domingo, setembro 02, 2007
Não há moral contra as leis da natureza
A frase do título deste post foi encontrada por Eduardo Prado Coelho na agenda do seu avô materno no dia da morte deste ( conforme as cartas trocadas entre D. José Policarpo e Eduardo Prado Coelho em 2003, agora republicadas pelo Patriarcado de Lisboa).

Eu penso que, pelo contrário, toda a moral é contra as leis da natureza. Sobretudo a moral cristã. E é por isso que sou cristão.

timshel
posted by @ 10:20 da tarde  
36 Comments:
  • At 3 de setembro de 2007 às 01:26, Blogger samuel said…

    É!... Deus, que alegadamente fez a natureza e as suas leis, era completamente imoral (ou amoral?)
    Ainda bem que os cristãos vieram pôr um ponto final na farra.

     
  • At 3 de setembro de 2007 às 05:11, Blogger timshel said…

    Deus criou algumas leis da natureza com um sentido moral? Quais?

     
  • At 3 de setembro de 2007 às 13:55, Blogger samuel said…

    Estava a brincar, mas assim de repente... não estou a ver!
    Mas a sério, sobre a pergunta, eu nem sei se Deus criou as ditas, quanto mais com um sentido moral...
    Os "sentidos" morais são mais o departamento dos humanos, nomeadamente dos cristãos.

     
  • At 3 de setembro de 2007 às 15:50, Blogger Scott said…

    Como as leis naturais existiam antes da queda do homem, não têm nada a ver com a moralidade, pois não?

    (Reconheço que há quem diga que as leis naturais, tal como entropia por exemplo, se mudaram como consequência da queda, mas ainda não estou convencido disto.)

    -Scott

     
  • At 3 de setembro de 2007 às 23:24, Blogger Paralaxe said…

    Este Blog está listado no
    Directório Paralaxe

     
  • At 4 de setembro de 2007 às 01:38, Anonymous Anónimo said…

    As leis naturais aplicam-se a todos. Eu, o Berardo e o Pinto da Costa somos tratados exactamente da mesma meneira pela gravidade. Não é a isto que chamamos Justiça?

    Pedro Leal

     
  • At 4 de setembro de 2007 às 05:49, Blogger timshel said…

    "eu nem sei se Deus criou as ditas, quanto mais com um sentido moral...
    Os "sentidos" morais são mais o departamento dos humanos, nomeadamente dos cristãos"

    Eu também não sei. Acredito mas não sei. :)

    "somos tratados exactamente da mesma meneira pela gravidade. Não é a isto que chamamos Justiça?"

    Não me parece. Se algumas leis da natureza tratam todos os homens da mesma maneira outras há que não. Neste último caso penso que é necessário um acto humano intencional inspirado por Deus (a que se chama amor) para concretizar a Justiça/Amor Divinos.

     
  • At 4 de setembro de 2007 às 18:14, Blogger CC said…

    Pois, pois, Pedro. Somos todos irmãos, criados pela mesma Mão igualitária, à Sua imagem e semelhança. No fundo, de tão idênticos que somos todos, confundimo-nos com facilidade. Mas para isso é preciso uma fé inabalável, ao alcance de poucos.

    A mim, homem de pouca fé, não me parece que, visto cá da terra, as coisas se passem assim. Talvez seja eu que vejo mal, mas a mim parecem-me uns mais bonitos que outros; reparo que uns nascem saudáveis, outros com doenças crónicas incuráveis; uns obsessivo-compulsivos, outros esquizóides.

    Talvez isto seja "Justiça", Pedro. Mas é uma justiça (divina) muito poética, não te parece?

     
  • At 4 de setembro de 2007 às 21:26, Blogger Hadassah said…

    Faz-me mais confusão vêr um crente duvidar da justiça de Deus do que um ateu duvidar da Sua existência...

     
  • At 4 de setembro de 2007 às 21:26, Blogger Hadassah said…

    Faz-me mais confusão vêr um crente duvidar da justiça de Deus do que um ateu duvidar da Sua existência...

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 12:33, Blogger CC said…

    Ó Hadassah, e o que é que tu pensas do assunto? Achas que as "leis da natureza" são "justas"?

    Eu só quis dizer que a justiça não é um conceito que se aplique às leis da natureza, aos condicionalismos físicos, biológicos, geográficos, etc., como o Pedro Leal parecia sugerir.
    Não vejo onde é que, com o que escrevi, estou a "duvidar da justiça de Deus".

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 12:57, Anonymous Anónimo said…

    cc

    A gravidade tanto traz o avião contra o solo como impede que sejamos levados por uma rabanada de vento. Mas em todas as circunstâncias ela é aplicada de uma forma absolutamente imparcial. Não sei se isto tem a ver com moral. Mas que a Justiça também é feita desta imparcialidade, é.

    Pedro Leal

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 20:58, Blogger zazie said…

    Havia de ser o Tim a descobrir que a moral católica é contra-natura

    ahahahha

    Crescei e multipicai-vos, multiplicai-vos, carago. Onde é que isto é contra a natureza?

    ":O))))

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 21:30, Blogger timshel said…

    crescei e multiplicai-vos é uma lei da natureza (e foi assim que o Criador a fez)

    não é uma lei moral mas um simples facto

    a lei moral do cristianismo é o mandamento do amor

    e este mandamento (radical) opõe-se frequentemente às leis da natureza

    (levado à letra, o tal "crescei e multiplicai-vos" pode significar simplesmente que os homens devem viver como os animais: apenas com os limites que estes têm)

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 22:12, Blogger zazie said…

    estás um grande chato.

    Pareces o kant. Cum caraças. Eu também não acho que a moral se resuma à natureza. Para isso temos a bicharada que desconhece o mal. Como nós temos moral, não nos basta a natureza.

    Mas ela é que não tem culpa!

    ":OP

    E nunca acreditarei em nenhuma moral que vá contra o que é natural. Nesse caso, Deus tinha feito o homem e a Natureza nem era obra Dele.

    A Natureza não tem grande moral mas a que tem não faz mal à saúde. A que faz mal é tão artificial como nós. O maligno é que não me parece ser natural.

    Um exemplo que costumo usar é o das doenças e alergias. São coisas contra-natura. Não devíamos ser alérgicos ao que produz vida, ao que a acalenta- as plantas, por exemplo.

    Sou uma básica muito hedonista que nunca acreditou que a supressão da natureza faça bem à cabeça.

    A acedia e a avareza são o melhor exemplo de pecados mortais. Porque são contra-natura.

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 22:49, Blogger Hadassah said…

    CC

    As leis da natureza são para mim Leis de Deus, logo se as considerarmos injustas, ...consideramo-lo a Ele também...

    A questão resume-se a isto dito na Bíblia..."Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno" I João 5:19

    A partir do momento em que decidimos ficar por nós próprios, à nossa vontade, conhecedores do Bem e do Mal, o que fizémos foi afastarmo-nos de Deus. Se olhares à tua volta, o que atrai o homem é o que o destrói, é o que lhe faz mal e não o contrário...precisamente porque Deus não está no Mundo!

    Acredito que Deus tenha deixado a moral dentro de nós, que é conforme às Leis da Natureza para sobrevivência da nossa espécie.

    Quando falamos em doenças injustas, grande parte delas são consequências das nossas acções que enfraquecem o sangue de geração para geração...tens a poluição, os vícios, a má alimentação, os maus hábitos, gerações que derivam de incesto, etc. etc. Que culpa tem Deus e a Natureza disso?

    Isto aqui é uma passagem...o que é o nosso corpo comparado com a nossa alma?

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 23:09, Blogger zazie said…

    o que atrai o homem é o que o destrói"

    É uma boa frase. Eu também não consigo atirar com as culpas para cima da vida.

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 23:11, Blogger zazie said…

    E também não sei se as doenças são injustas. Mas sempre me impressionou a possibilidade de nos afastarmos de tal modo da natureza que passássemos a ser alérgicos a ela.

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 23:31, Blogger Hadassah said…

    Zazie,

    Quanto às alergias eu julgo que o problema está em nós e não nas pobres das florzinhas...tanto por via do contacto com químicos e produtos artificiais, mal manipulados pelo homem (tabaco, poluição, Industria química), como pela via até da excessiva esterelização,...

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 23:33, Blogger Hadassah said…

    é precisamente isso que dizes e que te impressiona:

    "a possibilidade de nos afastarmos de tal modo da natureza que passássemos a ser alérgicos a ela."

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 23:46, Blogger zazie said…

    Exacto. Ser alérgico à vida é ser alérgico a Deus. Não faz sentido. É uma aberração.

    Penso muito nisso a propósito das alergias. Uma coisa são doenças e deteriorações. Outra é ser-se alérgico aquilo que foi feito a par de nós. Para viver junto.

    É um absurdo. É tão absurdo como se ficar muito admirado por existirem mortes por excesso de velocidade.

    Também não fomos feitos para nos deslocarmos a 200 à hora dentro de carcaças de metal

    ":O)))

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 23:47, Blogger zazie said…

    By the way: eu não tenho alergias e achava muito mau sinal se as viesse a ter...

    Desconfiava de mim...

    ehehehe

     
  • At 5 de setembro de 2007 às 23:52, Blogger zazie said…

    De qualquer modo, também me atraem muito os místicos por conseguirem ultrapassar a natureza.

    Mas não é qualquer um que é místico. E a acédia nunca foi misticismo.

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 09:14, Blogger Hadassah said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 09:14, Blogger Hadassah said…

    A acédia é para mim um estado de espírito enfermo, não é mais do que uma debilidade espiritual.

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 10:27, Blogger zazie said…

    Por acaso sabes quem foi o artista que arranjou a barra branca?

    São uns espíritos muito modestos estas alminhas. Estava tudo ceguinho e alguem arranjou e nem se acusa.

    Ficou lindo, de novo!
    ":O))

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 11:40, Blogger CC said…

    Porra!, mas onde é que eu disse que as leis da natureza são injustas?
    Eu escrevi que «a justiça não é um conceito que se aplique às leis da natureza, aos condicionalismos físicos, biológicos, geográficos, etc., como o Pedro Leal parecia sugerir».
    Nem a justica nem (por maioria de razão) a injustiça.

    O que é que tem de justo a lei da gravidade ou da aerodinâmica?

    Parecem os comentadores de futebol a dizer que o resultado de um jogo não foi justo.

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 11:44, Blogger CC said…

    Sim, e há muita "justiça" nos terramotos, nos vulcões, na queda de meteoritos e nas epidemias. Ou então é culpa nossa. Por termos comido carne de porco numa sexta-feira ou não nos circuncidarmos. Ou, quem sabe?, por utilizarmos a internet.

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 12:50, Blogger zazie said…

    ahahahahaha

    O CC ficou fulo. E tem razaõ, o danado

    A questão é que é un tanto tolinha, graças a Deus.

    O Tim, queria meter a igualdade a martelo e lmebrou-se que a natureza até nem é dada a igualitarismos. Daí deu-lhe para ter a ideia brilhante que a moral católica há-de ser contra-natura.

    ":O)))

    V.s são uns pandegos.

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 13:48, Blogger Hadassah said…

    CC

    Deduzi deste teu cometário:

    " reparo que uns nascem saudáveis, outros com doenças crónicas incuráveis; uns obsessivo-compulsivos, outros esquizóides.

    Talvez isto seja "Justiça", Pedro. Mas é uma justiça (divina) muito poética, não te parece?"

    Se referias a catástrofes naturais peço desculpa pela minha falta de entendimento.

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 13:49, Blogger Hadassah said…

    errata: se te referias

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 15:10, Blogger CC said…

    Não, Hadassah, não me referia só a catástrofes naturais, mas também aos condicionalismos biológicos, por exemplo (no fundo, basta ler o que escrevi).

    Mas, já agora, achas que as catástrofes naturais são "justas" ou "injustas"? Ou também acontecem por culpa nossa (a poluição, o incesto, o tabaco, como referiste)?

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 16:08, Blogger zazie said…

    O incesto é capaz de provocar chuva que eles lá em África bem que o praticam

    ":O)))

    Isto é um disparate pegado. Nem sei como fui atrás.

    Achei piada porque topei a intenção anti-darwinista do Tim e do CC mas deu-me para chatear o Tim que anda um "pain in the ass"

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 19:29, Blogger Hadassah said…

    CC

    Admite que ironizaste em relação à Justiça das coisas! Isso levou-me a pensar que consideravas esses acontecimentos de injustos.

    Concordo que não podemos de falar de justiça ou de injustiça...grande parte não duvides que é consequência da nossa acção...até hoje se podem falar de catástrofes provocadas por nós (o aquecimento global por exemplo), mas em relação a isto não generalizo.

     
  • At 6 de setembro de 2007 às 19:29, Blogger Hadassah said…

    Zazie

    Aquilo não dá é chuva nenhuma...

     
  • At 7 de setembro de 2007 às 15:21, Blogger cbs said…

    Nesta tou contigo Tim.
    A Natureza é amoral.
    A Moral é uma construção humana.
    A moral cristã é mais do que isso; é coisa transcendental, é "revelada".

    A Natureza, se fosse medida em termos morais, seria quase sempre cruel.
    Mas as coisas não são gente, não pecam, nem se vingam, lol

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 
Um blogue de protestantes e católicos.
Já escrito
Arquivos
Links
© 2006 your copyright here