sábado, julho 21, 2007
De Profundis

Este be-logue tem mistérios insondáveis, como todas as cousas da Criação .
Mas aqui há mais, aqui o mistério adensa-se.
Para além das enganadoras dormencias, embaladas pela suave poesia da Beguina; para além dos despertares em tempestade tonitruante; para além disso, ainda existe a profundidade.
Na profundidade deste be-logue surgem semi-posts, esboçados uns, edificados outros, até excelentes por sinal, mas que nunca chegam à luz do dia.
É uma espécie de platonismo do avesso, uma alegoria da caverna ao contrário, onde a luz que se vê não passa de fraca imagética das riquezas que jazem na sombra da profundidade.
Assim, e clamando o teu perdão, que eu já tou burro velho pra mudar, dedico-te este salmo, meu caro Antonius :)

Das profundezas clamo a ti, ó Senhor.
Senhor, escuta a minha voz; estejam os teus ouvidos atentos à voz das minhas súplicas.
Se tu, Senhor, observares as iniquidades, Senhor, quem subsistirá?
Mas contigo está o perdão, para que sejas temido.
Aguardo ao Senhor; a minha alma o aguarda, e espero na sua palavra.

(Salmo 130, De Profundis)

cbs
posted by @ 12:04 da tarde  
7 Comments:
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here