sexta-feira, outubro 12, 2007
Da trágica luxúria da humildade bem-pensante católica
Se o "esclarecimento" de um católico cosmopolita não lhe permite a participação plena numa devoção "grotesca" valha-lhe a vaidade da compaixão com a sofrida ignorância popular. Sai por cima a calculista modéstia de quem prefere o conforto do erro ao exame da fé.
Não é preciso ser protestante para detestar Fátima. Basta não ter paciência para o paganismo e evitar o pecado da condescendência com direito a retroactivos morais.

Tiago Cavaco
posted by @ 10:49 da tarde  
2 Comments:
  • At 13 de outubro de 2007 às 05:12, Blogger PmCDP said…

    É issotudo. É isso tudo que aprendemos quando lemos a Bíblia e ouvimos o Evangelho. Que maçada haver povo crente não é? Que maçada Zaqueu ter subido à puta da árvore só para ver quem era o Tipo que causava tanto alvoroço.

     
  • At 13 de outubro de 2007 às 17:12, Blogger PmCDP said…

    Epá, não é que esteja agora aqui a provar a minha bem católica capacidade de arrependimento, mas o teor etílico do que está aqui em cima não é desprezável...

    No fundo o que eu quero dizer sem palavrões, é que o Cristianismo é formado também por velhotas como aquela que dizia à entrada da Basílica nova, "que era uma vergonha não terem dado condições aos fiéis", como quem diz que é uma vergonha Deus não se ter lembrado de nos fazer com uns corpos mais maleáveis qeu permitissem caber 100 000 pessoas numa cabine telefónica.

    P.S. Acordaram-me duas senhoras às 9:30 quando ainda eu estava com a cabeça bigornada. Eram Testemunhas de Jeová com a Sentinela a perguntarem-me se eu lia a Bíblia.
    A campainha que tocaram ficou bloqueda e ficou a tocar de forma lancinante até que me vestisse e descesse a escadas do prédio para a libertar, tornando o acordar ainda mais punitivo. Não me volto a meter em discussões Cristãs. Ou talvez volte... A que sinal terei direito da próxima vez?

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here