quarta-feira, maio 02, 2007
Religião


A Religião nunca é apenas Metafísica.
Em todos os povos, as formas, os veículos e os objectos de culto são rodeados por uma aura de profunda seriedade moral.
Em todo o lugar, o Sagrado contém em si mesmo um sentido de obrigação intrínseca;
Não apenas encoraja a devoção como a exige;
Não apenas induz a aceitação intelectual como reforça o compromisso emocional.
Formulado como Mana, como Brama ou como a Santíssima Trindade, aquilo que é colocado à parte, como além do mundano, é considerado, inevitavelmente, como tendo implicações de grande alcance para a orientação da conduta humana.

Não sendo meramente Metafísica, a Religião também nunca é meramente Ética.
A fonte de sua vitalidade moral, repousa na fidelidade com que expressa a natureza fundamental da Realidade.
Sente-se que o “Deve” poderosamente coercivo, cresce a partir de um “É” factualmente abrangente, e dessa forma, a Religião fundamenta as exigências mais específicas da acção humana, nos contextos mais gerais da existência humana.

C. Geertz, A interpretação das culturas – Zahar/ Rio de Janeiro 1978
cbs

posted by @ 1:57 da tarde  
61 Comments:
  • At 3 de maio de 2007 às 12:12, Blogger Jivago_Pt said…

    Parabéns, belíssimo trabalho neste Blog, continuem assim.
    Sou visitante assíduo do vosso Blog e gosto imenso de todo o conteúdo e artigos.
    Convido-os a visitar também o nosso Blog de Amor & Prazer, que pretendo divulgar em toda a comunidade Blogueira e melhorar.
    Façam favor de visitar e dar a vossa opinião.
    http://amorprazer.blogspot.com/
    Obrigado, parabéns e boa sorte para o vosso Blog, Jivago

     
  • At 3 de maio de 2007 às 15:12, Blogger Patrícia said…

    bela imagem.

     
  • At 3 de maio de 2007 às 17:35, Blogger Hadassah said…

    e Jesus não é de todo um religioso...

     
  • At 3 de maio de 2007 às 20:45, Blogger cbs said…

    Hadassah
    como penso que sabes, falta-me saber que alicerce o religioso.
    Não que não a tenha recebido, mas por ser sorna :)

    frágilmente, digo-te o que penso:
    O Verbo transcendente corporizou-se no Tempo, com o nome de Cristo.
    Bergson dizia que o "corpo" é um movente entre o Passado e o Futuro.
    Cristo Homem é um profeta religioso.
    Mas para nós Cristãos, a Sua transcendencia faz Dele Deus. E Deus não é religioso, porque simples e totalmente, "É"... e a religião é coisa de humanos.

    Respondo-te pois que existem Nele, Jesus, duas dimensões, a transcendente, e a humana, e nesta ultima podemos considerá-lo um religioso.

    mas isto digo eu, que não sei...

     
  • At 3 de maio de 2007 às 23:45, Blogger Hadassah said…

    CBS

    melhor assim:
    "...e Jesus não foi de todo um religioso."

    Refiro-me à observância de preceitos religiosos, de rituais, de tradições, de um sistema ou de uma ordem religiosa (que existiam na altura).

    A religião, como dizes, que é dos humanos (não de Jesus), muitas vezes, de tão humanizada que é, em vez de aproximar o homem de Deus, afasta-o d' Ele. Ele é sacrifícios, ele é rituais, ele é indumentárias, etc.

    De Jesus apenas temos a mensagem do amor, da salvação e do arrependimento. Em bom português, o resto, que a religião criou à volta disto, é palha (o sistema, a hierarquia, a estrutura, os rituais, etc).

    O homem não precisa da religião para ser salvo. Mas a religião não existe sem o homem.

    Hadassah

     
  • At 3 de maio de 2007 às 23:48, Blogger Hadassah said…

    errata [à Zazie :)]- que é dos homens

     
  • At 4 de maio de 2007 às 02:16, Blogger Antonius Block said…

    Hadassah,

    Diria precisamente o contrário daquilo que referiste quanto à excessiva humanização da religião. É quando a religião perde a sua profunda humanidade que se corre o maior risco de afastamento de Deus. E muito embora deva ser o sábado que é feito para o Homem e não o Homem para o sábado (estamos de acordo), não há nada de mais profundamente aconselhável que os rituais e os sacramentos para recentrar a nossa relação com Deus, mesmo quando eles se nos apresentam como estéreis e de díficil aproveitamento espiritual imediato.

    Pois é a nossa condição face a toda a Criação. Embotados, cegos e surdos desde nascença, do mundo retiramos em geral umas difusas impressões centradas em nós mesmos. Tudo é ritual passado de geração em geração, ao qual em geral não damos qualquer sentido. E nada se aproxima mais da oração do que esse exercício aparentemente condenado ao fracasso de contemplarmos tais rituais em busca de um sentido, ou melhor, esperando que esse sentido venha ter connosco. As mais básicas funções biológicas como comer, beber ou respirar obedecem a leis passadas de geração em geração, mas nelas se esconde a centralidade da nossa subsistência, e já só de contemplação destas três estaria muita oração feita.

    Assim torna-se quase inconcebível (e ao mesmo tempo é o que a torna lindíssima e necessariamente verdadeira) a crença na Eucaristia enquanto verdadeiro Corpo e Sangue de Cristo. Esta realidade absolutamente paradoxal é a melhor receita para nos apercebermos da nossa tacanhez ao comungarmos grande parte das vezes como quem come um waffle. Comovente é como Deus não se importa de se ver encarado a Si ou à Sua Criação "como um waffle" porque sabe como somos limitados. E toda a vida espiritual surge da consciência dessa limitação, da consciência que toda a realidade é Mistério.

    Assim afigura-se-me que outra via não há para Deus que a da religião precisamente, religião neste sentido. E que o amor e o arrependimento genuínos são feitos necessariamente destes dois ingredientes: consciência da nossa pequenez, e consciência do infinito amor de Deus por nós apesar dela.

     
  • At 4 de maio de 2007 às 10:44, Blogger Hadassah said…

    Antonius, religião também é culto à divindade (a Deus)e nesse sentido, considero-me religiosa.

    Agora a excessiva humanização da religião, não tenhas dúvidas que nos afasta de Deus.

    Daria aqui alguns exemplos de como a excessiva introdução de rituais e de tradições nos podem afastar D' Ele , mas iria ferir susceptibilidades.

    Mas pronto cá vai um pequeno "ferimentozinho":

    Dou-te o exemplo dos rituais que implicam sacrifícios humanos, em nome de uma resposta divina.

    O que é isso dos sacrifícios? Não é um afastamento do homem da sua fé?

    Para não falar de outros...

    Um abraço
    Hadassah

     
  • At 4 de maio de 2007 às 13:00, Blogger cbs said…

    Têm ambos razão, Antonius e Hadassah.
    estão a falar de dois tipos de religião diferente.
    Há uma religião aberta (a do Amor)e outra fechada (Totémica).
    O impulso é o mesmo, mas os caminhos divergem, uma abre-se, a outra quer formatar o outro e é fanática.

    Les deux sources de la religion et de la Morale (Henri Begson), a receita do costume, lol

     
  • At 4 de maio de 2007 às 13:32, Blogger Antonius Block said…

    Hadassah, julgo que estamos a usar a palavra "humanização" com diferentes sentidos. O cristianismo é um humanismo, e nada do que é profundamente humano pode andar muito afastado dele, inclusive a nossa tendência para profanizar tudo o que de mais sagrado se apresenta. Aquilo a que chamas humanização parece-me mais a mim precisamente o desligar-se do humano, a alienação ritualística, na qual já não se está em contacto com a nossa própria vida interior, mas sim com um ídolo tosco ao qual desesperadamente nos entregamos porque precisamente, não gostamos muito de estar em contacto com a nossa humanidade, preferindo uma saída fácil e rápida para a nossa condição. De tal forma é esta falta de descernimento uma característica nossa que Deus escolheu encarnar no meio de um povo que levava isso ao extremo (esse apego à Lei no fundo). Encarnou no meio do povo judeu também para nos mostrar que é da nossa profunda natureza sermos algo de semelhante a eles, e que humanizar-mo-nos significa paradoxalmente não revogar a Lei ou os Profetas, mas completá-la. "Em verdade vos digo:
    Antes que passem o céu e a terra,
    não passará da Lei a mais pequena letra
    ou o mais pequeno sinal,
    sem que tudo se cumpra." (Mt 5,18)

    Agora, há algo em que te dou absoluta razão. Nem todos os rituais valem o mesmo, o ritual pelo ritual é absolutamente estéril. O sacrifício humano é algo de abominável aos olhos de Deus (deixando de lado por agora o sacrifício de Isaac e as suspensões teleológicas Kierkegaardianas da moralidade nesse caso específico), e o próprio Cristo se insurge não poucas vezes contra a sufocante observância farisaica da Lei, que tinha preceitos até ao mais ínfimo pormenor da vida corrente.

    A questão radica portanto no fundo sempre no mesmo. Que rituais são veículo previligiado de relação com o divino, que rituais são sacramento? Aí, as tradições protestantes, católica e ortodoxa fazem leituras diferentes. De uma coisa não se tenha ilusões, todas as confissões têm rituais, e em todas é possível (e muitas vezes, frequente) vivê-los sem o mínimo de densidade. Mas até aí Deus está connosco, nessa nossa insuficiência.

    Relativamente ao ferir susceptibilidades, não é para ferir susceptibilidades desse tipo que este blog existe? É que para o confronto pessoal já existem tantos outros...

    Bom, desculpem lá encher a vossa caixa de comentários com estes testamentos, se for inconveniente, please say so :x

    Um abraço, em Cristo

     
  • At 4 de maio de 2007 às 13:34, Blogger Antonius Block said…

    cbs só li o teu comentário depois de ter escrito o meu. Se o tivesse lido antes provavelmente não teria escrito tanto!

    Um abraço

     
  • At 4 de maio de 2007 às 13:54, Blogger Hadassah said…

    Antonious,
    Não vejo que essa humanização seja "uma saída fácil e rápida para a nossa condição... ", mas o contrário. Cá vou eu então ferir susceptibilidades, sem querer no entanto abrir novo debate sobre esta questão, porque eu até já entendi o vosso ponto de vista, sem concordar com ele. Refiro-me ao culto aos homens, a que vocês designam de santos, depois de morrerem.

    Encontro na Igreja Católica um enorme investimento na devoção a intermediários, que de algum modo quase se sobrepõem ao destinatário final, que suponho seja Deus.
    Que vantagens e eficácias haverá nisso, senão desgaste espiritual?

     
  • At 4 de maio de 2007 às 13:58, Blogger Hadassah said…

    Mas concordo que o exercício de uma grande fé, pode ser em si mesmo um verdadeiro sacrifício, pelo esforço que se faz de não deixar entrar uma "pinga" de dúvida. Até doi! :)

     
  • At 4 de maio de 2007 às 14:14, Blogger Antonius Block said…

    Hadassah,

    Tens amigos a quem pedes para rezarem por ti? Imagino que sim. E imagino que também quanto mais próxima for a tua comunhão espiritual com eles, com mais frequência lhes pedes que rezem por ti, porque acreditas na sinceridade da sua oração, e na sua intimidade com Deus.

    Bom, a intercessão dos santos é tão só e exactamente isto. Tendo como premissa de que estes já se encontram no Paraíso (sei que esta afirmação não é consensual na teologia protestante), decorre naturalmente daí que a sua comunhão com Deus é grande, e é como amigo que a eles te diriges para que peçam ao Pai por ti. A relação é de igualdade, é de irmandade, de uma humanidade comum (claro, com o devido respeito por quem teve a graça de ser santo, tal como tens um respeito natural por um homem que sabes ser bom). Não tem rigorosamente nada que ver com o culto que só a Deus é devido!

    Não sei se adiantei alguma coisa...

    Pela tua paciência de qualquer forma já te agradeço, e encomendo-me às tuas orações, se tal te aprouver.

    Um abraço

     
  • At 4 de maio de 2007 às 14:53, Blogger zazie said…

    Aqui para nós e com toda a sinceridade,

    Foi preciso chegar a este estado avançado de trilobite mumificado para me dar conta que essa malta toda protestante e afim detestava a Igreja Católica.

    Estava convencidíssima que tinha sido pancada morta há 300 anos

     
  • At 4 de maio de 2007 às 14:54, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 4 de maio de 2007 às 14:56, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 4 de maio de 2007 às 14:57, Blogger zazie said…

    E foi graças à blogosfera

    ":O)))

    Nunca me passou pela cabeça que isso acontecesse entre gente civilizada e com a mesma cultura.

    Estava convencida que era apenas fenómeno exclusivo de terrorismo islâmico

    ":OP

     
  • At 4 de maio de 2007 às 16:09, Blogger David Cameira said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 4 de maio de 2007 às 16:15, Blogger David Cameira said…

    o meus amigos....

    Vou ver se consigo compartilhar convosco esta doutrina BIBLICA:

    Os santos são todos os cristãos verdadeiros ( vivos ou mortos - Lutero eo john Smith da Pocahontas tb foram santos [ santos mas sempre com pes de barro , como diz Watcham Nee no livreto " temos pois este tesouro em vasos de barro "] e o Presid. BUSH TB É UM SANTO - a menos que não seja cristão - )
    Agora os santos q já estão na glória já pertecem á igreja triunfante e por isso nada podem fazer e nenhum contacto podem BIBLICAMENTE ter com os santos que estão na terra q ainda se encontram " no estado de " igreja militante

    e MM A própria BI´BLIA proibe o contacto com os mortos

    O livro de Hebreus, qd fala da tão grande nuvem de testemunhas, por certo nao empossa o culto dos santos.
    Dai q eu concorde plenamente com a Hadassah qd ela diz: " Refiro-me ao culto aos homens, a que vocês designam de santos, depois de morrerem. "

     
  • At 4 de maio de 2007 às 16:58, Blogger Antonius Block said…

    Caro David,

    "E acreditava que uma bela recompensa aguarda os que morrem piedosamente. Era este um pensamento santo e piedoso. Por isso pediu um sacrifício expiatório, para que os mortos fossem livres das suas faltas." (2 Mac 12,46)

    Tens ainda o episódio do 1º livro de Samuel, onde Saul fala com Samuel, trazido dos mortos (1 Sm 28,8-20). Outros haverão, estes sãos os que me lembro assim de repente...

    Uma das coisas que acho mais tolas nos protestantes, e ao mesmo tempo mais arrogantes, é não assumirem claramente que possuem uma tradição interpretativa da Bíblia, tal e qual os católicos ou os ortodoxos (já não falo das confissões luteranas ou do book of common prayer anglicano como repositório no fundo de uma tradição). É que doutrina bíblica só por si não quer dizer rigorosamente nada. A Bíblia só faz sentido inserida num corpus de Tradição interpretativa da história salvífica de Deus pela Humanidade, e só assim se pode aprofundar verdadeiramente os conteúdos bíblicos. A Bíblia nasce de uma comunidade de crentes, e é expressão da vivência religiosa desses crentes e não o contrário! A Bíblia é norma porque a Tradição é norma! É que se não nos pautarmos pela Tradição, se não nos colocarmos humildemente sob a alçada de grandes homens e mulheres que conheceram profundamente a Bíblia, o que acontece é que a nossa visão nunca sai de um primarismo básico e lamechas da Bíblia. Ao contrário do que se possa julgar, é a renúncia da autoridade da Tradição que torna limitada a interpretação bíblica.

    Quanto a essa suposta divisão entre o reino dos mortos e dos vivos, devo confessar-te que, para além de não ver nada de bíblico nisso, seria uma profunda tristeza se assim fosse. Queres me fazer crer que os homens e mulheres que atingem o paraíso não passam o resto da sua vida eterna (passo o paradoxo) a orar pelas almas dos que ainda têm que lá chegar, mas pelo contrário, ficam tão maravilhados com Deus que se esquecem egoísticamente dos que cá estão em baixo? Acreditas que Deus não faria com que houvesse forma com que todas essas almas cheias de zelo pelas almas terrenas e de compaixão por elas (especialmente agora sabendo o que as aguarda) tivessem forma de interceder por quem cá está em baixo? Essa não é a minha Fé de facto. Nem mesmo o budismo por exemplo, que faz com que Buda enquando Siddharta Gautama permaneça ainda entre os seus concidadãos não obstante já ter alcançado a iluminação, de forma a ensiná-los a como obtê-la? Essa ausência de caridade precisamente na altura em que ela deveria ter manifestação mais plena é para mim uma doutrina que não consigo compreender.

     
  • At 4 de maio de 2007 às 17:08, Blogger David Cameira said…

    Antonius Block,

    Leia este texto q e´uma grande obra, o melhor q o Taigo e os outros faziam era " ressuscitar " este projecto

    http://www.osanimaisevangelicos.blogspot.com/2004_06_13_archive.html

    Depois o António cita-me um livro apócrifo ( MACABEUS )...como sabe eu dou tt crédito á teologia destas obras como aquela q se poderia extarir da rev.PLAYBOY ou das " memórias da irmã lucia " se quizeralgo mais " tuga "

    Por último pois , esse caso de Saul demonstra, precisamenteaquilo q eu disse...Saul fopi rejeitado e O ESPIRITODE DEUS se retirou de Saul , e ele passou a ser atormentado por demo´nios...olha a grande bençao no contacto com os mortos!

    Depois do último: tem razao no sentido de q depois de se ler, para se entender o q seleu já se teve de fazer interpretação....mas a BÍBLIA interpreta-sse a si própria

    Enfim, aproveite enquanto eu estou vivo se me achar digno de rogar a DEUS pela sua vida pq " aos homens está determinado morrerem uma só vez, vindo depois disso o juizo "

    BIBLIA SABRADA

     
  • At 4 de maio de 2007 às 17:19, Blogger Antonius Block said…

    Caro David,

    Peço desculpa, esqueci-me de que era um texto deutero-canónico o dos Macabeus. Quanto a Saul, sim isso aconteceu, mas Samuel não era um demónio nem é isso que está em causa na passagem que indiquei... Samuel fala-lhe, como profeta, da mansão dos mortos. É isso que estava em questão.

    Quanto à Bíblia interpretar-se a si própria, parece-me evidente q.b. que tal pura e simplesmente não é verdade. Não me querendo alongar muito (afinal este blog não é meu) se me quiser detalhar o porquê dessa realidade e em que é que ela se manifesta (pode ser por mail para mim pessoalmente) ficar-lhe-ia sinceramente grato.

    Quanto à passagem que cita "aos homens está destinado morrer uma só vez", onde é que foi isso posto em causa naquilo que eu disse?

    Mas caro David, se se tão gentilmente oferece, por favor, rogue por mim a Deus. Ele bem sabe que preciso.

    Farei o mesmo, valendo o que vale, se assim o desejar, com o maior gosto.

    Um abraço, em Cristo

    Luís Sá

    (ficamos esclarecidos quanto ao pseudónimo :) )

     
  • At 4 de maio de 2007 às 18:42, Blogger David Cameira said…

    Luis Sá,

    Concerteza q aprecio os seus rogos por mim e agradeco-lhos

    Depois a passagem de Saul - como verificará por si próprio lendo livros de Teolgia ou entrevistando-se com Biblistas ( católicos ou evangélicos [ se bem ds rimeiros confio mais nos católicos carismáticos ])e´de dificil interpretação
    Certo é q estavamos numa diaspensação diferente da q estamos agora ( ai o q eu fui dizer, dispensação ????)mas o ensino principal mantem-se FOI UM ERRO DE SAUL CONSULTAR A PITONISA DE ENDOR( onde aparece Samuel ) aliás Samuel aparece sim ( e nao um demonio como hoje em dia e caso qd se invoam morrtos em qq lugar )mas para repreender Saul pelo q ele fizera.
    O " lugar dos mortos " ou Hades como diz e bem o Luis Sá tb estava dividido em dois ugares , pois tal lugar tb é chamado de " seio de Abraão " na arábola do rico e de Lazaro, contada por JESUS, e a é -nos dito claramente q esse lugar estva dividido em dos lugares - um q recebia os cndenados e outro q recebia os bem-aventurados - e nenhum dos dois lugares podia contactar com, os vivos, é só isso q quero demonstrar

    Quanto á Biblia interretar-se a si prpria isto tem a ver com a BIBLIOLOGIA e eu psso expor-lhe esta doutrina BIBLICA como mo fizeram a mim concerteza -tenho e q rever melhor umas coisas para não o induzir em erro - mas o lus se puser esta minha frase no goggle pde tentar ver o q lhe aparece pq há informação sore as doutrinas cristãs evangélicas na net

    Por fim, eu nao-me estava a oferecer, como disse o Luis, tão sóp estava a exempificar que deve aprioveitar enquanto as pessoas estao vivas, o seu padre , s seus amigos , eu , quem quizer.. para pedir interseções pq depopis da morte destes não mais farão interseções NEM POR SI NEM POR NINGUEM,
    E NEM ADANTA NADA FAZER INTERSEÇÕES POR ELES PQ NO JUIZO, AO QUAL ELES SERAO SUBMETIDOS, JA TEM advgado JEUS CRSTO e já tem acusador Satanás

    Deus o abençoe

    Bom fm de semana

     
  • At 4 de maio de 2007 às 19:12, Blogger Antonius Block said…

    Caro David,

    Escrevo um último comentário apenas para indicar o seguinte:

    Conheço a controvérsia do episódio de Saul e Samuel, e dir-lhe-ia até que o episódio da parábola do rico e de Lázaro foi excelentemente lembrada da sua parte como refutação suficiente de uma ressurreição terrena, ou da acção directa dos mortos no mundo dos vivos. Mas não foi nada disso que advoguei, nem é essa a doutrina da Igreja Católica. E precisamente a parábola do rico e de Lázaro é excelente para demonstrar o conhecimento das realidades terrestres e o zelo pelas almas dos defuntos pelos que ainda vivem, zelo que se manifesta necessariamente em oração ao Pai. É apenas isso que pedimos, toda a acção efectiva neste mundo só poderá acontecer exclusivamente por intermédio divino. Ninguém pede que eles voltem ao "mundo dos vivos".

    Quanto à Bíblia ser auto-explicativa, também isso me parece uma doutrina muitíssimo pouco bíblica, pois não faz outra coisa Cristo na terra do que explicar as Escrituras, nem outra coisa fazem os apóstolos que o seguem (veja-se Felipe e o eunuco nos Actos dos Apóstolos). Claro que a Bíblia como encarnação do Logos, como Cristo materializado na história, se poderia dizer que se explica a si mesma, mas até aí é preciso considerar que Jesus Cristo nos deixou o seu Espírito Santo para nos auxiliar em tal tarefa, e que ele se manifestou em primeiro lugar e com primazia aos apóstolos, e que deles vem portanto toda a autoridade interpretativa das Escrituras.

    Fico-me por aqui, por ter outros afazeres e por não querer atolar a caixa de comentários. Devo dizer-lhe no entanto que gostei bastante da nossa breve interlocução e asseguro-lhe que reflectirei mais aprofundadamente no que me indicou.

    Um bom fim de semana.

    P.S.: Eu percebi o que quis dizer quando se referiu à sua intercessão, mas aproveitei já agora para lha pedir mesmo!

     
  • At 4 de maio de 2007 às 19:27, Blogger Hadassah said…

    Antonius,

    Não era de todo minha intenção iniciar este debate, mas foi inevitável.

    Menos mal, que não prestes culto a esses santos, ... O pior que pode acontecer é ficares o resto da vida à espera da resposta ...(?) Digo eu sei lá...

    Que garantias tenho que esses Santos sabem do que se passa na terra? Já imaginaste a angustia que será, se tiverem que acompanhar a vida terrena? Vêr os seus queridos sofrer, vêr familiares seus a seguir caminhos errados? Isso não será o céu mas o inferno...

    Não econtro grande lógica nem fundamento bíblico, é só isso. Mas é um mal menor.

    As minhas orações obedecem a este método:

    Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto, e, fechada a porta, ora a teu Pai em segredo; e teu Pai, que vê (o que se passa) em segredo, te dará a recompensa. Nas vossas orações não useis muitas palavras como os gentios, os quais julgam que serão ouvidos à força de palavra. Não os imiteis, porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes que vós lho peçais. " Mateus, 6:5-8


    "Tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu a farei". João, 14:13-14

    Se Deus me dá este Ok eu prefiro ir por aqui ...e tenho-me dado bem com isso.

    São opções, e por isso há diferentes religiões.

    Mas o que importa é termos a certeza da nossa salvação.

    DTA

    Hadassah

     
  • At 4 de maio de 2007 às 19:59, Blogger Hadassah said…

    Antonius,

    Deixa-me esclarecer que eu peço oração por mim aos meus irmãos na fé. Isso é bíblico. Só não peço a quem já não está cá.

    Ó Zazie!

    Mas quem é que te disse que os protestantes odeiam os católicos? Isso não é verdade ... (estávamos bem arranjados ...neste país onde somos gatos pingados...).

    Se não nos tolerássemos, não estávamos todos nesta pacífica arena...

    Eu sou sim é anti toda aquela gente sobre quem tens vindo a falar ... que se emiscui na sociedade com teorias amorais ou imorais, ou sei lá!

    bjs
    Hadassah

     
  • At 4 de maio de 2007 às 20:13, Blogger zazie said…

    Também não sabia, Hassdah:

    Já exoliquei que foi preciso chegar à blogosfera para fazer esta descoberta.

    Ainda morria ignorando a existência dessa orfandade.

    Quem o diz e explica são eles.
    Ainda agora o Tiago acabou de reincidir nessa afirmação.

    É por estas e por outras que estás enganada. Nunca serei uma "crente ferverosa". Já nem vou a tempo para isso.

    E gosto muito de estar assim. Sempre com um pé fora e cabeça fria.

    Nunca serão as pessoas que me convencerão a nada do âmbito espiritual.

    Se calhar é esta a diferença entre quem apanhou com doutrina ainda antes de ter idade para seaber pensar e quem sempre foi livre para pensar o que quisesse.

    O que não quer dizer que ache negativa a formação religiosa-ética nos putos. Mas com conta peso e medida. Tudo o que é demais pode ter efeito contrário.

    E, o maior bem que eu preservo e que quase seria balanço de uma vida: é a liberdade de pensamento. A todos os níveis.

    Por isso me faz confusão como possa existir gente que tem uma fé comum, que é igualmente cristã e se afirma por antipatia a esse legado.

    Eu tenho simpatia por todas as religiões. Seja islão, seja budismo, seja protestantismo. Posso é não ter simpatia por muita doutrina de alguns fundadores. Por via mais filosófica e histórica que religiosa- como é o caso do Lutero e do Calvino.

    Mas nunca me passou pela cabeça que isso ainda hoje em dia estivesse activo. Activo dentro da fé. Se fosse activo em termos intelectuais, tudo bem. Mas activo como identidade de crença é demasiado fundamentalismo para o meu gosto.

    Quase faz lembrar os judeus.

     
  • At 4 de maio de 2007 às 20:14, Blogger zazie said…

    errata: expliquei

     
  • At 4 de maio de 2007 às 20:14, Blogger zazie said…

    e outras, mas agora não vou apagar que dá trabalho a colocar de novo o link

    Sorry

     
  • At 4 de maio de 2007 às 20:23, Blogger zazie said…

    Ele fez este post precisamente a perguntar se havia alguém que não tivesse simpatia por Roma. Pois era condição essencial que ela existisse.

    A resposta deixou-me parva. Foram lá e disseram que não tinham qualquer simpatia pela Igreja Católica. Que apenas simpatizam com os católicos do blogue (que nem me parece que sejam conhecidos, pelo menos não são todos e o Nuno nem foi a almoços).

    Ora esta pergunta só por si é um case study. Porque nunca passaria pela cabeça de um católico fazer convocatória idêntica para se certiicar que entre gente minimante culta e bacana, juntas num blogue a brincar, pudesse existir algum que tivesse antipatia pela religião do outro.

    E o Tiago consegue uma coisa mais estranha. Faz a pergunta, colocando-se de fora e agora até diz que também é anti-católico

    ahahahahhahah

     
  • At 4 de maio de 2007 às 20:27, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 4 de maio de 2007 às 20:30, Blogger zazie said…

    Mas pronto. Eu curto isto, porque se calhar aqui diz-se de caras o que se esconde por trás.

    Nunca imaginei que em pleno século XXI pessoas de cabeça arejada ainda se dissessem anti-católicas para poderem sentir-se evangélicas ou protestantes. Num dos países com maior mesclagem religiosa entrosada na sua própria identidade histórica.

    Nós até tivemos uma política bastante ultramontana...

    Ou é falta de conhecimento histórico da pastorícia doutrinária ou é mais um efeito do excesso de "busho na língua" .

    Se viesse de alguém como eu, que nem pratica assim nenhuma religião, podia interpretar-se como pensamento fora dela. Mas não, é dito por "membros da igreja"

    By the way: se me pudessem explicar a terminologia dos cargos religiosos agradecia.

    Na católica sei. Mas nestas só oiço falar em pastores e rebanho. Não há mais nada? salta-se de uma coisa para outra e nos pastores não existem hieraquias? como é que chamam ao equivalente a um professo?

     
  • At 4 de maio de 2007 às 23:31, Blogger Hadassah said…

    lOl ah! ah! ah!
    eu parto-me a rir com esta Zazie...

    "Mas nestas só oiço falar em pastores e rebanho..."

    Ah ah ah

    Zazie,
    Fica descansada que por cá não há daqueles títulos à venda, como os que encontraste na net ...

    Eu tenho a certeza que o anti-católico do Tiago não tem nada de ódio implícito. Mas concerteza que a seu tempo, ele esclarecerá.

    Se assim fosse, achas que aceitaria comungar aqui convosco? Partilhar da mesma mesa?

    Para mim foi só uma provocação estratégica, para alimentar aqui as caves, como tu lhe chamas.

    E tu própria dás-lhe aso. E ainda bem.

    Eu se fosse dona deste "blog" convocava-te a "postadora", já que estivemos em maré de relativismos com o Nuno Fonseca (que não é nenhum Pastor, que eu saiba).

    Só + uma coisa ... tu não menosprezes a minha fé, só porque na tua cabeça, fui educada na religião protestante... aqui não há lavagens cerebrais... tenho irmãos educados como eu, que optaram por outros caminhos. Coisa que não há nesta religião é herança religiosa. Nem por baptismo!

    Bjs e bom fds
    Hadassah

     
  • At 5 de maio de 2007 às 00:10, Blogger zazie said…

    ehehe

    Fica cool que não menosprezo nada a tua fé e olha que eu não empreguei a palavra ódio. Falei em embirrar. Detesto mesmo usar essa palavra. È uma tradução muito pobre e exagerada do inglês "hate".

    Mas sou muito ignorante nestas matérias. Imagina que era ao vivo, a perguntar a um evangélico ou protestante: "o senhor desculpe, mas é ovelha ou já chegou a pastor"?

    loooooooooooollll

    Até pensei que davam o salto do reino animal para o humano por causa do criacionismo
    ahahhahaha

    Agora foi para avacalhar
    beijocas

    Não leves a sério metade do que eu digo

    ":O))))

     
  • At 5 de maio de 2007 às 00:56, Blogger Hadassah said…

    Tens razão. O termo que usaste foi "detestar" (às 2:53).

    Atenção que o Protestantismo não assenta numa organização hierárquica centralizada (tal como não existe uma normalização de ritos e doutrinas).

    Sem grande rigor, dentro da minha realidade, temos localmente o Pastor [responsável pelo rebanho...:)], os Ansiãos / Presbíteros (as ovelhas mais maduras, mais velhas, consagradas pela sua maturidade espiritual) e os Diáconos (são os assistentes, os ajudantes dos líderes, com responsabilidades por vezes administrativas).

    Depois temos os porteiros, os tesoureiros, os músicos, os professores de Escola Dominical, a senhora da limpeza, o técnico de som, etc. etc... e o rebanho em geral.

    As decisões são tomadas pelo Ministério (conjunto das figuras mais acima mencionadas que é presidido pelo pastor) e levadas a aprovação à assembleia (o rebanho).

    Mas para que é queres saber disto pá?

    Do que tu precisas é de Deus na tua vida, é o que é. E tu sabes disso. Mas tens medo, porque não gostas de compromissos. Não sabes o que perdes!

    Bjs
    H

     
  • At 5 de maio de 2007 às 00:58, Blogger Hadassah said…

    correcção: ancião

     
  • At 5 de maio de 2007 às 01:00, Blogger Nuno Fonseca said…

    Antonius, uma questão breve sobre os supostos santos: como se prova que esses ungidos por homens são ungidos de Deus e já se acham salvos no Paraíso?

     
  • At 5 de maio de 2007 às 12:21, Blogger Antonius Block said…

    Nuno,

    Esse processo de "prova" tem um nome, canonização. Que vem sempre de baixo para cima, ou seja, em geral é a enorme devoção popular a alguém que morreu que faz com que a Igreja abra um processo que basicamente visa investigar a rectidão do percurso de vida da pessoa, e a sua conformidade aos ensinamentos da Igreja. Verificando-se isso e a acção directa de Deus por intimidade com essa pessoa (vulgo milagre), a Igreja reconhece, pelo ministério petrino (Mt 16,18-19) que essa pessoa é digna de veneração. De notar que o facto da Igreja reconhecer ou não em nada exclui a possibilidade de a pessoa se encontrar no paraíso apesar de não ser "oficialmente" reconhecida como tal (é dessas pessoas que é feita memória no dia de todos os santos).

    Hadassah,

    Aquilo a que tu chamas angústia eu chamo alegria na caridade. Pois nada é mais cristão do que descobrir a alegria de servir. Ir para junto do Pai é antes de mais ir para junto da Verdade, e é a Verdade que liberta. Ora a verdade também é a de que existe o sofrimento terreno. Menorizas o efeito do amor e da comunhão com Deus em todo o processo, achas que servir poderá alguma vez ser pesado com essa enorme comunhão com Deus no Paraíso? O Paraíso encarado dessa forma é mais uma espécie de esquecimento e alienação, e não uma comunhão com Deus que tudo dá e que nos deixa livres para servir os outros (muito mais do que na terra).

    Uma nota: O meu método de oração é exactamente o mesmo que o teu!

    Um abraço aos dois, em Cristo

     
  • At 5 de maio de 2007 às 12:28, Blogger David Cameira said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 5 de maio de 2007 às 12:48, Blogger Antonius Block said…

    Caro David,

    Procedamos com civilidade ok? O Pe. Mário não representa ninguém senão ele mesmo, e ir buscá-lo como exemplo do que quer que seja dentro da Igreja Católica é no mínimo má vontade.

    Agradecendo-lhe a catequese, asseguro-lhe que já tinha percebido o que quis implicítamente dizer ao citar essa parábola. Mas peço-lhe desculpa, essa parábola o que faz é provar que as almas no céu são capazes de se aperceber do que se passa na terra, e mais, de pedir a Deus por elas (embora não seja exactamente o caso na parábola, é óbvio que ela torna isso uma possibilidade). Nunca em tempo algum falei de almas a migrarem do céu para o inferno ou vice-versa.

    Além disso como muito bem sabe, é doutrina católica (e biblica já agora, para não ser só adjectivo protestante) a existência do purgatório (1 Cor 3,15; 1 Pe 1,7; 1 Mt 12,32 abre a possibilidade de perdão no outro mundo), o que inviabiliza tudo o que disse e torna não só possíve como recomendável orar pelos defuntos. Além disso, estimo vê-lo dizer o que é ou não possível a Deus. Relembro Mt 19, 24-26.

    Um abraço, em Cristo

     
  • At 5 de maio de 2007 às 12:50, Blogger David Cameira said…

    O luis Sá fez uma série de confusões...
    Até parecia o padre Mario da Lixa a falar,esse sim é que mistura marxismo, com cristianismo , cm humanismo pacifista e mais umas pinceladelas da sua cabeça e la vai mais um livro do padre Mario; Aliás quem está sempre a papar-lhe as palavras e a beber-lhe os " venenos " ( que " bolsa " da boca para fora ) são as " comunidades crstãs de base " que são a igreja da " teolgia da libertação ".

    Passo entao a explicar o meu pensamento:

    A parabola do rico e de lázaro desmente qq ideia de purgatório ou de limbo, ou de qq outra coisa intermédia...
    o q temos é q os fieis a DEUS, q tinham a fé MESSIÁNICA antes de CRISTO morrer na CRUZ pelos nossos pecados estavam no " lugar dos mortos " / " hades " destinado aos salvos porque este lugar ja estava dividido em duas partes incomunicaveis e intransponiveis entre si.
    A parte dos bem-aventurados se chama " seio de Abraão " e era ai q estava Samuel, lazaro e todos os fieis em comunhão com Abraão.

    O rico está já perdido eternamente e por ele nada se pode já fazer.

    Já agora a palvra SHEOL é a equivalente Hebraica para o étimo Grego HADES ambos significam o mundo dos mortos - o tal q já está dividido -

    É desse lugar q estava divido em dois que eu falava
    MAS AI CRISTO VEIO, SOFREU SOB PONCIO PILATOS, FOI CRUCIFICADO, MORTO E SEPULTADO qd jesus, crucificado, disse: " ESTA CONSUMADO " ( notar q aqui o verbo esta no AURISTO que é um tempo verbal da lingua grega q denota uma acção feita de uma vez para sempre ! )o veu d templo que separava o0 lugar sants dos santos do lugar santo se rasgou de cima para baixo ( como q rasgado pelo anjo do SENHOR ) E SE INICIOU UMA NOVA DISPENSAÇÃO EM Q TODOS PODEM TER LIVREMENTE ACESSO AO PAI, ATRAVÉS DO SANGUE DO CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO.
    Eis o início da dispensação da GRAÇA, na qual estamos actualmente.

    Pouco depois seria fundada a Igreja, contra a qual as portas do inferno não hão-de prevalecer

    Depois de JESUS morrer, temos q ELE, DESCEU AOS INFERNOS, PREGOU AOS ESPIRITOS EM PRISÃO, ( e foi ai q os q estavam n " seio de Abraão " ascenderam ao ceu e os q estavam na parte maldita do hades/sheol desceram ao " infernus "/" geena " [ nem me pergunte o q significa isso de Cristo " pregar aos espiritos..." mas q ele lá foi isso foi ] e assim eles nao chegaram ao ceu antes dos salvos pela cruz - com diz S Paulo -
    E OU TERCEIRO DIA RESSUSCITOU, sendo q hoje ELE está assentado á direita do PAI, de onde virá novamente em glória e poder e força e com voz de ARCANJO E TROMBETA DE DEUS para ser JUIZ ds vivos e dos mortos

    A igreja, PORTANTO, não pode receber pedidos de interseção pelos q já morreram pq como eles ou estão no inferno por TODA A ETERNIDADE E NADA NEM NINGUEM - nem todas as indulgencias, missas e sacrificios do mundo - OS PODE TIRAR DE LÁ.
    OU ESTÃO NO PARAISO/NO CEU E JÁ NAO PRECISAM DE NADA NSSO
    tal interseção é inutil e para nada aproveita
    Depois da morte nada mais se pde fazer pq DEUS não deixa !
    " Tem moisés e os profetas ouçam-nos ", ou seja, tem a BIBLIA e a minha igreja q a prega fielmente ( e se nao a prega fielmente q grande responsabildade cairá sobre os impostores, herejes e falsos mestres )façam como lá é dito.

    Temos todos de pedir ao PAI para q encaminhe os nossos amigos famliares e conhecidos ( e mm os desconhecidos, para isso se mandam missionários para todo o mundo )até á fé em JESUS CRISTO e q aceitem q a CRUZ DO CALVÁRIO é a única maneira de irem para o céu
    GRAÇAS A JESUS, pq " ELE VEIO BUSCAR E SALVAR O Q ESTAVA PERDIDO "

    E não há mais nenhuma interseção a fazer a ninguem, por ninguem, que esta ja morto.
    MAS APENAS E SÓ PQ o finado/finada ( qd em vida ) já fez tudo q podia e queria por si próprio.

    Era isto q eu lhe queria dizer

    " MAIOR É O Q ESTÁ EM NÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO "

    ADONAI YESHUA

    KURIUS IESUS

    Agradeço as suas orações por mim e asseguro-lhe q tb vou fazer orações por si ao Pai, em nome de JESUS e na força do ESPIRITO SANTO

     
  • At 5 de maio de 2007 às 12:50, Blogger cbs said…

    "nada é mais cristão do que descobrir a alegria de servir"

    Não sei se foi excatamente assim, mas creio a Madre Teresa disse:
    da oração nasce o amor; do amor nasce o serviço.
    O "serviço" em termos cristãos é, penso, a melhor expressão do Amor a (e de) Cristo.

    Gosto do que dizes Antonius

     
  • At 5 de maio de 2007 às 12:56, Blogger David Cameira said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 5 de maio de 2007 às 13:27, Blogger Antonius Block said…

    Caro David,

    Segundo a teologia católica, a única coisa que limita Deus é o Seu enorme Amor por nós. É esse Amor que faz com que ele respeite a nossa auto-exclusão definitiva da comunhão com Ele (vulgo Inferno). Ora Deus é Amor, portanto não se trata tanto de uma limitação como da sua própria natureza, pois é próprio do amor esse enorme respeito pelo outro.

    Deus ver-se limitado pelas Sagradas Escrituras é que acho uma clara forma de idolatria bíblica.

    Sem nada mais a acrescentar, oremos mutuamente ao Pai pela salvação de cada um de nós, pois é isso que Lhe deve ser agradável.

    Um abraço, em Cristo

     
  • At 5 de maio de 2007 às 13:35, Blogger David Cameira said…

    Luis Sá,
    Já eu lastimo q ense assim
    Eu só sei o ueq é posivel e impossivel a DEUS pq ELE o diz na BIBLIA SAGRADA

    Qt ao resto...depois de eu morrer nunca mais faça 1 raao por mim q tal será COMPLETAMENTE inútil

    A graça de NOSSO SENHOR JESUS CRISTO fique com todos vós, amén

     
  • At 5 de maio de 2007 às 14:40, Blogger cbs said…

    Antonius
    desfaz-me a dúvida
    tu és católico?

    ou herético-fundamentalista como a maior parte desta irmandade?
    :)

     
  • At 5 de maio de 2007 às 14:59, Blogger Antonius Block said…

    caro cbs,

    Católico pela graça de Nosso Senhor Jesus Cristo!

    Embora o meu percurso seja acidentado, a conversão um evento de final da adolescência, e por circunstâncias biográficas (escolaridade feita na Escola Alemã de Lisboa), conheça bem a Igreja Luterana em Portugal e na Alemanha. Nunca me senti atraída por ela no entanto, sou demasiado naturalmente arrogante para que pudesse evoluir espiritualmente por lá (isto para além de tudo o que é doutrinal). Prefiro esta grande universalidade da nossa Igreja, de me poder sentar ao lado da velhinha analfabeta que gosta muito da Nossa Senhora de Fátima, dos padres pedófilos e dos zelosos membros da Opus Dei e sentir que em nenhum outro lugar poderia estar senão neste, onde sou só mais um num país de católicos e a minha condição de pecador é aceite por esta comunidade que é sempre sinal de contradição.

    E tu? Pareces-me ser dos mais ecuménicos por aqui a julgar pelos teus posts, o que me leva a crer que muito provavelmente também serás católico :P

    Um abraço

     
  • At 5 de maio de 2007 às 16:21, Blogger Hadassah said…

    A talhe de foice e a despejar (desculpem-me):

    1º Sobre a intercessão:

    É tudo muito bonito, mas ainda não vi biblicamente fundamentado que homens mortos, podem ser promovidos por homens vivos, para que possam interceder por eles.

    Isaías 8:19 "... Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos? "


    Encontro intercessão uns pelos outros, aqui na terra e junto de Jesus:

    Tiago 5:16 Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros,... Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.

    I Timóteo 2:5 Porquanto há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem.

    Romanos 8:26 Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis.

    Romanos 8:27 E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos.

    Romanos 8:34 Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós.

    Hebreus 7:25 Por isso, também pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.

    2ºSobre a veneração aos Santos:

    “ Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a Ele darás culto.” Lucas 4:8;

    "Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas embaixo da terra.” Êxodo 20:3,4.


    Romanos 1:25: “Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém.”

    Não será prestar culto, o que os católicos fazem com as imagens dos seus santos: beijam, prostram-se diante delas, acendem velas, fazem procissão, oram diante delas, etc. ?

    Até o culto ao próprio através de imagens, é proíbido por Deus.

    Hadassah

     
  • At 5 de maio de 2007 às 16:40, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 5 de maio de 2007 às 16:46, Blogger zazie said…

    É, os católicos fazem todas essas macacadas com as imagens. Já as faziam desde os tempos pagãos. Se assim não fosse nem o cristianismo tinha sobrevivido.

    Foi graças a tudo isso que a Igreja Católica produziu o maior esp+olio artístico e cultural da humanidade. Ia jurar que não há outro maior, ainda que todas as grandes religiões tenham espólio. idêntico. Por isso mesmo é que demonstram que são produto da elevação da inteligência e dos dons que a natureza proporiconou. E não apenas uma qualquer magia ou animismo e ainda menos mero obscurantismo.

    Mas isto são factos e são a nossa civilização. Claro que existem cultos fora das grandes civilizações que ainda se contentam com a magia.

    E esta constatação é válida para todo o planeta e vem desde a Suméria- tem, portanto, milénios de tradição e património de imagens deixado ao cimo da terra.

    O Cristianismo não apareceu para deitar tudo isto abaixo. Se assim fosse, tinha acabado logo ali ou ficado como mais uma seita salvífica a par das maniqueias, órficas ou mitraicas- mesmo estas com cultos e imagens.

    A única novidade em milénios de civilização foi a iconoclastia protestante.

    Na altura não passou de mais uma fúria idêntica a outras de tempos mais antigos.

    Mas, hoje em dia, essa justificação iconoclasta e purismo de ler a Bíblia à letra (como se a Igreja e a própria tradição cristão não possuísse muitos mais textos e fontes) atingiu o espantoso paradoxo pós moderno.

    Diz-se iconoclasta e ataca os santos católicos, mas adora o Bush e até é capaz de o levar em formato de cartão recortado em tamanho natural para as suas sessões de aeróbica escatológico-evangélica lá nos states.

     
  • At 5 de maio de 2007 às 16:49, Blogger zazie said…

    É claro que apenas referi os santinhos de madeira ou outro material e o santinho de cartão bushiano.

    Mas podia-se alargar este conceito dos ícones a muito mais. Podia-se alargar ao próprio culto de infinitas personalidades manás e vigaristas quejandos, a baterem com a vara na rocha e a gozarem com o carcanhol que os idólatras lhes vão dar.

    Uns já deveriam ter ido de cana; outros continuam a dar show e fazer render a idolatria.

    É assim, cada um tem os santinhos que merece

     
  • At 5 de maio de 2007 às 16:51, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 5 de maio de 2007 às 16:55, Blogger zazie said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 5 de maio de 2007 às 16:57, Blogger zazie said…

    E Deus, parece-me que apenas mandou chamar a grande parte disto o nome mais apropriado- fariseus do templo.

    A Bíblia é um livro demasiado inteligente para se ter a soberba de achar que bastaria juntar as letras e procurar as palavras para se encontrar o chavão e o sentido.

    Nem a Bíblia dos pobres, toda cheia de bonecos, foi tão básica. E nem os versículos islâmicos são entendidos de modo tão pobre.

    Decorar palavras, achando que se fica com Deus na barriga, há-de ser fraca tarefa.

    A escolástica ainda conseguiu ser mais inteligente e percebeu que até a exegese devia ser mastigada. lentamente, para se ir percebendo o sentido. Digerindo-a com o esforço do intelecto.

     
  • At 5 de maio de 2007 às 17:00, Blogger zazie said…

    Por isso Hassadah:

    Culto dos homens, para mim só bem mortos e santos, só com muito século em cima.

    Cultos de santinhos de tv, de presidentes criminosos e de vigaristas farisaicos- vivinhos da silva- não é pecado, é burrice

     
  • At 5 de maio de 2007 às 17:57, Blogger cbs said…

    Acertaste Antonius
    Claro que sou católico.

    andava era feito ovelha muito tresmalhada, por embirrar com os espinhos de Roma.
    mas curiosamente, este banho de gente reclamativa (excelentes almas) tem-me reconduzido a Roma em passo de corrida, lol

    Percebo o gosto de tar sentado na sacristia, com a beatinha analfabeta de um lado e o padre pedófilo do outro.
    É o universalismo imperfeito e contraditório, mas feito de afectos, que me está a atrair novamente a Roma, por contrastante com o rigor exuberante dos nossos amigos reclamantes.

    um abraço e um grande bem hajas :)

     
  • At 5 de maio de 2007 às 18:08, Blogger Antonius Block said…

    Hadassah,

    Mas voltamos aos supostos fundamentos bíblicos contra esta prática? Como sabes essa passagem de Isaías diz respeito à consulta (implica conversa bilateral) dos mortos através de determinadas práticas mágicas para obter determinados favores que supostamente eles seriam capazes de oferecer em detrimento do próprio Deus de Israel. Normalmente haveria até troca de favores e sacrifícios com o defunto. O que é que isto tem que ver com a prática de intercessão dos santos? Para começar não existem quaisquer práticas secretas ou mágicas de invocação dos santos, basta apenas dirigir-se-lhes. Depois, como te digo, não difere absolutamente nada de um amigo rezar por ti. Veneração é uma palavra que tem um significado muito próprio na terminologia católica, que nada tem que ver com a "latria" que só a Deus é devida. Ou já não podes ter amigos ou respeitar outros porque amas a Deus?

    Quanto às imagens, já falei sobre isso noutro comentário algures por aqui e para não me repetir remeterei para o dito cujo quando o encontrar.

    Isto é a doutrina da Igreja. Dir-me-ás que as pessoas avacalham e tratam os santos como Deuses eles mesmo. Respondo-te que sim, que é verdade. Como é verdade que como a hóstia como um waffle ou que invoco o nome de Deus em vão com frequência e que não me apercebo de uma série de outras coisas. Como disse no meu primeiro comentário a este post, essa é a nossa condição! A idolatria é a nossa tentação natural! E combatê-la é pôr as coisas no seu devido lugar, não é truncar essas coisas, não é truncar expressões belíssimas de qualquer cultura humana. Essa foi a tentação de todos os hereges. Por isso é que a própria palavra heresia, que muita gente não sabe o que significa e aplica-a mal, significa etimologicamente "escolher em detrimento de" (do grego hairesis). Quando se reduz a fé universal, aí está a heresia. Assim termino por aqui que isto assim até fica cíclico face ao que disse no 1º comentário. Resta-me dizer que concordo inteiramente com a zazie, exceptuando numa coisa: A iconoclastia protestante nada tem de novidade :P É uma heresia tão antiga como o cristianismo, e muito em voga nos primeiros séculos.

    Em Cristo

     
  • At 5 de maio de 2007 às 23:08, Blogger Hadassah said…

    Concordo que a conversa começa a tornar-se cíclica ... e até já tenho a cabeça à roda ... (não é fácil rodar com estas 4 patinhas, de ovelha lanzuda)... eh eh eh

    Por mim fico-me com a minha concepção simplificada de me relacionar com Deus. Até aqui nunca Se aborreceu com isso.

    Zazie, desde que o teu deslumbramento e encantamento pelo espólio humano (que também aprecio, mas de uma forma mais ligeira), não te tragam cegueira espiritual, tens todo o direito de reclamar por ele.

    Antonius e CBS, beatas analfabetas também as há, umas poucas, nas congregações protestantes ... são herança cultural...

    Zazie, não percebi essa da veneração ao Bush. Falas tanto dele que começo a suspeitar que haja praí alguma admiração recalcada ... :) Para mim é apenas um político.

    Quanto a Manás, IURD's e seitas afins ... não há muito a dizer a não ser que não fazem parte da Aliança Evangélica (igrejas reconhecidas como protestantes), só é pena a confusão que lançam...

    Um abraço,
    Hadassah

    P'rá Zazie: um mééÉ ... da ovelha do rebanho :)

     
  • At 6 de maio de 2007 às 00:01, Blogger Nuno Fonseca said…

    'o facto da Igreja reconhecer ou não em nada exclui a possibilidade de a pessoa se encontrar no paraíso apesar de não ser "oficialmente" reconhecida como tal (é dessas pessoas que é feita memória no dia de todos os santos)'

    ---------------------------------

    Do que de ti leio, percebo que se veneram mortos, que, por popularidade, são feitos veneráveis, tendo, segundo o catolicismo, legitimidade cristã pelo facto de serem salvos e se acharem no Paraíso, apesar de não haver prova de tal, bíblica ou exegética. Uma adoração, portanto, não-canónica e não sustentada, senão por milagres cuja existência e autoria (cf. 2Cor11:14) não são comprováveis.
    Contudo, comprováveis segundo provas canónicas e lógicas estão as seguintes noções ditadas pela autoridade suma para os cristãos sincero e reverentes, a Palavra de Deus:

    I. Segundo Jesus, só o Senhor, O qual Ele não era outro senão o Próprio, é digno de louvor e veneração, pois 'Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás'(Mt4:10).

    II. Quem escuta toda a oração, é segundo Jesus, o Deus único e verdadeiro, junto a Quem diz que, enternecidamente, nos mostremos como seus filhos, e façamos as nossas preces, quando sós, a Ele, só:
    'Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome'(Mt6:9).

    III. Quando pedindo o remir dos pecados e o perdão divino de quem ao Senhor fala após seu sincero arrependimento, Jesus é o intermedário para toda a intercessão, pois TODO (Mt28:18) o poder lhe é dado:
    'Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo'(1Ti 2:5).

    IV. Enquanto Sumo Sacerdote, solicitador dos pecadores perante Jeová, como no templo antigo Israel o fazia um homem, Jesus, a divindade exaltada, solicita a nosso favor, perante o Entronizado. Pela sua intercessão apenas se é salvo:
    'Portanto, [Jesus] salva perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.
    Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus'(Heb7:25/6).

    V. Santos de Deus, que o eram como todo e qualquer seu discípulo (1Cor1:2), que hoje são tidos por alguns como 'veneráveis', jamais aceitaram devoção e, em respeito ao Senhor, sempre rejeitaram o louvor de homens:
    'E no dia imediato chegaram a Cesaréia. E Cornélio os estava esperando, tendo já convidado os seus parentes e amigos mais íntimos.
    E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou.
    Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem' (Act10:24/6).

    VI. Nem anjos merecem oração. Sendo fiéis e obedientes ao Altíssimo:
    'E saiu uma voz do trono, que dizia: Louvai o nosso Deus, vós, todos os seus servos, e vós que o temeis, assim pequenos como grandes.(...)
    E eu lancei-me a seus pés para o adorar; mas ele disse-me: Olha não faças tal; sou teu conservo, e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus. Adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia'(Rev22:5-10).

    ------------------------------------------------

    Penso, Antonius, que a Palavra de Deus também te é acima dos pareceres espirituais de homens. E, sendo tu mesmo um santo de Deus, meditarás reverentemente sobre os Seus preceitos sobre este tema.

    Agape,
    Nuno

     
  • At 6 de maio de 2007 às 00:01, Blogger zazie said…

    Pois fica sabendo que ao espólio era eu capaz de o defender de caçadeira serrada!

    ":OP

    70% da minha vida é espólio sacro e o resto é borga

    ahahahahahaha

    Não acredites, não....

    ":O)))))
    O Bush é aqui na casa. Não foi para ti; foi para os que passam o tempo todo com ele na boca. É o Bush, a pena de morte como prendinha no sapatinho de Natal e são os neocons

    ":OP

    ........
    antonius: claro que a iconoclastia é muito mais antiga e a Reforma começou por ser mais um surto dela e de heresia. Mas, para o que import, pela escala e consequências que teve, o que disse mantem-se.

    Antes de conhecer estes protestantes virtuais era o principal motivo para embirrar com a Reforma. Tal como todas as revoluções e momentos de purismo que destruiram esse património espantoso.

    Agora, por acaso, já me deram mais uns pequeninos pretextos

    eheheh

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here