terça-feira, novembro 14, 2006
a sensaboria católica
O Tiago escreve muito bem. Eis aqui dois exemplos.

"Tantos ósculozinhos com os ateus deixam-me perplexo. É a teologia do beijo que permite anunciar Judas como o discípulo mais próximo de Jesus. Refugio-me nas minhas trincheiras (nessa providencial inumanidade que me abriga) citando o bom Sören (na língua do Império, claro): "Christianity in its first instance must be so terrifying that only an absolute you shall can drive a person into it"."

"(...) no último século o Jesus que vende melhor é o humano, sereno e conciliador.
(...) Por que substituíram as pessoas a necessidade de Deus pelo desejo de um companheiro de ginásio?
(...) Há que imputar culpas aos prelados que caem nas boas graças da comunicação social. São bispos convertidos à meiguice, escrevendo arco-íris duplos nos énes, desenhando pétalas à volta dos pontos dos is. Sobra para as religiões minoritárias suspeitas, como a minha, lembrar as curvas do caminho para os Céus.

(...) Não é caso para nos dedicarmos exclusivamente ao Messias vingador, chispando dos sacros olhos. Ao Mestre pragmático e de espada na mão do Evangelho de Lucas. Basta equilibrar com uma consulta ao globo terrestre. Enquanto o cristianismo cresce nos continentes tradicionalmente pagãos, confrontando sem reservas os credos nativos, na Europa a cristandade, por preferir a simpatia à fidelidade, deixa as capelas às moscas."


Há gente que escreve maravilhosamente e o Tiago é um deles. O estilo de uma escrita é por vezes decisivo. Normalmente, posso-me deliciar com o estilo de uma escrita, mas raramente posso utilizar esse verbo para descrever a minha emoção perante o seu conteúdo. Quando considero o conteúdo, tento ver outra coisa. Tento ver se ele contém bondade ou pertinência. E, sobretudo, tento não deixar as coisas misturarem-se. Isto é, não deixar que a minha "delícia" perante o estilo condicione de algum modo o juízo sobre o conteúdo (é assim, por exemplo, que aquele que é, para mim, o melhor blogue da blogosfera portuguesa, o dragão, não me parece, de um ponto de vista de conteúdo, particularmente excepcional).
Ora, se fizer um esforço neste sentido, tenho que admitir que após a agradável sensação produzida pelo estilo do Tiago, o seu conteúdo suscita-me muitas reservas. Claro que é original (felizmente) defender actualmente um Deus que não seja apenas e tão somente Amor. É engraçado ver toda esta dureza numa época em que, como escrevia o outro meu santo, John Steinbeck, já pouca diferença há entre o clero humanista psiquiátrico e o não psiquiátrico. Só que acho que se existem coisas que nunca são de mais, o humanismo, clerical ou não, psiquiátrico ou não, é uma delas.
Por mais deliciosa, elegante e irreverente que seja a formulação do ponto de vista contrário.
Mesmo que as capelas fiquem vazias com essa grande sensaboria que é um Deus Amor.

timshel
posted by @ 6:12 da manhã  
7 Comments:
  • At 14 de novembro de 2006 às 10:17, Blogger David Cameira said…

    Eu não sou de cá mas não posso deixar de comentar sobre isto que o que mais gosto no baptista fundamentalista " born again crhristian " G.W. Bush é a extraordinária clareza das suas palavras ( ainda que suscitem muitas duvidas a te a outros baptistas os seus conteudos )

    Aliás o actual Papa BENTO XVI já recebeu de mim mais " guito " em termos de direitos autorais que o anterior pela mesmissima razão, O QUE ALIÁS OCORRE DESDE A FAMIGERADA ENCICLICA " DOMINUS IESUS "
    - QUE DEVIA SER LIDA E COMENTADA POR TODOS OS PASTORES BAPTISTAS DE PORTUGAL E POR TODOS OS ALUNOS DE SEMINARIOS EVANGELICOS ANTES DE TERM O CANUDO -

    Enfim o Padre Marcelo , e a sua versao lusa , o nosso padre Borga tt tanto lugar como o Rev Billy Grant; Mas depois da pregação há q tomar uma decisão pessoal por Cristo , ou contra ele se assim o entender-mos, e são estes homens que nos levao a decisao

    É nesse sentido , no pregar de " todo o conselho de DEUS ", para que a congregação possa decidir conscientemente, que eu entendo as palavras do Tiago Cavaco

     
  • At 14 de novembro de 2006 às 19:55, Blogger MC said…

    Não sei se sou a primeira mulher a pôr aqui um comentário. se sou, nem sei como me atrevo. Será melhor benzer-me primeiro?

    Timshel, divergimos em tantas coisas (os teus santos de devoção é uma delas), mas concordo contigo neste texto.

    É que quando vejo uma necessidade exacerbada de pregar a cólera divina, penso:"Porra! Estes gajos vivem numa redoma. Não há já luta que chegue no dia a dia, sofrimento, morte, mal?"

    Claro que não me delicio com as lambuzices do Borga. É um estilo. Sei lá se ele anuncia melhor Deus que eu? Mas andar para aí a fazer cristãos à conta do medo do inferno, já chegou o que se fez.

    S. João diz: "Deus é Amor". Mas já se viu algum amor sem sacrifício, sem dor. Aliás, alguém dizia muito bem, que a marca do amor é a dor. Isto não chega?

    E ainda mais isto? Onde é que está a doutrina pura? Quem é que tem a patente? Os católicos enchem a boca a dizer que são eles. Em que ficamos?

    E divirtam-se no recreio. Que, às vezes, é o que isto me parece. Mas ainda a procissão vai no adro...

     
  • At 16 de novembro de 2006 às 14:02, Blogger zazie said…

    É pá, o Dragão não é só a pessoa que melhor escreve na blogosfera e arredores, é que melhor sabe pensar.

    Saber pensar, ser certeiro e inteligiente e filósofo onde é que encontras isso?

    A bondade em palavras pode ser uma grande treta. Um "bibelot retórico" como ele lhe chamou. A bondade só pdoe ser aferida pelos actos. Está fora da escrita.

     
  • At 16 de novembro de 2006 às 14:07, Blogger zazie said…

    Quanto ao resto, ao catolicismo, basta que fique bem longe do folclore evangélico que fica muito bem.

    Se voltarem às missas em latim e proibirem rocalhadas e outras fantasias pimba na música coral, então ainda melhor.

    O catolicismo tem uma mais valia estética fundada na tradição. Não precisa de se secularizar para nada.
    E este Papa percebeu-o bem.

     
  • At 16 de novembro de 2006 às 14:08, Blogger zazie said…

    E nada de mulherio a dar missa nem casório nos padres. Diferença e distância é que é preciso

    ";O)))

     
  • At 16 de novembro de 2006 às 14:10, Blogger zazie said…

    e depois o bom do abraço ecuménico, é claro...

     
  • At 7 de janeiro de 2007 às 23:30, Anonymous candida said…

    as religiões que se fodam. amen

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here