domingo, agosto 02, 2009
Quando por nós és perscrutado intelectualmente, não és descoberto como és realmente
"Na bonita oração com a qual conclui o seu comentário ao Apocalipse ressaltando a prioridade que em cada busca teológica da verdade compete ao amor, ele dirige-se a Deus com estas palavras: "Quando por nós és perscrutado intelectualmente, não és descoberto como és realmente; quando és amado, és alcançado".

Ou "A busca da verdade", segundo o Santo Padre Bento XVI.

(em Audiência Geral, no dia 22 de Abril de 2009, dedicada a Santo Ambrósio Autperto)

timshel
posted by @ 6:48 da manhã  
7 Comments:
  • At 3 de agosto de 2009 às 18:51, Blogger MC said…

    não entendo muito bem o Papa. Então ele não é o teólogo da razão?

    Para quê esta fregamentação do Homem? Para fazer género?

     
  • At 3 de agosto de 2009 às 20:14, Blogger timshel said…

    em cima do joelho, a minha opinião:

    A razão permite adivinhar Deus, mas apenas o amor permite alcançá-Lo.

    A necessidade lógica de Deus assim outros indícios referentes às propriedades do Universo permitem adivinhar Deus (talvez por isso o Papa goste tanto da razão) mas não permitem (felizmente) prová-Lo.

    Se o Papa quisesse provar a existência de Deus devia mudar de profissão.

     
  • At 4 de agosto de 2009 às 10:33, Blogger cbs said…

    De acordo com o Tim.
    Deus não se "demonstra", Deus tem que ser mostrado.
    Mas não esqueçamos, MC, que razão e intuição andam sempre juntas. Digo isto porque não me parece uma fragmentação, a afirmação papal...

     
  • At 4 de agosto de 2009 às 20:09, Blogger MC said…

    meus senhores,

    alguém mais atento confrontar-me-ia no comentátio acima e o post que acabei de escrever no jardim.

    bom, admito que o Papa fale na perspectiva que o CBS defende. No meu comentário reajo a uma fragmentação muito presente na Igreja. Relembro a velha dicotomia "corpo/alma".

    Sem pretender definir o amor (Deus me livre e guarde) sim, o mesmo é muito mais que emoção. Embora sendo essa faceta mais manifesta e que por vezes oculta o que o amor é. Sendo, creio, um dom de Deus.

    Perturba-me pensar em termos de "alcançar" Deus. Creio ser muito mais verdadeiro que Deus nos alcance. E que trabalheira deve ter.

    Ninguém pode demonstar Deus a outrém. Testemunhá-lo, talvez.

     
  • At 5 de agosto de 2009 às 13:12, Blogger cbs said…

    "Ninguém pode demonstar Deus a outrém. Testemunhá-lo, talvez"

    é isso que eu digo.

     
  • At 11 de agosto de 2009 às 10:15, Blogger zazie said…

    É um tremendo engano dizer-se que este é o Papa da Razão sem se perceber que noção de Razão implica.

    Ele é profundamente anti-razão das luzes- a tal que assimilar a razão ao conhecimento meramente científico.

    A razão dele é helenística, ou melhor, da patrística, dos Srtomata do Clemente de Alexandria.

    Vale a pena ler o que ele escreveu a propósito da brutal crítica ao racionalismo das luzes e tradição kantiana.

    Já tive aqui uma conversa com o Vítor a esse propósito.

     
  • At 11 de agosto de 2009 às 10:18, Blogger zazie said…

    Ele até chega a andar próximo do espiritismo e da tradição mística.

    Mas é racionalista por herança cultural grega.

    E aposto com v.s que estou mais que certa.

    Anda meio mundo a dizer bacorada por não se entender o alargamento da Razão que é a principal tarefa deste Papa contra o jacobinismo e positivismo cientoino que anda por aí muito excitado de novo.

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here