sexta-feira, novembro 17, 2006
A parábola do perigo e do zombie

Certo rapaz gostava de zombies. Via filmes de zombies e sabia o suficiente sobre zombies para se intrometer em conversas que metiam zombies ao barulho. Apesar de gostar de zombies, o rapaz não acreditava na existência deles. Ignorava o perigo de estar errado, tão ridícula era a equação de serem reais. Tão pouco seguia o modo de vida dos zombies, não caminhava como um zombie, não comia carne humana.
Um dia, uns malucos que acreditavam em zombies disseram-lhe para ele se acautelar e começar a agir como um morto-vivo, caso contrário seria um mero pedaço de carne que os zombies comeriam indiscriminadamente até ao último osso. Não lhes ligou. Nessa tarde almoçou sozinho.
Outros porreiraços que também acreditavam em zombies preferiram não insistir muito no assunto dos zombies e até foram com o rapaz ao centro comercial jantar e ver uma comédia romântica com a Julia Stiles.
No dia em que vieram os zombies o rapaz foi comido indiscriminadamente.

Samuel Úria
posted by @ 1:31 da tarde  
1 Comments:
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here