terça-feira, setembro 30, 2008
Conjuntura
Que a Câmara Municipal de Famalicão tenha levado, à boleia dos dinheiros públicos, mais de nove mil excursionistas ao Santuário de Fátima, não espanta ninguém. Pelo menos quem vive fora de Lisboa está habituado a este tipo de “afinidade” entre o político e o religioso. Mas, para além do reparo, sempre bem-vindo, o que a notícia traz de relevante é a clarificação das vozes e das perspectivas em jogo.
Por um lado os dois tipos de laicismo: o jacobino, ateísta ou agnóstico, que quer a religião o mais confinada possível à esfera privada; e o cristão, naturalmente pró-religioso, que defende, em nome da liberdade, a imparcialidade do Estado em matéria religiosa.
Do outro lado, a igreja dominante, atolada até aos cabelos em jogos de poder com séculos, que só quando pressionada abre mão dos privilégios, por mais pequenos que eles sejam.
Neste triângulo, pouco amoroso, caminha a questão religiosa em Portugal. Que cada vértice clarifique e assuma as suas posições só pode ser positivo. Pelo menos perceberemos o que realmente está em causa quando a conjuntura levar cada um dos lados a alianças ou animosidades.

Pedro Leal
posted by @ 1:27 da tarde  
4 Comments:
  • At 1 de outubro de 2008 às 12:03, Blogger Joao Leal said…

    O paganismo move multidões em Portugal (e pelos vistos autocarros camarários, também).

    Os políticos estarão sempre do lado do obscurantismo.

    PS- Estive no sábado passado no estádio da luz com mais 60 mil outros pagãos. Sei que lá estiveram alguns políticos também...

     
  • At 1 de outubro de 2008 às 13:23, Blogger cbs said…

    Ó Pedro, ó Pedro!
    os velhos vão a Fátima porque querem, pá.

    Quanto ao uso de coisas publicas, sim senhor, mas é simples, queixem-se ao procurador da Republica, ele que ponha os velhos, os padres e as autarquias promiscuas na ordem laica...

    lol

     
  • At 2 de outubro de 2008 às 13:50, Blogger Pedro Leal said…

    cbs

    O problema não está nos velhos, ou nos padres, mas nos representantes do Estado. E claro que
    a montanha parece invencivel. Mas "quem não se sente..."

     
  • At 4 de outubro de 2008 às 18:56, Blogger samuel said…

    Caro João Leal

    "Os políticos estarão sempre do lado do obscurantismo."

    Peço desculpa... mas que frase tão pouco iluminada!!!
    Alguns dos políticos, os corruptos, carreiristas e aproveitadores, agradecem.
    É com discursos destes que as pessoas se vão afastando da política, que é "apenas" tudo o que diz respeito à sua qualidade de vida, direitos e deveres solidários aqui na terra.

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here