sábado, novembro 10, 2007
Esclarecimento
Ó CBS, o Trento na Língua foi criado para ser um Fight Club com aprovação divina. Mas essa de andares em conversinhas com ateus militantes está claramente fora de âmbito. Uma coisa é porrada (Deus não tem problema com isso, asseguro-te), outra é luta na lama.
A humildade para debater com esses é uma fraude, pá. O nosso negócio é mesmo a superioridade de sobre eles termos razão (o tal logos que os excita) e, quando muito, os incluirmos nas nossas orações. Por uma questão de misericórdia cristã.

Tiago Cavaco
posted by @ 4:13 da tarde  
30 Comments:
  • At 10 de novembro de 2007 às 16:25, Anonymous Anónimo said…

    clap, clap, clap!

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 17:54, Blogger David Cameira said…

    DEUS abençoe o seu servo que colocou aqui este post

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 17:56, Anonymous Anónimo said…

    E a isto se chama religião, um deus assim o melhor que fazia á humanidade era deixar de existir.
    Eis a forma como os crentes evangélicos devem ser tratados, ou obedeces cegamente ou és condenado.
    Eis o génese da religião, o medo e a ignorância

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 18:26, Blogger Hadassah said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 18:29, Blogger Hadassah said…

    O caro Anónimo está a confundir "obedeces cegamente" com "brio" espiritual.

    Depois usa de conclusões fáceis, infantis e igualmente ignorantes :"o génese da religião, o medo e a ignorância"...shif shuif

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 18:32, Blogger cbs said…

    Pois é Tiago… sabes o apreço em que te tenho…
    Mas essa das “conversinhas” está-me a fazer lembrar aquele partido que tinha “paredes de vidro”.
    Já falámos nisto Tiago; no momento em que este blog deixar de ser aberto, deixa de contar comigo. Sem animosidades, que eu aceito de bom grado o juízo que me fizerem, mas é assim. Acho até, que devemos pedir maior exigencia a quem é aqui autor de posts, do que com quem apenas comenta.

    Seja como for, considero um dos principais deveres de cristão ser humilde, não olhar de cima; convidar, respeitar, atrair e servir a todos… mesmo. Humildade Tiago, é para mim, também, não passarmos uns por cima dos outros e não abdico dela seja onde, e com quem for.
    E também não me parece nada que isto seja “luta na lama”.
    O que quero dizer a “esses” irmãos nossos cabe aqui:
    “O mesmo Deus, que revela os mistérios e anuncia a fé, acendeu no espírito humano a luz da razão. Deus não pode negar-se a Si próprio, nem a verdade pode jamais contradizer a verdade. (…)
    Mais ainda: aquele que se esforça, com perseverança e humildade, por penetrar no segredo das coisas é como que conduzido pela mão de Deus, (…) mesmo que não tenha consciência disso.
    Ponto 159 do Catecismo da Igreja Católica

    Um abraço em Cristo

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 18:34, Blogger Hadassah said…

    Mas a nossa "luta" não deve ser propriamente contra anónimos ateus... mas essencialmente contra de quem este caro anónimo incoerentemente se alcunha.

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 18:39, Blogger Hadassah said…

    Cbs, “esses” irmãos nossos " ?!?!

    grande confusão que vai na tua cabeça em relação à humildade cristã...

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 19:28, Blogger cbs said…

    Hadassah
    confusão na minha cabeça não falta, é verdade :)

    mas por acaso conheces algum humano que não seja filho de Deus?
    quanto à humildade, sinceramente, não vejo equívoco nesse particular: olhar apartir de baixo.
    Lembro-me de Jesus a lavar os pés do apóstolos; se Ele o fez quem somos nós para fazer diferente?
    é verdade que não sou capaz e que muitas vezes sou irónico na aparencia de humilde. Pecados meus :(

    Ainda diz o outro que a animalidade é um dos elementos essenciais ao desenvolvimento individual. Talvez, mas a besta que tenho cá dentro dá-me muito trabalho a pôr na ordem, pelo menos a mim :)

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 19:35, Anonymous Anónimo said…

    Com imbecis não existe debate. Só por imbecilidade idêntica se pode pensar o contrário.

    Fazer posts a responder a provocações de atrasados mentais é considerar que este blogue foi feito para eles e é escrito por idênticos atrasados mentais.

    Responder numa caixa de comentários é uma coisa, trazer a falta de nível para post é outra.

    Existe o Diário Ateísta para quem precisa destas exorcizações pimba. Basta irem para lá.

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 19:37, Anonymous Anónimo said…

    Os complexos de inferioridade também nada têm de humildade.

    O que li, foram insultos soberbos de um maluco ignorante que tem um blogue de ateísmo para retardados.

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 19:40, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 20:55, Anonymous Anónimo said…

    Parece que a "humildade" desistiu rapidamente do "irmão", no outro post, por falta de argumentos.

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 21:24, Blogger cbs said…

    sim, e também pla inferioridade, a fraqueza, os rancores... vai com Deus krida :)

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 23:25, Blogger Nuno Fonseca said…

    Anónimo ateísta, para quem não acredita em Deus, decerto demonstras muito ódio para com Ele, e o Seu povo. Porquê, posso perguntar?

    Mas penso que um intento há em ti, que ultrapassa o de siplesmente lincares o teu blogue em estilo cheap-plug, e insultares quem discorda de ti.

    Talvez estejas à procura da resposta divina, e sondes o Senhor entre nós.

    Antes, lê a Palavra e acharás a Verdade. E teremos prazer em responder-te, caso haja dúvidas.

    Paz.

     
  • At 10 de novembro de 2007 às 23:29, Blogger Hadassah said…

    "Lembro-me de Jesus a lavar os pés dos apóstolos, se Ele o fez quem somos nós para fazer diferente?;"

    Cbs,

    ...consegues imaginar Jesus a lavar os pés a um vendilhão, a um mercenário ou a um fariseu?! Não queiramos ser "melhores" do que ele. Eu não chamaria a isso de humildade mas de falta de carácter.

    Somos menos humildes quando nos recusamos sentar na roda dos escarnecedores?

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 00:50, Blogger samuel said…

    Ó desculpe se faz favor...
    Desculpem interromper o convívio, mas foi daqui que encomendaram a camioneta de lenha para as fogueiras?
    Ok! Onde é que se pode descarregar?
    Ah, e o bidon do querosene vem já aí...

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 01:08, Anonymous Alexandre said…

    Se fosse um debate teórico fazia todo o sentido. O que não faz sentido é considerar o oposto. Quem se limita a dizer que os crentes são uns alucinados e vem para aqui insultá-los por isso, tendo o desplante de dizer que eles é que são intolerantes está a argumentar?

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 01:09, Blogger samuel said…

    Depois de lido o "comentário" que escrevi, não gosto.
    Ou melhor, do que escrevi, gosto. Não gosto é da possibilidade de se poder entender o que escrevi como uma "bicada" aos religiosos que se preparariam para queimar os ateus nas fogueiras. Embora por muitas vezes tenham já mostrado que são capazes disso, a verdade é que do outro lado não tem vindo nada de muito melhor ao longo dos tempos.
    Portanto a "directa" das fogueiras era para o tom geral que esta discussão assumiu.
    Assim não há ciência que aguente, nem fé que resista...

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 01:20, Anonymous Alexandre said…

    Onde é que está a teoria:
    http://trentonalingua.blogspot.com/2007/11/reflexes-sobre-f-e-cincia.html#comments
    Força Demo descobre-lhes as carecas que isso é tudo um grupo de aldrabões
    Você é para a religião o que o sudário é para “Cristo”… uma fraude.

    E isto- Você tem toda a liberdade de expressão para dizer disparates, o que não tem é o mínimo direito de impor os seus disparates aos outros. Aceitar que fomos criados por um ser supremo que não conseguimos explicar é um delírio que cada um deve manter para si próprio.

    Ou isto: A base da fé cristã assenta na «miserabilidade» do Homem “acreditar” em Deus.
    O pecado original é o «endeusamento» que o Homem faz do embuste que é a religião.
    A declaração da sua insuficiência e incapacidade.
    Em Deus, e só em Deus, está toda a intolerância (seja ela qual for).
    Ele é a origem de toda a ignorância e incapacidade racional.


    Discutirmos o “Cristo” da fé ocultando (propositadamente) o “Jesus” da história será limitar os crentes a uma ignorância
    Não é fogueira? É teoria?
    .........

    O "argumento" que a religiãoé uma impostura porque não é material, é argumento ou ignorância?

    Dizer que se convertia imediatamente se lhe dessem provas físicas da existência de Deus, ao mesmo tempo que fala em física do átomo, é argumento ou ignorância?

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 01:29, Anonymous Anónimo said…

    Argumentar é soberbia ou sobranceria pouco cristã?

    http://trentonalingua.blogspot.com/2007/11/esta-base.html#c1335408693195480013

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 09:25, Anonymous Anónimo said…

    è isto religião? ele tem razão realmente é só intolerância e violência.
    mas não fiquem assim porque ele tem ´desnudado o vírus que é a religião a padres, bispos, teólogos, professores, e gentinha miuda como voces
    ele deve ter grandes conhecimentos, não se achincalhem pk não teem pedalada pra ele e qdo ele desmontar a biblia ficas calado que ele sabe mais que vcs

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 12:21, Blogger Nuno Fonseca said…

    Anónimo, não podes desmontar a Bíblia, nem provar que a Palavra de Deus não é inspirada. Nunca ninguém o fez nos últimos 4000 anos, nem o fará.

    Por que insistes tu na falácia ad hominem? Receio que para lá dos teus preconceitos e intolerâncias, nada há que argumentes.

    Se estás certo, fala com calma, pois não tem mais razão quem bate melhor força na mesa, ou brada mais alto.

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 12:24, Anonymous Anónimo said…

    O humilde que lava os pés ao Demo já tem aqui mais mafarricos a pedirem que ajoelhe e os beije.

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 20:56, Anonymous Anónimo said…

    [“… a Palavra de Deus não é inspirada… “]
    Gostei, apesar de não teres definido o “deus” (odin, baal, zeus), gostei da frase.
    Só por ignorância ou má fé se poderá dizer que a “bíblia” tem 4000 anos (nem tão pouco 2000) e será apenas uma colectânea de textos escolhidos por conveniência depois de censurados, revisados e corrigidos.

    Sabemos ambos, que a supressão da verdade é considerada uma virtude para a aplicação da “doutrina”… como tal, é natural que as tuas limitações (ou cultura religiosa) não ultrapassem os textos seleccionados por conveniência, de apenas quatro evangelhos, (canónicos) … porque os outros, (apócrifos) – em número bastante superior –, … até serão divergentes, senão comprometedores …
    Ireneu, presbítero de Lyon (180dC) – aquele que com os seus seguidores se auto proclamou guardião da única fé verdadeira; o mentor dos [“pensadores correctos”] cristãos ortodoxos; o arquitecto da igreja [“universal”] católica, que refutava como heresias todas as outras concepções –, queixava-se da existência de bastantes mais evangelhos… que recentes descobertas – no Mar Morto e em Nag Hammadi –, vieram confirmar e esclarecer…
    Terá sido o poderoso arcebispo Atanásio de Alexandria – o mesmo que ordenou a purga de todos os livros apócrifos –, e que em 367d.C. compilou uma lista de obras – ratificada em 393 d.C pelo Sínodo da Igreja em Hippo e novamente quatro anos mais tarde pelo Sínodo de Cartago –, do que viria a ser a Bíblia.

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 21:47, Anonymous Anónimo said…

    eu avisei

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 22:42, Anonymous Anónimo said…

    Ei, se este anónimo continuar a escrever tão mal (ortografia incluída) vou ter que deixar de assinar também anonimamente para não me confundirem com este joio.
    Oh anónimo anódino, 'bora compilar uma wikimérdia? Pareces-me o sócio perfeito para o empreendimento.

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 23:53, Blogger Nuno Fonseca said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 11 de novembro de 2007 às 23:58, Blogger Nuno Fonseca said…

    Caro anónimo,

    1- O deus de que falo é o 'único Deus verdadeiro' (João 17:3), cuja Escritura jamais foi provada falsa e que se obvia como inspirada pelos factos históricos, científicos, arqueológicos, etc, que declara, e pela superioridade espiritual da Palavra infalível e divina que anuncia, e que logicamente ou é totalmente errada ou totalmente certa (e aqui anula todas as outras), e que influencia todo o mundo até à data, como nenhuma religião ou doutrina de homens foi capaz.

    2- Não disse que a mesma tem 4000 anos (primeiro erro teu), mas que durante estes mesmos, desde que a refutação à Torah encetou, que nenhum homem, como tu mesmo, foi capaz de afirmar como falível.

    3- Nada sabes sobre a minha ignorância ou limitação supostas nos campos cultural ou religioso (segundo erro), e isso sim, revela má-fé. Por outro lado, li muitos desses textos deuterocanónicos e apócrifos de que falas, e logo é óbvio o porquê de estes não serem tidos como inexactos e falíveis: Datas, eventos, personagens, etc, são raramente evocados, (caso dos evangelhos gnósticos), em favor duma linguagem esotérica e expansiva e fabulista, em contraste com a historicidade e acontabilidade do Evangelho. Por mero rigor de crítica literária, compreende que esses apócrifos foram escritos séculos mais tarde que os dos apóstolos (sécs. III-IV segundos os especialistas--vide: http://en.wikipedia.org/wiki/Nag_Hammadi_library), num idioma que não o hebreu ou grego koiné, num local que não Israel, e antes remontam a Alexandria, capital intelectualista, pagã, sincrética, que assimilou ideias cristãs para o seu gnosticismo, migrado para aí vindo da Mesopotâmia. O próprio apóstolo Paulo alertou para esta heresia, e para o 'outro Cristo' que não o do Evangelho, que ia sendo pregado (Gálatas 1), um que não coincide sequer com os relatos históricos de Josefo e Suedónio, ambos inimigos do Cristianismo, e que não desmentiram a existência de Jesus, tendo abordado Aquele dos Evangelhos dos apóstolos, e não a dos místicos do n. de África e do próximo Oriente.

    4- Por um lado, o achado dos escritos do Mar Morto confirmou a infabilidade bíblica, revelando um VT intacto nas suas palavras, demonstrando que o sacerdócio de Israel honrou o mandamento: 'Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que eu vos mando' (Deuteronómio 4:2). O corpus do NT, então, trata-se como o texto melhor perservado de sempre, contando 24000 cópias (5600 no grego original)com 0,5% de variação (mera paráfrase), havendo como sombra desta perservação apenas a Ilíada de Homer, com 643 cópias e 95% de variação (vide: http://www.carm.org/evidence/textualevidence.htm).

    5- O facto de saberes datas em que clérigos reconheceram o cânone bíblico nada diz sobre a autoria divina, pois esses homens apenas formalmente reconheceram a inspiração da Escritura (2Timóteo 3:16), e não se faz Ela divinamente inspirada pelo seu reconhecimento entre nós, mas por ser divinamente inspirada de origem, tendo sido mantida, enquanto VT, por um sacerdócio entre o povo escolhido, e perservada, enquanto NT, pelos apóstolos e os mais adoradores de Jesus Cristo, Senhor e Deus, e assim perserverando-Se IRREFUTADA.

    A tua falácia (terceiro erro) é pensar que a redondez da Terra só passou a ser verdadeira quando Galileu o disse, e não compreendes que a nossa esfera sempre esteve sob estes pés, e que a Escritura, ao contrário da ciência dos homens, sempre o afirmou:

    'Ele é o que está assentado sobre a esfera da Terra' (Isaías 40:22).

    -----------------------------------

    Avisei também.
    E esta é uma luta que nunca vencerás.

    Paz.

     
  • At 5 de outubro de 2016 às 08:49, Blogger Hua Cai said…

Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here