quarta-feira, novembro 07, 2007
O estado dos evangélicos
Este artigo é ouro. O estado dos evangélicos. Obrigatório ler. Seis reputados evangélicos respondem.

Sobre quem são os evangélicos:

"While Evangelicals are found among the many Protestant traditions, not all believing Protestants are Evangelicals. In this sense, Evangelicalism is a trans-denominational movement".

"It is a movement with sources in the Protestant Reformation, yet augmented or even radically altered by pietism and revivalism" e "conversion and evangelization seem to be the uniting factors".

O que distingue os evangélicos dos outros:

"Evangelicals have tended to incline to what spiritual writers call the “active life,” as distinct from the “contemplative life”" e "It is clear that the Body of Christ, to be fully obedient, needs both Martha and Mary. Evangelicals have usually been most naturally sympathetic to Martha".

E agora para o Pedro Leal, muito admirado com o actual fascínio de muitos evangélicos pela Igreja Católica:

"Recently many Reformed as well as Evangelical intellectuals have found themselves theologically and liturgically more at home in Catholic churches".

E porquê:

"In defining itself against liberal Protestants on the one hand and Roman Catholics on the other, much of Evangelicalism has become seriously deficient of ecclesiology and of the Great Tradition in general. To some extent, this situation has led to the contemporary decay of the movement".

Por isso:

"One can now find Baptists and other Evangelicals beginning to borrow Anglican liturgy and Catholic guides to the life of prayer, both of which in our parents’ generation would have been unthinkable".

E chega mesmo a haver esta pergunta: "What would you say to an Evangelical tempted to become Catholic or Orthodox?".

E por fim:

"I certainly appreciate the frustration that many Evangelicals have with the movement’s informality and lack of substance" e "Starved for mystery, transcendence, maturity, order, theological richness, liturgy, and history, many young Evangelicals are discovering Reformation Christianity. Yet for some, it is only a rest stop on the way to Rome or Orthodoxy".

Ouro, eu disse ouro. Mas fiquem descansados: uma vez Baptista, Baptista para sempre.

Tiago Cavaco
posted by @ 8:22 da manhã  
19 Comments:
  • At 7 de novembro de 2007 às 09:45, Blogger cbs said…

    mal ou bem as velhas igrejas são faróis poderosos; não só Roma, mas também a "nova Roma", a igreja ortodoxa.
    O que dá força à teoria do tronco comum e das ramadas, como dizia algures aí abaixo, o meu caro José. Como sabemos, sem esqueleto o corpo desaba... e não me refiro ao Livro mas a "mystery, transcendence, maturity, order, theological richness, liturgy, and history"

    E tens toda a razão Tiago, uma vez Baptista, sempre Baptista, lol

    como eu, "Baptista",mas... "dos Santos", lolol

     
  • At 7 de novembro de 2007 às 13:27, Blogger João Leal said…

    Na mouche!

    (a da Marta teve piada)

     
  • At 7 de novembro de 2007 às 13:48, Blogger Hadassah said…

    nós nunca estamos satisfeitos com o que temos...há uns anos queixávamos-nos de excesso de "liturgia"...a mim parece-me que tem que haver equilíbrio...ambas as formas em excesso são manipuladoras...é essencial assegurar alguma liberdade ao Espírito, à manifestação de Deus.

     
  • At 7 de novembro de 2007 às 20:06, Blogger Paulo Ribeiro said…

    Eu que sou membro não praticante do trento abro aqui uma excepção, porque, de facto, o artigo é muito bom. Em principio serei sempre Baptista. Não tenho o apelo da mudança para paragens romanas (não tenho o apelo da mudança em geral), mas compreendo a frustação que se pode sentir com o movimento evangélico e, particularmente, com as cerimónias religiosas evangélicas, porque a sinto também com mais frequencia do que a desejável.

    Paulo Ribeiro

     
  • At 7 de novembro de 2007 às 21:20, Blogger Tiago Oliveira said…

    Caros amigos,

    1º- o senhor que falou acima é membro da igreja da qual sou pastor.

    2º- Concordo com ele. Tanto no facto de que duvido que a igreja católica ganhe mais um membro comigo, quanto na frustração em relação às cerimónias religiosas.

    Assim, sou daqueles que estou em busca da redescoberta de um culto mais "substancial". Confesso que, neste aspecto, tive de começar do zero e há bem pouco tempo.

    Mas,
    Caro cbs,
    a igreja católica vive com um grande problema. Tirando meia dúzia de católicos (veja-se os exemplos aqui do Trento) nenhum compreende o que se passa realmente nas cerimónias. Toda a simbologia subjacente a cada acção é, para esses, completamente isenta de significado.

    Cara hadassah,
    o problema não é liturgia em excesso ou em falta, mas sim a qualidade, o significado. E quanto a isto, desde que nasci sempre fomos muito pobres neste aspecto.

     
  • At 7 de novembro de 2007 às 22:14, Blogger Henrique Dória said…

    Divirto-me a ler toda esta metafísica. Olhem que se Deus é nosso pai, é urgente pedir a inibição do poder paternal porque a um pai que faz filhos com quatro braços e quatro pernas, duas cabeças, dois cérebros e duas barrigas juntas, etc,etc. qualquer tribunal tem o dever sagrado de decretar a inibição do poder paternal para proteger os filhos.

     
  • At 7 de novembro de 2007 às 22:47, Blogger Hadassah said…

    Se bem entendo, liturgia consiste num "programa" pré-definido para a celebração religiosa (?)

    Não entendi a essência da vossa "frustração" ... prende-se com a estrutura do culto? Com as partes que o compõem? Consideram que deveriam existir outros tipos de actividades no culto? Ou prende-se com a qualidade das pregações?

    No meio pentecostal existem os chamados cultos "públicos" dedicados à evangelização, os cultos de estudo bíblico, dedicado ao enriquecimento e ao amadurecimentos espiritual dos membros da igreja e os cultos especiais de louvor, de adoração e de contemplação, se assim quiserem.

    É no tempo de adoração e de louvor que nos dedicamos à contemplação de Deus ... mas não a uma contemplação "muda", fria e distante como a que se pratica na igreja católica. Trata-se da busca do Espírito Santo, que nos leva à contemplação e à experiência sublime de Deus em nós...

    É certo que já tivemos tempos mais avivados dos quais tenho até saudades ... mas, entre o calor espiritual da minha igreja e o gelo das sés e das catedrais católicas, sinto-me muito bem na minha "casa"...

    Provavelmente estamos a falar de coisas diferentes, admito...

     
  • At 8 de novembro de 2007 às 00:13, Blogger Nuno Fonseca said…

    Não vejo ouro nenhum. Leio um texto opinativo, sem sustento empírico, lógico, ou bíblico. Pode servir o ámen de romanistas e bizancistas, mas pouco mais.

    A liturgia não interessa ao menino Jesus. Literalmente.

     
  • At 8 de novembro de 2007 às 01:50, Blogger cbs said…

    "A liturgia não interessa ao menino Jesus"... boa!

    "Divirto-me a ler toda esta metafísica"... melhor!

    "Provavelmente estamos a falar de coisas diferentes, admito..." também eu, também eu

    E o que vos digo é que o Trento tá lindo, uma cosmopolis ecuménica, lol

     
  • At 8 de novembro de 2007 às 08:19, Blogger Tiago Cavaco said…

    Nuno, tive uma professora de História que dizia constantemente: "a ignorância é atrevida".

     
  • At 8 de novembro de 2007 às 12:00, Blogger Nuno Fonseca said…

    Vou supor que me chamas ignorante ou atrevido ou ambos. Levo o primeiro como uma realidade humana incontornável, e o segundo, a ousadia, como um atributo do Espírito.

    Mas não acredito que me dirias o porquê do meu erro, se o há.

    Contudo, é-me direito não apreciar dado texto, que é o caso deste. Biblicamente, o polemista e o vendedor de controvérsias é mal-visto, e na América evangélica actual, pululam pregadores legalistas que querem recuperar as liturgias, lenços nas cabeças femininas, e hinos low-tempo, à custa de tablóides e contendinhas de beato roído, como os do amiguinho que me citas, pois não dançam o r&b de Cristo, ou simplesmente não distinguem Cristianismo de cultura eclesiástica.

    Hey, but maybe it's just me.

     
  • At 9 de novembro de 2007 às 09:53, Blogger Tiago Cavaco said…

    É isso, Nuno. Chamo-te ignorante e atrevido. Mas talvez o problema seja meu e de todos os que não foram iluminados na distinção entre Cristianismo e cultura eclesiástica.

     
  • At 9 de novembro de 2007 às 11:46, Blogger Nuno Fonseca said…

    Olha, a falácia do isolamento. Mas ninguém te aponta a magnum, amigo.

    As tuas preocupações não duvido que sejam sinceras; simplesmente, há, no Corpo de Cristo, quem queira ganhar notoriedade por meio de polémicas, de reformas dentro da Reforma, insistindo num espírito crítico for the sake of it, e não pelo Espírito da Verdade. São reaccionários atrasados.

    Mas, de novo, é esse o papel dos baptistas-para-sempre dentro da Aliança, que olham para nós, e dizem muito paternalistamente "Não sabes do que falas. Porta-te bem", ou "És ignorante e atrevido".

    But it's all good. Todos os membros no seu lugar.

    Paz.

     
  • At 9 de novembro de 2007 às 12:07, Blogger samuel said…

    Aliança? :) :)

     
  • At 9 de novembro de 2007 às 18:46, Blogger Tiago Cavaco said…

    Nuno, quero reafirmar aqui o meu paternalismo. É o que costumo dispensar a todos aqueles que quando deram por si eram donos do Espírito da Verdade.

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 00:44, Blogger Nuno Fonseca said…

    Tiago, não te dispenso o paternalismo. Mas sim as falácias para me desacreditar. E desta vez, foi a do homem-de-palha.

    Ora, nunca me disse dono do Espírito da Verdade. Mas lá foste tu, para me criares um espantalho aprumadinho, metendo mais palha de ignorância, de atrevimento.

    Penso que arrufos entre irmãos não incluem socos sob o baixo-ventre apologético.

    Também reafirmo: o texto é obviamente pretensioso e politizado (W.A.S.P.), e procura atrair as atenções escandalizadas de toda a vítima destes santos polemistas e perfeitos concristãos-do-contra, que ainda espalham-e-não-ajuntam mundo fora, e, antes, ruminam a sua prédica geriátrica, distribuindo profetadas na cara dos irmãos evangélicos, elogiando, para tal, católicos, ortodoxos, mórmones, budistas, e a Satanás, se preciso, para disciplinar as mentes mais humildemente ignorantes e atrevidas da congregação, ciosas, segundo eles mesmos e mais ninguém, destes paternalismos, cujos efeitos na edificação dos crentes ainda esperam ser provados por experiência, e, sobretudo, Escritura.

    Não há lugar para intelectualismos nem liturgias na igreja cristã, pois isso morreu com o gnosticismo, graças ao holocausto teológico que o Senhor permitiu, para o fim bendito dessa heresia.

    Fique todo o Pater com as iluminuras, os vitrais, os incensos, as vestes empoeiradas do sacristão, e os kierkegaards e nietchzes na pausa da merenda, que eu fico com a Palavra do Senhor, o Amor do Pai, e a unção do Paracleto.

    Pois creio em Jesus, e não numa igreja, e interessa-me a vida do Messias, para que O imite, e não a eclesiologia através das eras, que mais me diz sobre o que evitar.

    Sue me.

    Paz.

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 16:12, Blogger Tiago Cavaco said…

    Nuno, eu já te contei de uma professora de História que em tempo tive que dizia que "a ignorância é atrevida"?

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 23:13, Blogger Nuno Fonseca said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 23:18, Blogger Nuno Fonseca said…

    Tiago, e eu já te disse que o facto da tua professora de História ter dito certa altura que 'a ignorância é atrevida' não o faz uma verdade absoluta, e não pressupõe que um comentador do teu blogue, anos mais tarde, que por acaso discordaria contigo, o seja; e que o repeti-lo não te faz mais certo perante ele ou mais ninguém?

    Ah, agora é a falácia do argumentum ad nauseam!

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here