quarta-feira, maio 09, 2007
Aproveitando a boleia
Vejam lá do que é que os protestantes, esses borrados, são capazes de escrever:

"Não existe nenhuma diferença entre a segurança que descansa nas boas obras e a segurança construída sobre o conhecimento objectivante. O homem que deseja crer em Deus deve saber que não dispõe absolutamente de nada sobre o qual possa construir a sua fé, e que, por assim dizer, se encontra suspenso no vazio."

Disse-o Rudolf Bultmann, certamente após ter mudado de cuecas.

Tiago Cavaco
posted by @ 11:30 da tarde  
9 Comments:
  • At 10 de maio de 2007 às 00:20, Blogger zazie said…

    "deseja crer"? mas isso é por opção?

    Eu também acho que o medo é desculpa esfarrapada para o que devia ser um glorificação da Vida. Mas daí a ser positivismo colocado no prato da balança entre a solidão e desamparo e a solidão desamparada mas com Deus dentro, é que vai muito...

     
  • At 10 de maio de 2007 às 00:22, Blogger zazie said…

    E qual é a segurança construida sobre o conhecimento objectivante?

    as vacinas? a penicilina? a anestesia geral? a previsão meteorológica

     
  • At 10 de maio de 2007 às 00:38, Blogger Antonius Block said…

    Quem disse que havia segurança nas boas obras?

    O que não há é fé sem boas obras, e verdadeiramente boas obras sem fé.

    Leia-se o documento assinado pelas confissões Luteranas e a Igreja Católica sobre a justificação.

    Os evangélicos ainda andam com essa? Bah...

     
  • At 10 de maio de 2007 às 08:35, Blogger Hadassah said…

    Antonius,

    Fé é confiança absoluta e nesse caso, é segurança.

     
  • At 10 de maio de 2007 às 13:26, Blogger samuel said…

    Será que um guarda da Brigada de Trânsito aceita a FÉ como segurança suficiente para não usar o cinto?
    É que eu detesto usar o cinto. É uma verdadeira ofensa à minha "fé" de que não vai acontecer nada.
    Fé é segurança! Ele há cada uma!...
    Não será mais "sensação de, estado de espírito de"?
    Aliás, normalmente quando acontece o acidente que estávamos "seguros" que não aconteceria, põe-se normalmente a "culpa" nos "insondáveis desígnios de Deus".

     
  • At 10 de maio de 2007 às 13:50, Blogger Hadassah said…

    Samuel,

    Apenas transcrevi o que consta do dicionário:

    http://www.infopedia.pt/E2.jsp?t=2

    Eu se fosse a ti não arriscava, é que Deus tbém nos aconselha à prudência e à obediência às autoridades, para nosso bem...eh eh eh

     
  • At 10 de maio de 2007 às 16:04, Blogger samuel said…

    Hadassah
    Estava no recreio...
    Ganhaste! Vou pôr o cinto, "prontos"...

     
  • At 10 de maio de 2007 às 16:20, Blogger Hadassah said…

    eh eh eh
    Eu bem que tinha razão quando disse que considerava muito mais o Samuel como meu irmão (na figura de Filho Pródigo), do que o outro que se atreve a escrever textos daqueles!

    Ele até dá crédito às minhas reprimendas :) ...

    Samuel,
    Desculpa mas agora sou eu que estou no recreio!

     
  • At 10 de maio de 2007 às 18:01, Blogger Patrícia said…

    Apesar das cuecas e borradas e toda a merda que está misturada, concordo inteiramente com o Samuel. Aproveito a boleia para me confessar que nunca fui capaz de encontrar a fé, e boas colheitas tenho feita.
    No entanto, e para mim, é complicado compreender como há gente que é movida (ou quer ser movida) por ela. Mas se essa ilusão conduz pessoas à alegria, felicidade, iludam-se. Já a própria vida tb o é.

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here