domingo, maio 06, 2007
Apresento-vos a cavalaria da colina da direita
"Esta noite, falarei da Missa de Lutero e da Missa do novo rito. Por que essa comparação entre a Nova Missa e a Missa de Lutero? Porque a história o diz; a história objetiva não é criação minha. (Sua Excia. mostra então um livro sobre Lutero, publicado em 1911, “Do Luteranismo Ao Protestantismo” de Léon Cristiani). Ele fala sobre a reforma litúrgica de Lutero. Trata-se de um livro escrito em um tempo, em que o autor nem conhecia nossa crise, nem o novo rito; portanto não foi escrito com segundas intenções."

Começava assim uma palestra de Dom Lefebvre em 1975.

Eis os interessantes títulos de algumas secções dessa palestra:

"Como procedeu Lutero para dizer que não haveria mais Sacerdócio?"

"Lutero não acreditou mais na Transubstanciação, nem no Sacrifício"

"Lutero faz ainda uma distinção entre os fins do Sacrifício da Missa"

"Por que imitar tão servilmente Lutero na Nova Missa?"



timshel
posted by @ 4:59 da tarde  
8 Comments:
  • At 6 de maio de 2007 às 17:50, Blogger samuel said…

    Pode não ter nada que ver e não ser muito profundo, mas há uma ideia que me anda a mexer com o sensível...
    Nos nossos dias, um católico que se reforma, tem que se tornar protestante ou pode continuar católico?
    Mesmo com a reforma, pode?

     
  • At 6 de maio de 2007 às 18:33, Blogger Jivago_Pt said…

    Parabéns, belíssimo trabalho neste Blog, continuem assim.
    Sou visitante assíduo do vosso Blog e gosto imenso de todo o conteúdo e artigos.
    Convido-os a visitar também o nosso Blog de Amor & Prazer, que pretendo divulgar em toda a comunidade Blogueira e melhorar.
    Façam favor de visitar e dar a vossa opinião.
    http://amorprazer.blogspot.com/
    Obrigado, parabéns e boa sorte para o vosso Blog, Jivago

     
  • At 6 de maio de 2007 às 19:14, Blogger zazie said…

    Samuel,

    Por enquanto, um católico que se reforma e não protesta é porque ainda vai com muita sorte

     
  • At 6 de maio de 2007 às 19:17, Blogger zazie said…

    Gostei particularmente desta passagem:
    " eu me atenho à tradição, eu sou pela tradição, e não por essas novidades que constituem o liberalismo. Não é absolutamente outra coisa senão o liberalismo, que foi condenado por todos os pontífices, durante século e meio.


    Esse liberalismo penetrou na igreja através do concílio: a liberdade, a igualdade, a fraternidade.

    A liberdade: a liberdade religiosa.

    A fraternidade: o ecumenismo.

    A igualdade: a colegialidade.

    E estes são os três princípios do liberalismo, originado dos filósofos do século XVIII, e que levou a efeito a revolução francesa.

    Foram essas idéias que entraram no concílio, por meio de palavras equívocas.


    E agora vamos à ruína, a ruína da Igreja, porque essas idéias são absolutamente contra a natureza e contra a fé. Não existe igualdade entre nós. Não existe verdadeira igualdade. O papa Leão XIII disse isso bastante claro, em sua encíclica sobre a liberdade.

    A fraternidade também! Se não houver um pai, como acharemos fraternidade? Se não há pai, se não há deus, como podemos ser irmãos? Como se pode ser irmão, se não houver um pai comum? Impossível! Devemos então abraçar todos os inimigos da igreja, os comunistas, os budistas e todos os outros que são contra a igreja, os Maçons?

    Esse decreto de uma semana atrás, que diz que agora não há mais excomunhão para um católico que entre na maçonaria. Mas onde está a igreja? Isso é impossível! Os Mações são os inimigos tradicionais da igreja, são aqueles que querem destruir os países católicos! Quem destruiu Portugal? Quem estava no Chile? E agora no Vietnam do sul! Porque esses países são católicos! E que será da Espanha dentro de um ano, da Itália, etc...? Porque a Igreja abre os braços a toda essa gente que são inimigos dela?
    "

     
  • At 6 de maio de 2007 às 19:18, Blogger zazie said…

    É por isso que sou pré-trentina

    ";O)

     
  • At 6 de maio de 2007 às 19:48, Blogger samuel said…

    Zazie
    Aposto que este tipo também vê coisas esquisitas nos filmes da Disney e nas cantigas da Xuxa vistas de trás para a frente.
    Bem, no segundo caso teria alguma alguma razão. A Xuxa vista de trás para a frente pode, eventualmente, dar algumas ideias parvas a certas pessoas (dizem...).

     
  • At 6 de maio de 2007 às 21:42, Blogger timshel said…

    zazie

    não me desiludiste

    mais do que com os protestantes era com a tradição que eu estava curioso

    a tradição e a sua irmã gémea, a autoridade,

    e com o teu individualismo profundamente respeitador da liberdade de pensamento

    :)

     
  • At 6 de maio de 2007 às 22:02, Blogger zazie said…

    ainda bem que não te desiludi

    ":O))

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here