE RESPONDER OBJECTIVAMENTE, E REFOCA AS ATENÇÕES NA PESSOA DO AUTOR, sabendo que nada pode contra a autoridade bíblica que vê citada ou factos histórico que se lhe apresentam.


    Samuel,
    apenas demonstrei simpatia por ti, o que é um erro crasso. Pensava que alguém que compra tempo para comentar em blogues cristão, procurava Deus. Mas quando tudo o que tem a dizer são lamentos, que para pior dos pecados nem mostram poeticidade, e insultos, como os daquelas pessoas/carrinho-de-choque que só fazem sentido quando vão contra alguma coisa, concluo que nada farei para te edificar, nem tu por mim.
    Melhor faremos um ao outro se nos ignorarmos.

    Mais algo que queiram expiar em mim?

    Paz de Deus.
    A sério, paz de Deus.
    Sabemos o que isto é.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 23:11, Blogger Hadassah said…

    Zazie,

    Quando te puseste a mandar factos e provas, fizeste-me lembrar o Nuno. Foi só isso.

    Mas continua a "espicaçar" as mentes ... tu até sabes fomentar a discussão e aprende-se imenso (no meu caso).

     
  • At 11 de maio de 2007 às 23:17, Blogger Nuno Fonseca said…

    Já agora: a ausência do Nuno deve-se ao facto de ele ser trabalhador-estudante e, se acaso imaginam o que isso possa ser, tem uma vida.

    Citando Fialho Gouveia: 'Bem hajam'.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 23:27, Blogger zazie said…

    ó Nuno,

    Se ele foi nazi por vestir uma farda aos 15 anos, nem te digo o que eu posso ter sido por andar de de pressão de ar com a mesma idade...já para não falar noutras coisas mais explosivas aos 20...


    A infalibilidade do Papa é lá com ele, agora quanto a essa cena do "cu-menismo" bem a podes enfiar num sítio que eu cá sei.

    ":OP

     
  • At 11 de maio de 2007 às 23:29, Blogger Antonius Block said…

    Nuno,

    Eu tenho sido esquivo? Desculpa lá mas até tenho gasto muito do meu tempo aqui (até demasiado) concentrando-me na DOUTRINA e não no nazismo ou não nazismo de quem quer que seja. Garanti que ia responder às tuas citações bíblicas face aos santos, e estava para fazê-lo mas o que me impediu foi o tomar consciência que este blog não é meu e que comentário atrás de comentário a um post que originalmente nada tem que ver com o assunto não é forma digna de responder fundamentadamente (num post que já ia exageradamente longo em número de comentários). Mas se quiseres continuamos a conversa por mail (proposta que já lancei a outros) ou por outro meio qualquer. Aqui, não me parece indicado, pelo simples facto de não ser blogger aqui (ao contrário de ti).

    Sobre a infabilidade papal, não vi o que mais tenho que esclarecer. É muito simples, ela é válida apenas e somente em documentos vinculativos no qual o Papa diz expressamente que está a usar dessa capacidade. Desde que foi estabelecido tal dogma, ele não foi usado mais do que duas ou três vezes. Que eu tenha conhecimento, João Paulo II usou-o no que diz respeito ao celibato dos padres (e há dúvidas quanto a se de facto deve ser interpretado dessa forma) e a pouco mais. O que se quis assentar com a infabilidade papal foi o papel vinculativo e definitivo do Magistério no que diz respeito à interpretação da doutrina. Ao contrário do que se possa parecer, não é nada de novo. Implicitamente, a Igreja sempre acreditou nisso... (nada de doutrinalmente assente foi revogado até hoje) Essa infabilidade do Magistério é aliás comum aos ortodoxos, com a única diferença que eles não têm um Papa que o represente. Esse dogma é, ao contrário do que muita gente pensa, algo de extremamente acessório e que não contém nada de fundamentalmente novo.

    E já me extendi demasiado. Para discutir coisas de doutrina Nuno, ter-me-ás sempre disponível.

    Um abraço, em Cristo

     
  • At 11 de maio de 2007 às 23:31, Blogger Nuno Fonseca said…

    Não, obrigado. Deixo para ti as fixações rectais.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 23:33, Blogger Nuno Fonseca said…

    Antonius,
    o Trento só ganharia em ter-te no seu Concílio.

    Agape.

     
  • At 11 de maio de 2007 às 23:36, Blogger zazie said…

    Fixações hão-de ser tuas, ó c****.

    Então andas para aqui a chamar nazi a uma pessoa que não é da tua família e na volta dizes que foi só para ver se ajudava ao cu-qualquer-coisa...?

    Olha-me este.
    Era a mesma coisa que eu te chamar paneleiro e na volta dizer que era para contribuir para a União Zoófila.

    O caraças

     
  • At 11 de maio de 2007 às 23:49, Blogger zazie said…

    E essa dos erros dos líderes terem cobertura porque não foram a mando de Deus é cá uma coisa que faz favor.

    Foi em nome do Demo, se calhar...

    Lá porque nunca conseguiram ter Papa não quer dizer que não tenham existido "papás" a falar em nome do que Deus teria querido dizer, por meio da Bíblia

     
  • At 11 de maio de 2007 às 23:52, Blogger zazie said…

    quer-se dizer: um puto aos 15 anos é nazi por ter sido obrigado a incorporar-se naquela cena. E fica marcado para toda a vida pelo facto de mais tarde vir a ser Papa.

    Um chefe da Gestapo, em idade bem adulta e sendo pastor, é coisa de somenos porque não o fez em nome de Deus...

    vai dar banho ao cão

     
  • At 11 de maio de 2007 às 23:54, Anonymous Anónimo said…

    (também só cheguei agora)

    samuel

    O hino da Alemanha, tanto quanto sei, não faz parte do hinário baptista (que é muito semelhante ao das Assembleias de Deus). O do Reino Unido, sim. E, descobri outro dia, também lá está o ... das Ilhas Fiji. :)

    zazie

    O meu post visava, acima de tudo, reclamar pela tentativa de uma certa forma de censura. O Nuno apresentou factos (o Chick, da BD também) e em vez de o debate continuar normalmente já havia gente a bater com a mão no peito de indignação e a tentar amputar a discussão. Só isso. A minha "timidez" na defesa do Nuno teve a ver com o facto de, achando importante os dados por ele trazidos, e a persistência com que os apresentou, não concordar com a conclusão de que o actual Papa tenha sido nazi. A igreja romana teve óbvias ligações (mais uma concordata, mais uma fonte de injustiças - irão aprender alguma vez?) assim como outras igrejas. Mas daí até afirmar que o actual Papa foi nazi... Mas isto é a minha opinião. O importante mesmo é a possibilidade de apresentar argumentos e contra-argumentos.

    Pedro Leal

     
  • At 12 de maio de 2007 às 00:09, Blogger zazie said…

    uam certa forma de censura???

    gente a bater com a mão no peito?

    Mas isto é um blogue de flores de estufa ou quê?

    Tu não disseste nada e ninguém atirava para aqui com os factos se não fosse eu chatear-me e o fazer.

    Tu já estavas era a fazer passar a ideia que a Igreja Católica é que tinha as grandes culpas no nazismo. Quando se há gente que nem devia tocar neste assunto são os protestantes.

    Mas é que nem próximo deviam andar, porque é absoluto tiro no pé. Estão aí dados e, se for preciso, ainda boto mais.

    Quanto ao resto, da Concordata, parece que ainda nem percebeste que, por muito que v.s se armassem agora em donos de Deus e do Cristianismo, bem podiam esperar sentados porque não têm Estado do Vaticano.

    Ponto final. Era só o que faltava quem chega depois ainda vir ditar normas aqueles de onde derivam .Como heresias. Como heresia idêntica a muitas outras.

    Actualmente como uma igreja normal como muitas outras, salvo nestes exemplos terroristas da blogosfera.

    Ainda estou em crer que isto nem conta para estatísticas e que vs. os 2 são apenas um exemplo raro cá na terra.

    Não sei. Nunca me passou pela cabeça que os protestantes dissessem coisas destas ou ainda vivessem traumas de Roma.

    Verdade. Se soubesse até tinha perguntado a alguns que conheci. Mas sempre me pareceram pessoas normais e civilizadas.

    Em nada parecidos com os taradinhos dos ateus endemoninhados.
    Até pensava que os islâmicos é que eram mais arcaicos e paranóicos. Na volta estou enganada.

    Ou não estarei. De facto, bastava pensar no que foram séculos de humilhação dos irlandeses pelos portestantes ingleses que já devia ter percebido que há "espiritualidades" religiosas um tanto fanáticas. Ainda que dentro da dita civilização superior europeia...

     
  • At 12 de maio de 2007 às 00:12, Blogger Antonius Block said…

    Nuno,

    Muito bom artigo na Wikipedia sobre a infabilidade papal:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Papal_infallibility

    Afinal estava enganado, a Ordinatio sacerdotalis de João Paulo II não foi considerada abrangida pela infabilidade papal. Como poderás ler, tal dogma sempre disse respeito somente a definições dogmáticas ou de "doutrinas sobre a fé e a moral" contidas ou directamente ligadas à revelação divina.

    É um bom artigo sobre o tema... O que é raro, muitas vezes os conteúdos teológicos da Wikipedia são fraquinhos (embora goste bastante da Wiki em si). Acho que vale a pena ler.

    Um abraço, em Cristo

     
  • At 12 de maio de 2007 às 00:12, Blogger zazie said…

    Uma coisa te posso garantir.

    Nunca conheci um único católico, por mais apanhadinho da cuca que fosse a andar em guerrinhas religiosas com os protestantes. Ou a cobrar cenas do Lutero.

    Se o fiz, foi por questão histórica e de ideias. Nunca por formação religiosa.

    E mesmo dentro da histórica, sempre soube separar muito bem a genial crítica de um Erasmo, do resto que se lhe seguiu.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 00:16, Blogger zazie said…

    E espero bem que a Igreja Católica nunca "aprenda" como tu dizes.

    Porque é o mais importante bastião de defesa da espirutalidade e identidade histórica do Ocidente. Caso ainda não te tenhas dado conta.

    Bem que podíamos esperar sentados pelos reverendos coisos, se fosse preciso diálogo com o islão ou aproximações aos ortodoxos

     
  • At 12 de maio de 2007 às 00:17, Blogger zazie said…

    Têm-lhes cá um respeito e consideração que faz favor. Não falam eles noutra coisa a não ser nos reverendos coisos evangélicos...

     
  • At 12 de maio de 2007 às 02:12, Anonymous Anónimo said…

    Zazie

    Só para ver se percebes:
    1)Bater no peito e outras coisas que tais é uma atitude legítima como qualquer outra. Não pode é ser motivo para interromper o debate (forma de censura).
    2)O assunto foi levantado em torno da igreja de Roma e do Papa. Os protestantes também estão metidos ao barulho? (como parece óbvio num pais de maioria protestante) Fale-se também do assunto. E cada um assume o carapuço que lhe couber.
    3)Quanto à Concordata, julgo que não deve existir: seja com a igreja católica, com a luterana, com a presbiteriana ou com a metodista. Não quero, portanto, uma concordata igual ou melhor para a minha igreja. César e Deus bem separados.

    Pedro Leal

     
  • At 12 de maio de 2007 às 02:26, Blogger Nuno Fonseca said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 02:28, Blogger Nuno Fonseca said…

    Zazie, já fui dar o banho ao cão e ao regressar reparei que chegaste à conclusão certa: o que se faz de bem é em nome de Deus; o que se faz de mal é em nome do Diabo.

    Pois se mal foi feito por protestantes como o Rev. Coiso e tantas pequenas inquisições e miniaturados holocaustos, foram, dizes bem, feitos em nome de Satanás, que os inspirou.

    Pois aqui é que está a vossa confusão: uma coisa é condição exterior do indivíduo e outra a sua natureza íntima. Se por um lado o Rev. Coiso demostrava a condição exterior de servo de Deus, na sua natureza íntima descobriu-se ser seguidor do Iníquo. Da mesma forma, Ratzinger era Nazi de condição exterior: tinha a farda da juventude hitleriana e entoou os seus cânticos; contudo, a sua deserção provou que tal não era a sua natureza íntima. Todavia, chamar-lhe ex-nazi não é mentira, porque o foi. Intimamente pode nunca ter sido, mas foi-o exteriormente. E isso é o suficiente para um evangélico de lábia solta fazer uma comparação sarcástica com os ex-nazis de natureza íntima que se exilaram na latinamérica.

    Nunca uma piada foi tão explicada.

    -----------------------------------

    De novo, não cruzem a questão da infabilidade papal com o ex-nazismo exterior de Bento XVI. É do Pio XII que se fala quanto a isso.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 02:55, Blogger zazie said…

    Pedro:

    mas quem é que bateu com a mão no peito ou onde é que houve ameaça de censura?

    É apenas isto. Se inventamos tretas nem vale a pena conversar.

    Claro que os protestantes estão enterragos até ao pescoço se se lembram de chamar nazi ao Papa!

    Claro que estão. E não ficam de fora só porque não vão de papamobil ao Brasil! olha esta.
    Então isto é um blogue de católicos e protestantes e um protestante faz um ataque a católicos e estes tinham de se calar e não falar do que eles fizeram porque não era o tema?

    Parece-me que tu é que és a única pessoa a bater com a mão no peito e armar-se em falsa virgem.

    Os outros responderam com grande nível e estilo.

    E era bom (isto agora serve também para o Nuno que gosta de ser fiteiro) que se percebesse que só contam as respostas em poste dos membros do blogue.

    Já não é a primeira vez que vejo confundir-se esta questão básica.

    Postes entre membros do blogue são uma coisa: comentários aqui na cave são outra.

    Eu não tenho absolutamente nada a ver com o Trento .Se tivesse feito post no Cocanha linkando algum post faria sentido incluirem-me .Só pelo que larguei aqui nas catacumbas, não.

    A treta da Concordata não vale a pena. Já toda a gente te tentou explicar que é um acordo entre 2 Etados e por isso não tem nada a ver com norma interna ou com a Constituição.
    ...........

    Para o Nuno acho que não tenho mais nada a dizer. O que havia já foi dito, fantasias entre falar em nome de Deus aos 15 anos ou ser possesso pelo Diabo enquanto Igreja Protestante a aderir ao nazismo, passo.


    Se fosse para se falar nos protestantes que se opuseram e até combateram o nazismo, ainda valia a pena. Agora para possessões de alminhas cândidas e malefícios deliberados de jovens adolescentes católicos, não vale a pena.

    Olha, vai antes um crèpe Suzette. É capaz de haver mais paralelos por essas bandas que pelas cristãs...

    não é por nada. Tens um discurso que facilmente se confunde com o de um jacobino.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 03:02, Blogger zazie said…

    Essa capacidade de viajares no tempo e entrares na alma do Ratzinger adolescente, então é coisa de meter inveja a um Alexandre Dumas.

    Experimenta o romance de ficção que és capaz de te sair melhor.

    ........

    Eu só pergunto agora e bem de caras: v.s falam nestas merdoquices lá na igreja? isto é tema dado pelos pastores evangélicos ao rebanho?

    É apenas esta a questão arcaica que me intriga.

    Apenas esta- saber se o que aqui é dito também é tema público ensinado, doutrinado e arrepanhado pelos cabelos entre os evangélicos portugueses.

    Se anormalidade idêntica viesse de católicos a minha curiosidade era a mesma.

    Já escrevi coisas bem mais fortes a deitar abaixo aquele puritanismo paranóico de um César das Neves

    De resto, no mundo virtual já vi e li tudo...

     
  • At 12 de maio de 2007 às 03:05, Blogger zazie said…

    Ou seja:

    estarão os evangélicos e protestantes tugas todos a atirarem-se para o chão pelo facto do Papa ir de viagem ao Brasil?

    Se estão, não é preciso temer-se o fundamentalismo islâmico.

    E esta agora é mesmo uma velha boca para o cbs.

    Eu nunca achei que fossemos assim tão "civilização superior e laica e blasfémica e pós moderna "oposta aos terroristas do Armagedão...

     
  • At 12 de maio de 2007 às 03:08, Blogger zazie said…

    Até lamento não andarem por aí os ditos fundamentalistas islâmicos que também vivem cá na santa terrinha.

    Aproveitava para lhes perguntar se também andam a dizer estas coisas do nazismo papal na mesquita...

     
  • At 12 de maio de 2007 às 03:10, Blogger zazie said…

    E se também querem deitar abaixo a Concordata por causa da igualdade de cidania entre pretos e brancos.

    Ou se ainda debatem a pertinente questão do velho Pio ter dado um ou doze, para sabermos se escapou com sorte dos julgamentos de Nuremberga

     
  • At 12 de maio de 2007 às 03:20, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 03:21, Blogger zazie said…

    Olha, giro, giro era algum de vs. ter lata para linkar aquele ex-ml da Rua da Judiaria!

    Essa é que era. Se os evangélicos se babam pelo Papa ir ao Brasil e lhe chamam nazi, o que não dirá um judeu militante...

    ahahaha
    Palavra que esta é que fazia o pleno neste brilhante Trento de Língua destravada

     
  • At 12 de maio de 2007 às 03:57, Blogger zazie said…

    Sobre o Pio XII tentem diálogo com o Bernardo Motta
    http://espectadores.blogspot.com/2006_09_01_archive.html

    Eu nunca "falei" mas li textos dele bem interessantes

     
  • At 12 de maio de 2007 às 04:48, Anonymous chapeleiro maluco said…

    Zazie... os teus ataques de histerismo não permitem que vc leia os textos com lentes lúcidas: "Então para onde é que v.s já levaram isto, a não ser para duas intervenções anormais: uma de um chapeleiro maluco a defender o Bush (coisa perfeitamente relaccionada com o tema do nazismo papal0".
    Eu fiz o comentário sobre o Bush, levando em consideração as palavras do Samuel: "Já eu, que não tenho planos higienistas para o Nuno, gostava mesmo assim de o ver mais preocupado com os crimes que cometem ou com que pactuam, os evangélicos de HOJE e deixasse um pouco mais de lado os colaboracionismos ou o que quer que tenha sido, do Vaticano, há quase um século (não tarda nada).
    Ah, Nuno, não estou a falar do Iraque nem o raio que os parta... basta-me a pena de morte com que se babam de prazer milhões de evangélicos só nos EUA para justificar este meu "desejo".

    É evidente o infantilóide sentimento anti-americano não só neste comentário como em outros textos dignos de figurar nos anais da mediocridade.
    Se o velhinho com cara de raposa fez parte da juventude hitlerista foi, sim, um ex-nazista. Agora vamos começar a tapar o sol com a peneira?

     
  • At 12 de maio de 2007 às 11:40, Blogger samuel said…

    Ó chapeleiro maluco
    Então, ao que parece, eu sou alguém atacado de "infantilóide sentimento anti-americano"...
    Porquê? Por não gostar do inenarrável Bush, como vários milhões de americanos?
    Por achar que qualquer "cristão", seja ele católico, protestante ou evangélico que apoia a pena de morte é um hipócrita?
    Mais, a quantidade de coisas americanas de que eu gosto muito, admiro muito e que consumo assaz, estão ao que parece, para lá da sua compreensão, por isso nem vou enumerar nenhumas.
    Quer-me parecer que você nem deve "de" ser chapeleiro...
    Saudações.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 12:12, Blogger samuel said…

    Oh, Nuno Fonseca
    Não sejas assim, gaita!
    Sobretudo, não te ponhas assim...
    Então aquela definição da "marvel comics" não teve ao menos um bocadinho de graça?
    Descontrai, amigo.
    Ainda por cima quando te enervas começas a falar como os futebolistas ("Já agora: a ausência do Nuno deve-se ao facto de ele ser trabalhador-estudante") e isto fica a parecer uma daquelas conferências de imprensa...
    Aquela tua das "pessoas-carrinho- de-choque" esteve bem.
    Mais, Nuno, aquela minha boca de não querer encontrar-te em nenhuma igreja era uma brincadeira, homem. Um bocado parva, mas uma brincadeira. Mas se foi ofensivo, peço sinceramente desculpa. A sério. Temos que aprender a aligeirar um pouco os nossos diálogos.
    Prontos... tu serás um "bocadinho" fanático. E depois? Olha que somos todos, amigo. É é quase sempre por outras coisas...
    Mas de qualquer maneira a tua capacidade de te zangares a sério com estas merdas é notável!
    Ainda sobre uma frase tua, eu não sei se "compro tempo num blog cristão" para encontrar Deus, Nuno. Todos, em princípio, procuramos alguma coisa que não sabemos o que é. Quando encontrar e se fôr Deus, é Deus. Se não fôr, é outra coisa... mas façamos o nosso caminho!
    Para terminar, a tua sugestão de que fazemos melhor um ao outro se nos ignorarmos, sugere-me a despedida, até já, com uma quadra que leio numa tasca no Alentejo.
    Funciona melhor com sotaque "alantejano".

    Vizinhos de ao pé da porta
    quando nã forem leais
    bom dia uma vez por dia
    já sã conversas demais.

    Claro que não é o nosso caso!
    Nós "amemos-se"!
    Tens para a troca?

     
  • At 12 de maio de 2007 às 13:27, Anonymous chapeleiro maluco said…

    Samuel... "Por não gostar do inenarrável Bush, como vários milhões de americanos?" Não é isso, Samuel. Imaginar que um político agrade a todos - no caso, americanos - seria uma tolice, que você jamais cometeria, não é mesmo? O que eu não suporto é ser adepto do senso comum gramsciano e e se esconder em frases tipo "Por não gostar do inenarrável Bush".
    Motivos?
    Saudações.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 13:37, Blogger zazie said…

    ó maluco dos chapéus,

    Eu contigo nem perdi tempo. Venho aqui para falar de questões religiosas. Para neconeirismo já me bastaria o Blasfémias ou o Insurgente.

    É que nem vou responder. Nem tem nível para isso. Leia o Fufuyama se quiser conversar com alguém sobre um dos maiores erros estratégicos dos últimos tempos.

    Não há um único teórico que tenha apoiado a Invasão do Iraque que não tenha reconhecido o erro. Era agora um palhaço de chapéus tugas que sabia mais que eles.


    Comigo escusa de tentar conversas políticas. Não há histerismo nenhum, há passar à frente. Li meia dúzia de linhas do que escreveu e nem continuei. Não vale a pena. Não tenho tempo para banalidades dessas

     
  • At 12 de maio de 2007 às 13:39, Blogger zazie said…

    A única pessoa a quem sou capaz de mandar bocas a propósito do Bush é ao Tiago Cavaco. Porque já o leio há uma série de anos e sempre lhe admirei o estilo. O famoso estilo do "mestre das postas curtas".

    De resto, chapéus há muitos.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 14:02, Blogger samuel said…

    "O que eu não suporto é ser adepto do senso comum gramsciano e e se esconder em frases tipo "Por não gostar do inenarrável Bush".
    chapeleiro maluco

    Amigo chapeleiro...
    Esta entrada lembrou-me uma música do Carlos Mendes ou do Tordo, de um disco de Natal com muuuuuitos anos.

    "amigo pasteleiro
    de barrete e avental
    fazes do Natal
    um grande açucareiro"

    ...só por isso já lhe fico grato.
    Quanto à sua fézada de que eu me estou a esconder atrás do Gramsci, ni hablar, amigo.
    Não preciso de me esconder atrás de porra nenhuma para achar que o Bush é uma besta ignorante, que não passa de um fantoche nas mãos dos neononeiros, para usar o termo da Zazie, um mentiroso e o que é mais grave, um criminoso de guerra, convencido que tem uma missão que lhe foi dada directamente por Deus.
    Como estamos num blog religioso, e sem querer atingir ninguém nesta casa, como é evidente, adapto uma graçola de um cartoon sobre o profeta Maomé, para o "nosso" Deus, em que Ele desabafa:
    -É duro ser amado por atrasados mentais!
    E pronto. Isto resume mais ou menos o que penso de Bush.
    O meu apreço pela América, por alguns americanos e pelos frutos do seu génio é outro assunto.
    Ah, e quando me apetecer brincar às escondidas ou à apanhada ou à cabra-cega ou à malha com alguém, não deixarei de informar os outros meninos e meninas.
    Paz.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 14:06, Blogger samuel said…

    zazie said...
    ...e sempre lhe admirei o estilo. O famoso estilo do "mestre das postas curtas".
    1:39 PM

    Grande Zazie!
    Já frequentei um restaurante que tinha um cozinheiro assim...
    Nunca mais lá fui!

     
  • At 12 de maio de 2007 às 14:34, Blogger zazie said…

    Não era ironia, é mesmo verdade. O Tiago foi conhecido pelo mestre das postas curtas, logo no início da blogosfera. ia jurar que foi o Zé Mário Silva que inventou o epíteto.

    E já escreveu postes tão engraçados que ainda os recordo. Um deles foi o de uma cena de porrada a um negro que ficou uma semana sem poder dançar kizomba. Estava delicioso.

    Ia jurar que, de toda a malta aqui do Trento, o Tiago é a pessoa que leio há mais tempo. Um pouco depois conheci o meu querido amigo Timshel. Mas essa é história diferente, de longa amizade virtual.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 15:46, Blogger samuel said…

    A história do restaurante e das postas curtas era mesmo só um trocadilhozeco e não uma piada aos posts do Tiago, que gosto de lêr... tenham o tamanho que tiverem.
    Aliás, eu nem precisava nada de estar a dizer isto.
    O que eu quero mesmo é tentar ficar com o comentário número 100!

     
  • At 12 de maio de 2007 às 16:09, Blogger zazie said…

    "O que eu quero mesmo é tentar ficar com o comentário número 100!

    à falta do 69, que foi todo do Nuno

    ahahhahaha

     
  • At 12 de maio de 2007 às 16:11, Blogger Hadassah said…

    óó zazie! roubaste-me a ideia!

     
  • At 12 de maio de 2007 às 16:23, Blogger Hadassah said…

    ups... foi o Samuel quem roubou. :)

     
  • At 12 de maio de 2007 às 17:15, Blogger Antonius Block said…

    agora há que começar a apontar para o 200!

     
  • At 12 de maio de 2007 às 18:07, Anonymous chapeleiro maluco said…

    Zazie... a única zazie que conheço é uma maluca metida a disco voador de um seriado antigo da televisão brasileira. Cabe bem em você que aconselha a ler "Fufuyama" e desconhece a realidade americana, como por exemplo a privatização da CIA.Poupe-me dos seus níves medíocres, tenho mais o que fazer.

    Samuel... o mesmo vale para vc que desconhece o que acontece nos bastidores americanos e fica lendo pílulas intoxicadas pelo fermento politicamente correto com suas tenazes e suas análises que nem merecem consideração.
    Senso comum, Samuel. És um soldado raso que desconhece servir este exército.
    Conseguiu arrancar um sorriso pois não há como brincar vc é a própria cabra-cega.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 18:28, Blogger samuel said…

    "...e fica lendo pílulas intoxicadas pelo fermento politicamente correto com suas tenazes e suas análises que nem merecem consideração"

    Ganda chapeleiro
    Eu até leria... se fizesse a mais ínfima ideia do que possa ser essa "chapelada" de palavras.
    De onde é que o amigo tira estas pérolas?
    Não diga! Eu não quero realmente saber e há senhoras a ler o blog.
    Realmente, continuo a duvidar que seja chapeleiro, mas quanto à maluquice...
    Manda brasa, amigo, que este blog às vezes não tem muito de que possamos rir com vontade.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 18:35, Anonymous chapeleiro maluco said…

    zazie... só agora caiu a ficha, é que tenho dificuldade para entender o balbucio de crianças.
    "Fufuyama" deve ser Francis Fukuyama, só faltou citar Samuel Huttington.
    Já que me aconselhaste, que tal dar uma olhada em Sean Hannity, Ann Coulter, David Horowitz, Thomas Sowell, Bill O´Reilly, Cal Thomas. Ou vive tomando sopa e assistindo Michael Moore?

    samuel... vc parece ser ser visceralmente anti-Bush — na verdade, em boa medida, anti-americano — por conta de um misto de complexo de inferioridade com arrogância do oprimido que desperta de uma espécie de servidão e, em vez de falar como senhor, fala ainda como escravo. A imagem tem ecos do Nietzsche de A Genealogia da Moral. Um senso comum vagabundo se junta com complexo de culpa para resultar numa mistura boboca de desídia intelectual e criticismo vulgar.
    Obrigado, samuel, a ironia é o aplauso dos incapazes.
    Saudações.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 18:41, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 18:42, Blogger zazie said…

    É isso mesmo, meu. Isto quem não está com Bush é comuna. Devias ter dito logo de início prá gente entender nível por baixo do chapéu.

    Era-me só o que me faltava apanhar agora uma versão do jcd de sambódromo...

    Estes c***** não f****? é só busho e "o" Coulter na boca?

     
  • At 12 de maio de 2007 às 18:58, Blogger samuel said…

    "samuel... vc parece ser ser visceralmente anti-Bush"

    Já se tinha percebido que o meu amigo pensa com os intestinos... mas eu não, chapeleiro maluco, eu não sou visceralmente contra coisa nenhuma a não ser talvez a "obistipação", viu?
    Quanto ao restante das suas doutas considerações, você parece uma porra de um crítico de pintura CEGO! Vai dizendo umas merdas e sempre pode ser que alguma tenha qualquer coisa que ver com o quadro. É como já disse. A coisa durante um bocado é hilariante, depois torna-se triste!

     
  • At 12 de maio de 2007 às 19:29, Anonymous chapeleiro maluco said…

    Samuel... hilariante...rarara... não consigo me conter lendo os argumentos imberbes de um jovem que imagina conhecer alguma coisa e mal consegue digitar merdas e porras. A boca fala do que o coração está cheio.

    Zazie... vc logo superará a fase de rebelde com causa que ignora Coulter ou qualquer coisa que o valha para ficar mergulhada na mesmice de Chomsky e na patetice mentirosa de Moore.

    Essa dupla promete: textos que mais parecem laxantes e pensamentos que transitam entre a tolice e o soco de um peso pena.
    Tentei colher alguma coisa de útil e infelizmente não consegui.
    As palavras da dupla são apenas bolos fecais desovados por adolescentes que imaginam ter algo a acrescentar.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 19:50, Blogger samuel said…

    Danou-se! Agora é que o homem está mesmo de caganeira.
    Já que gosta de falar em complexos, livre-se desse o mais depressa possível "cara"! A história do colonialismo "portuguêis" já lá vai faz muito tempo. Só ficam as anedotas...
    Lá, as do "Manueu e Joaquim", quase sempre padeiros.
    Aqui, as de brasileiros quase sempre... você sabe.
    E agora a anedota do chapeleiro maluco. Já lhe contaram?
    Mas nem tudo é mau!...
    Aquela de me chamar jovem, foi simpática.
    Errada, como sempre, mas simpática.
    Estou até quase, quase a desistir de o mandar à merda...
    É! Não mando!

     
  • At 12 de maio de 2007 às 20:04, Anonymous chapeleiro maluco said…

    samuel... é, depois de "caganeira" e "mandar à merda", estou lhe enviando chupeta, fralda descartável e mamadeira.
    E se não és jovem, resta-lhe não o berçário, mas um sanatório, manicômio ou um tratamento a base de choque nos testículos. Talvez o parafuso que está solto encontre o devido lugar.
    como és uma criança birrenta, um tolo sem argumentos ou um simples louco, deixo-lhe a última palavra.
    Cortesia da casa.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 20:22, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 20:23, Blogger zazie said…

    ó tolinho, ainda nem sabias pronunciar Coulter e já eu debatia a invasão do Iraque no Pastilhas sem nunca precisar de ver o filme desse bimbo.

    Tu desaparece-me da frente que me causa fornicoques esbarrar com toinos.
    ahahahaha

    É que já não há saco para isto. Fartei-me de aturar os mongos esquerdalhos aquando da invasão- com aquelas cartas abertas à Gabriel Garcia Marquez e agora, quando até o Bush já está arrependido aparecem-me estos tolos vindos sabe-se lá de onde.

    ò toino, se não sabes inglês, nem estás a par do que os neocons já afirmaram publicamente, ao menos lê o VPV. Ficas mais tranquilo que o VPV é tão esquerdalho quanto eu.

    Só não é mongo, como tu.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 20:26, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 12 de maio de 2007 às 20:27, Blogger zazie said…

    É impressionante porque há uma data de mongos destes .Eles têm o mesmo esquema mental de um esquerdalho maniqueísta anacleto e depois limitam-se a dizer umas palavras ao contrário deles,como reactiva ideológica.

    E julgam que pensam

    ahahahaha

    O palonço do jcd do Blasfémias é igualzinho. São rituais de acasalamento de bando
    ":O))))

     
  • At 12 de maio de 2007 às 20:31, Blogger zazie said…

    Decoram a palavra Chomsky e mais os filmes do Moore (que eu nunca vi. prefiro o Smog of Wars com as entrevistas ao MacNamara) e opõe-lhes o travesti do Coulter e mais umas macacadas que lhes ensinaram que são boas porque são de "direita" e já está. Já está provada a magnífica campanha de guerra preventiva do Iraque.

    Só é pena que estas bestas não passem de sissy hawks. Faziam melhor em alistarem-se para ajudar o Bush

     
  • At 12 de maio de 2007 às 20:55, Blogger zazie said…

    é... eu também virei caçula rebelde

    eheheheh

     
  • At 12 de maio de 2007 às 21:04, Blogger samuel said…

    ó chapeleiro maluco
    você tem o que se lhe diga, criatura.
    você vale por uma multidão...
    você não é um, é uma verdadeira bicha.
    mas tudo tem um fim.
    mesmo nos dias em que sou capaz de achar graça a um peido, nunca gosto do cheiro que se espalha.
    não se dê ao trabalho de me responder pois aqui no "manicômio" é absolutamente proibido brincar com merda.
    Como deve ter reparado, este blog é um espaço livre de debate entre católicos, protestantes e evangélicos. Tão livre que até cá apareço eu, que não sou religioso.
    Por isso não tenho que ter tanto "trento na língua" como os outros.
    Assim, e como sentida despedida, se encontrar a sua amiga Anne Coulter, pegue nela mais nas suas ideias e vá apresentá-la ao cesto de ameixas podres que o pariu!
    Tichau!

     
  • At 12 de maio de 2007 às 21:07, Blogger samuel said…

    tichau, mais dji veis, vice?

     
  • At 12 de maio de 2007 às 21:09, Blogger samuel said…

    assim tchipo párá sempri, mórou?
    páisss!

     
  • At 13 de maio de 2007 às 14:47, Anonymous chapeleiro maluco said…

    Samuel... "Lá, as do "Manueu e Joaquim", quase sempre padeiros.
    Aqui, as de brasileiros quase sempre... você sabe". Que comportamento belicoso. queres atiçar rixas baseadas em piadas idiotas sobre padeiros portugueses burros... e brasileiros não sei das quantas. Ridículo.
    Não considere um elogio "Aquela de me chamar jovem, foi simpática", vc é incapaz de ler nas entrelinhas
    atitude típica de um adulto fisicamente falando, mas de um jovem intelectualmente. Espero que os jovens não se ofendam.

    Zazie... não costumo espancar crianças. Exijo um minímo de estatura do deliquente.

     
  • At 13 de maio de 2007 às 19:57, Blogger samuel said…

    Caro chapeleiro ˙ƒˇ˙ıˇ˙ˇ˙∂
    ∫¯„ˇƒ∂ „¯˙˙  åßß®ƒ øˇƒ˙†˙ˇ©ˇƒ˙© „¯ˇ˙∫ ß∑å ¸‘„   ∂ «ˇ∫¯µ  ƒ˙ˇ¥ ø
    ¯ˇ ß∂ ¸ø¯ ¥™∂ƒ ππøø„ ∂ß«!
    ¯ˇ√„¯ø‘„ ®™æ®™æ®™ ∂¥ƒ˙
    ‘¸„ åß∑ ı† ™∂˙ †ƒ
    æß †ˇ Ω«©√∫.

     
  • At 13 de maio de 2007 às 21:11, Blogger zazie said…

    c'est bien comme ça?

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here